Uncategorized

Licença ambiental para investimento de R$ 1 bi no Litoral

O Governo do Paraná entregou nesta segunda-feira (13) a licença ambiental de instalação à multinacional italiana Techint para a ampliação e modernização da sua unidade em Pontal do Paraná. No local, serão produzidas duas plataformas fixas de petróleo com investimentos de cerca de R$ 1 bilhão e a geração de mais de 4 mil empregos diretos.

É o primeiro empreendimento ligado ao pré-sal a se instalar no Paraná. “O Pontal do Pré-sal começa a partir desse licenciamento. Estamos analisando outros pedidos de licença e em negociação com empresas que querem aproveitar a boa localização geográfica do Paraná para o fornecimento de bens e serviços à Petrobras e suas parceiras”, afirma Ricardo Barros.

Entre as empresas estão a Odebrecht (montagem de navios), a Galvão Óleo e Gás (construção de plataformas) e a Subsea 7 (produção de cabos de transporte), que já possui área no Litoral. “São empreendimentos que vão gerar mais de 10 mil empregos em todo o Litoral do Estado”, informa Ricardo Barros.

O diretor-geral da Techint, Ricardo Ourique, explica que a maior parte da mão de obra do empreendimento será local e aposta em treinamento e cursos de qualificação para suprir a demanda. “Queremos utilizar ao máximo possível o trabalhador local. Vamos qualificar aqueles que ainda não possuem os requisitos necessários”.

A empresa possui a unidade no Paraná desde o início da década de 80, mas a última utilização do local foi entre 2004 e 2006, quando produziu peças para uma plataforma da Petrobrás. Na época estavam empregadas cerca de 1,5 mil pessoas.

LICENCIAMENTO – Para emissão da licença de instalação, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) exigiu o atendimento a algumas condicionantes. Entre elas estão a implantação de medidas mitigadoras dos impactos gerados na utilização das rodovias PR-407 e PR-412 e seus acessos, devido à circulação de veículos necessários à operação do empreendimento.

Durante a etapa de instalação o empreendedor também deverá controlar as emissões atmosféricas e os ruídos – conforme os padrões estabelecidos pela legislação estadual e federal.

PONTAL DO PRÉ-SAL – O Pontal do Pré-sal é uma ação de articulação do Governo do Estado com os setores público e privado para colocar o Paraná como um dos principais fornecedores de materiais e serviços de suporte à exploração do pré-sal.

O objetivo é aliar o interesse do governo em atrair empreendimentos à demanda de fornecedores nacionais de bens e serviços da Petrobras para os próximos anos. O governo trabalha pela união de esforços de entidades públicas, privadas, associações, federações, prefeituras e sindicatos para atrair investimentos de diferentes portes e perfis.

As duas plataformas foram encomendadas pela OSX Brasil S/A, empresa de petróleo do grupo do empresário Eike Batista. A previsão é de que seja investido R$ 1 bilhão na construção das estruturas, que pesam 25 mil toneladas cada. “Temos um contrato de 33 meses que já está em andamento. Devemos iniciar a operação imediatamente”, afirma Ourique.

7 Comentários

  1. seria interesante que parte destes recursos sejam aplicados em segurança pois quando esta empresa inicias suas atividades nesta neste local, o numero de ladroes aumenta e acaba a segurança da praia. investimento errado em lugar errado, as gerações de emprega tem que ser onde tem m.o.

    povo do paraná que faz turismo no parana procurem outra praia porque esta vai ser dos ladroes, com autorização dos governantes.

  2. adriano ribeiro Responder

    O nosso Governador poderia mandar liberar a assinatura da engorda da Orla de Matinhos . Ajuda nos Governador

  3. Estas plataformas que vão ser construidas pelo Eike Batista, em nosso litoral, não foi aceito sua construção em Celso Ramos-SC, por problemas de poluição, ha mais de dois anos, que ele estava procurando lugar p/ cosntruir, saiu de SC, foi p/ o Rio e agora Pr., o que parece ser bom pode ser ruim………..

  4. Parabéns ao IAP e a SEMA por viabilizarem a instalação desta empresa e os empregos gerados. Porque se fosse na gestão passada ia ter um acertinho, né?
    Aliás, pq o Dr. Tarcísio nao nos conta sobre as gestões Volnei e Burco?
    Aposto um biscrock que tem muito cachorro nesse mato.

  5. Parreiras Rodrigues Responder

    Sou, dentro das minhas limitações, um ambientalista.
    Mais apropriadamente, um sonhador, um poeta do meio ambiente.

    Mas não me incluo entre os eco-chatos que prevêem catástrofes ao primeiro sinal do avanço do desenvolvimento.

Comente