Uncategorized

Pessuti sai em defesa de Sérgio de Souza e nega acusações da Veja

Do Estado do Paraná

A Revista Veja desta semana acusa o novo senador paranaense, Sérgio de Souza (PMDB), de ter participado do esquema gafanhoto, que funcionou na Assembleia Legislativa do Paraná de 2001 a 2004. Souza assume nesta semana a vaga deixada pela senadora Gleisi Hoffmann (PT), na ministra-chefe da Casa Civil.

Souza foi assessor de gabinete do ex-governador Orlando Pessuti (PMDB), por cargo de comissão, e a suspeita levantada pela revista é que o nome da mãe do novo senador, Erotildes Matias de Souza, fosse usado pelo esquema, que depositava o salário de vários servidores na conta de uma única pessoa, ligada a deputados, e que desviava o recurso público. O esquema gafanhoto ainda é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal (PF).

Em entrevista à rádio CBN Curitiba, na manhã desta segunda-feira (13), Orlando Pessuti confirmou que a mãe de Souza foi funcionária da Assembleia durante alguns meses, mas que nem ela nem Souza eram gafanhotos. “Infelizmente a Revista Veja reproduz algo que não corresponde com a realidade dos fatos. Ele não é gafanhoto, não se apropriou do salário da sua mãe, ela não era assessora fantasma. Eu, assim como a grande maioria dos deputados daquela época, mantinha assessores parlamentares nos municípios onde tinha representação política”, defendeu Pessuti.

Segundo o ex-governador, Erotildes apenas recebia o salário por uma conta bancária do filho e ela “prestava um trabalho de colaboração” ao gabinete no interior do Estado. “Ela nunca trabalhou diretamente na Assembleia, mas sim vinculada à nossa ação parlamentar”, afirmou Pessuti à CBN.

A indicação para compor a chapa de Gleisi Hoffmann ao Senado durante as eleições de 21010 partiu de Pessuti. Advogado, Souza ainda não disputou nenhuma eleição diretamente. Como suplente, o nome de Souza apareceu pela primeira vez na urna eletrônica, junto com o ex-deputado e fundador do PT do Paraná Pedro Tonelli, segundo suplente na chapa encabeçada por Gleisi, nas eleições do ano passado. Ele é filiado ao PMDB há 15 anos.

14 Comentários

  1. claudemir cassarotti Responder

    ESTE É O NOSSO REPRESENTANTE GAFANHOTO OU NÃO JUNTO COM O SARNEY, RENAN,E DEMAIS QUADRILHEIROS MAIS UM NÃO FAZ MUITA DIFERANÇA……………

  2. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Nenhuma credibilidade deve ser atribuida a defesa deste licenciado por tempo ineterminado, “remunerado”.

  3. antonio francisco da silva Responder

    Se estivessemos em outro pais essa revista veja que para mim é um caderno da direita nazista ,teria perdido o direito de promover discordia e mentiras para desestabilizar o governo.

  4. Acho quer para nao ter duvida alguma, o novo Senador deveria dizer a verdade, porque foi demitido do governo de Requiao, o senador Requiao esta afirmando que demitiu do seu governo e que o Pessuti sabe o porque. Espero uma resposta já que ele nao recebeu nenhum voto para se tornar senador. Vamos, o Pessuti tambem poderia dizer isso já que afirma que a mae do novo Senador trabalhou pra ele. Dizem até que o mesmo estava na lista dos fantasma da AL. Espero esclarecimento. Nessa acredito mais no Requiao.
    Thiago

  5. por isso não querem a lei de midia, denuncismo como estes acabarão, ou se prova ou não se publica. chama a regulamentação de mídia de censura, eu a chamo de responsabilizar o mal jornalismo pela boataria e denuncias sem provas. Em nenhum país desenvolvido isto é permitido, só aqui, porque os politicos têm medo da mídia por suas falcatruas e a mídia explora estes politicos como já demosntrado mais de uma vez.

  6. QQ NOTICIA VEICULADA PELA REVISTA, NÃO TEM, DE ANTEMÃO, QQ CREDIBILIDADE ATÉ PROVA INCONTESTE!!!!!
    MESMO SENDO UMA VERDADE UNIVERSAL!

  7. O futuro senador disse que ele recebia aquela merreca, que nem dava pra pagar a faculdade. Então um dos dois está mentindo, ou o Pançuti não sabe o que está dizendo, ou o futuro senador está inventando esta estória de que recebia o dinheiro que era destinado à mamãe. Tony

  8. Luís Adolfo Kutax Responder

    Se agora já está tão invejado, imaginem a hora que efetivamente começar a trabalhar.
    Bom levar para Brasília um vaso com “espada de São Jorge”, outro com “pimenteira”, outro com “arruda”, e para garantir um pouco de “sal grosso benzido”
    Parabéns, mas cuidado, se trabalhar demais vai ser criticado….
    Abraços Pessuti e Sérgio….

  9. As raposas precisam acabar com essa história de suplente de senador. No caso de impedimento do mais votado (e empossado), deveria assumir logicamente o segundo mais votado. Não faz o menor sentido termos um senador que nunca teve um voto sequer na vida – enquanto, no nosso caso, temos o Gustavo Fruet colocado em 2o. lugar. Deveria sempre assumir o 2o. colocado. Suplente é um nada político.

Comente