Uncategorized

Mais greve, agora dos trabalhadores da Bosch

Mais uma categoria deflagra greve. Agora, os 4,6 mil funcionários que trabalham na unidade da Bosch na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir desta sexta-feira (17), em assembleia realizada ns porta de fábrica nesta manhã. Eles reivindicam uma proposta melhor no valor a ser pago pela participação nos lucros e resultados (PLR). As informações são de Luciana Cristo do Estado do Paraná.

A paralisação inclui 3,6 mil trabalhadores chão de fábrica e outros mil do setor administrativo da Bosch. Nas últimas 48 horas – prazo estipulado pela categoria – a Bosch melhorou a proposta do PLR com aumento de R$ 200, elevando o valor total a ser pago para R$ 4,8 mil, com pagamento da primeira parcela de R$ 4,2 mil.

Essa contraproposta foi vaiada pelos trabalhadores durante a assembleia e rejeitada de forma unânime. Eles pedem PLR de R$ 9 mil, com antecipação da primeira parcela de R$ 5 mil. Como argumento, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba justifica que empresas de porte semelhante ao da Bosch – como Renault, Volvo e Volks – fecharam acordos de PLR na faixa R$ 12 mil a R$ 15 mil.

Nova assembleia para definir os rumos do movimento está marcada para a próxima segunda-feira (20), às 5h. A reportagem de O Estado entrou em contato com a Bosch e aguarda um posicionamento da empresa sobre o assunto.

“Pacotão” na New Holland

Os trabalhadores da planta da Case New Holland (CNH) em Curitiba – que também ameaçavam entrar em greve – fecharam acordo com a empresa, que foi aprovado pela categoria nesta manhã. De forma semelhante ao acordo fechado na Volkswagen, os metalúrgicos fecharam um “pacotão” na CNH: além de PLR de R$ 8 mil, com primeira parcela de R$ 5 mil a ser paga ainda este mês, o acordo inclui data-base, abono e 2,5% de aumento real.

4 Comentários

  1. Manfred Schultz Responder

    Se demitir a metade, mesmo que pese no bolso não ha pessoas capacitadas o suficiente para produzir, administrativos não tem capacidade operacional. A empresa hoje pela manha tirou de circulação cerca de 15 viaturas policiais do 13°Batalhão para prestar serviço de segurança patrimonial na porta da bosch durante a Assembleia de hoje (22). Insunuando que seus colaboradores do piso de fabrica fossem bandidos ou quisessem agredir alguem.
    Senti vergonha.

Comente