Uncategorized

PR indica Maggi para ocupar Transportes

Nome foi fechado em um encontro entre os líderes na tarde desta quinta. Ex-ministro Nascimento ficará de fora das negociações com Dilma Rousseff.

Iara Lemos do G1

Os líderes das bancadas do PR no Congresso decidiram na tarde desta quinta-feira (7) indicar o senador Blairo Maggi (MT) para comandar o Ministério dos Transportes. Alfredo Nascimento deixou o cargo nesta quarta-feira (6), após denúncias da revista “Veja” de superfaturamento em obras . O nome de Maggi foi definido em um encontro, que teve a presença além do próprio Maggi, do ex-ministro Alfredo Nascimento e dos líderes do PR no Senado, Magno Malta (ES), e na Câmara, Lincoln Portela (MG).

“O Blairo é o número um da lista do partido. É claro que a decisão é da presidente Dilma, mas os sinais que o governo deu é de que o PR poderia fazer a indicação. E vamos levar para ela [Dilma] o nome do Blairo”, afirmou Portela.

Maggi indicou para a pasta dos Transportes Luís Antônio Pagot, ex-Diretor-Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit), que caiu na esteira da crise envolvendo Nascimento.

Além de indicar o nome de Blairo Maggi para o cargo, os líderes também definiram que o ex-ministro Alfredo Nascimento e o deputado federal Valdemar Costa Neto (SP) não vão participar das negociações com a presidente da República, Dilma Rousseff para a escolha do novo comandante da pasta. Ambos foram citados na reportagem que detalhou um suposto esquema de superfaturamento em obras no ministério.

Alfredo Nascimento, que reassume nesta quinta a presidência nacional do PR e também a vaga no Senado, chegou a ser confirmado como principal articulador do PR para a escolha do sucessor, logo depois de deixar o cargo. Segundo o líder do PR, a decisão de não atuar nas negociações foi do próprio ex-ministro.

“O Alfredo está muito entristecido. Ele abriu seu sigilo fiscal, bancário e por esses motivos todos achou melhor ficar fora da decisão. Ele não quer participar das indicações, apesar de voltar à presidência do PR e ao Senado. Nem ele nem o Valdemar”, disse Portela.

Nascimento deixou o cargo após reportagem da revista “Veja”, que relatou que representantes do PR, partido ao qual pertence o ex-ministro e a maior parte da cúpula do ministério, funcionários da pasta e de órgãos vinculados teriam montado um esquema de superfaturamento e recebimento de propina por meio de empreiteiras.

Mudanças no Ministério dos Transportes

O antigo secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, assumiu interinamente nesta quinta a pasta, anteriormente comandada por Alfredo Nascimento, que pediu demissão na tarde de quarta, após denúncias de superfaturamento em obras. A crise se agravou nesta quarta após suspeitas de que o filho do ministro tenha enriquecido ilicitamente em razão do cargo do pai.

De acordo com o Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff deve decidir “nos próximos dias” quem ocupará a pasta em definitivo. Passos ocupava o segundo cargo mais importante da pasta, a secretaria-executiva dos Transportes.

5 Comentários

  1. NÃO ERA DO PR O OUTRO MINISTRO TRAPALHÃO.

    SÓ FALTA POR OUTRO PARA CONTINUAR O ROUBO.

    COM TANTOS QUERENDO TD, É MELHOR VER CERTINHO QUEM VAI COMANDAR O TRANSPORTE.
    COM TANTA SUJEIRA, É PERIGOSO O BRASIL ENCALHAR.

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    Bom para o Paraná o Maggi.

    Oportunidade da gente fazer outra ponte para o MS. A da travessia no Porto São José, distrito de São Pedro do Paraná.

    E outra ligando o Noroeste paranaense ao Oeste paulista através do Porto Euclides da Cunha,

Comente