Uncategorized

Cemitério de elefantes brancos

Demétrio Magnoli, um dos mais lúcidos e corajosos intelectuais brasileiros, assina um artigo que merece reflexão sobre a Copa do Mundo. Intitulado “Festa Macabra”, o texto enumera alguns números para demonstrar que a Copa do Mundo é um “sorvedouro implacável de recursos públicos”.

“Antes das Copas, consultores associados às redes mafiosas produzem radiosas profecias sobre os efeitos econômicos do evento. Depois, quando emergem os resultados efetivos, eles já estão entregues à fabricação de ilusões no porto seguinte. A África do Sul gastou US$ 4,9 bilhões em estádios e infraestrutura, que gerariam rendas imediatas de US$ 930 milhões derivadas do afluxo de 450 mil turistas, mas só arrecadou US$ 527 milhões dos 309 mil turistas que de fato entraram no país”, comenta Magnoli.

“Eventos esportivos globais tendem a gerar ruínas urbanas mesmo em países mais inclinados a zelar pelo interesse público. Japoneses e sul-coreanos ainda subsidiam a manutenção das arenas da Copa de 2002. As dívidas contraídas para as obras da Olimpíada de Atenas e da Eurocopa de 2004 aceleraram a marcha rumo à falência da Grécia e de Portugal”, prossegue.“A África do Sul incinerou US$ 2 bilhões na construção e reforma das dez arenas da Copa. Todas, com exceção do Soccer City, de Johannesburgo, usado para jogos de rúgbi e shows, figuram hoje como monumentos inúteis, conservados pela injeção de dinheiro público. A Cidade do Cabo paga US$ 4,5 milhões ao ano pela manutenção da arena de Green Point, erguida ao custo fabuloso de US$ 650 milhões e usado apenas 12 vezes depois da Copa. Lá, desenrola-se um melancólico debate sobre a alternativa de demolição do icônico estádio, emoldurado pela magnífica Table Mountain”, continua.

Nesse balanço sinistro do cemitério de elefantes brancos gerados pela Copa, Magnoli não está computando o roubo, o desvio, a mutreta, a propina e o superfaturamento, tão caros as nossas tradições nativas. Magnoli admite um único viés positivo nessa desgraceira toda. “O verdadeiro legado positivo da Copa de 2010 foi a mudança de paradigma no sistema de transporte público urbano, pela introdução de ônibus, em corredores dedicados, e também do Gautrain, trem rápido de conexão com o aeroporto de Johannesburgo”, diz.

Ainda assim, a mudança provocou distorções na África do Sul. A torcida dos brasileiros, além daquela desempenho da Seleção, deve ser para que o transporte coletivo melhore. Esperar mais que isso parece fora da realidade.

9 Comentários

  1. Caderno de encargos da FIFA!
    Quem será que escreve?
    Não existe parâmetro no mundo para as exigências para a próxima Copa!
    Enquanto isso os campeonatos locais e continentais são disputados em verdadeiros potreiros!
    Deviam se preocupar com o básico!
    Campo de jogo – gramado – e segurança… o resto se amolda ou se conforma!+

  2. Essa copa vai ser um fiasco deficitário, por conta da inteligência de Luiz Inácio…..

  3. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Pois bem, começou a farra da Copa. Enquanto o Estado de Roraima detém um dos mais baixos índices de saneamento básico do País, o Senador Romero Juca, na maior cara de pau, pleiteia uma verba de R$ 160 milhões para construir um estádio de futebol para 25 mil torcedores. Só porque esse relapso político acredita que a capital, Boa Vista, poderá ser subsede da Copa de 2014.

    E como muito bem relata a matéria do Estadão de 14/12 (A6), a média de público no campeonato local não passa de 90 espectadores…

    Pois bem, para consumir esses R$ 160 milhões pretendidos, certamente o superfaturamento será monumental! Já que na cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, a prefeitura local reformou radicalmente o Estádio da Fonte Luminosa, concluído em 2009, para 25 mil torcedores, por apenas R$ 20 milhões.

    E é considerado hoje uma das arenas para a prática de futebol das mais modernas do País!

    Um homem público que tem a desfaçatez de apresentar uma proposta dessas não deveria ser cassado, mas preso, aliás, Lula da Silva também deveria estar preso pois, a idéia de girico de trazer a Copa para o Brasil foi deste imbecil e apenas para fazer populismo.

    É uma vergonha mas, o povo tem sua parcela de culpa pois acredita e vota na quadrilha do PT.

  4. Vigilantes do peso Responder

    Quantas escolas, creches, hospitais entre outros equipamentos públicos poderiam ser construídos com os mesmos recursos da Copa. A geração de empregos seria maior e a concentração de recursos na mão de poucas empresas poderia ser evitada. Em fim, o bicho ta aí. E a massa de desdentados que perderam a geral à muito tempo, vai poder ver aos jogos de suas tvs financiadas em suaves prestações, comendo torresmo e bebendo cerveja, pinga entre outros afrodisíacos entorpessentes. E aos bons muito dinheiro no bolso e o povo que vá se ……..

  5. Magnoli é a voz nacional contra esse evento ridiculo e recheado de contradições, ta na hora de dizermos não a esse absurdo.

  6. Parreiras Rodrigues Responder

    Na Roma antiga, engabelava-se o povo com pão e circo.

    Agora, acrescentam o futebol.

  7. Parreiras Rodrigues Responder

    Na Roma antiga, engabelava-se o povo com pão e circo.

    O circo agora é futebol.

    Mas os palhaços ficam nas arquibancadas.

  8. Se uma Copa dessas vai para os Estados Unidos eles podem se dar bem pois a lógica protestante que fundou a economia americana ensinou-lhes tirar proveito das oportunidades mais diversas e gerar riqueza para eles.

    Um Copa dessas não vai para nenhum país da Escandinávia. Eles não são trouxas de bagunçar a sua sociedade organizada e com qualidade de vida.

    Um Copa dessas foi à Coréia e Japão e foi para a Grécia e os prejuízos logo se apresentaram nos índices de crescimento desses países.

    Uma Copa dessas foi para a Africa do Sul, já se sabe porque e as consequencias estão aí para desgraça dos negros sul africanos, que serão os mais prejudicados com as consequências de terem de sustentar os elefantes brancos.

    Uma Copa dessas vem ao Brasil, ora se vem, para que, como dizia o Padre Vieira, possam conjugar o verbo rapio “por todos os modos da arte — o indicativo, o imperativo, o optativo, o permissivo, o conjuntivo, não lhes escapando os imperfeitos, mais-que-perfeitos e quaisquer outros porque furtam, furtaram, furtariam e haveriam de furtar mais, se mais houvesse”.

    Aqui será a opera total da Viúva Alegre !

  9. Se as recentes denúncias envolvendo a Fifa procedem, e tudo indica que procedem, o Brasil foi “escolhido” para sediar a Copa por propina. Então, na hora de computar os prejuízos desse evento, devemos lembar o que já foi gasto pelo deslumbrado para que o país fosse escolhido por unanimidade pelos cartolas corruptos.

Comente