Uncategorized

“Senta aqui, Bolsonaro!”, brinca Laerte

Foto: Leticia Moreira/Folhapress

Da Folha.com

O cartunista Laerte, 60, participou nesta quinta-feira (7) de um debate sobre cross-dressing e homofobia na Casa Folha, espaço do jornal Folha de S.Paulo na Flip, em Paraty (RJ).

A plateia lotada e as pessoas que se aglomeravam do lado de fora da Casa, na rua da Matriz, ouviram por mais de uma hora o depoimento de um dos maiores quadrinistas da atualidade sobre o impulso de se vestir de mulher, a reação da família e de amigos, orientação sexual, humor e preconceito.

“Eu mesmo, quando jovem, pratiquei bullying contra gays. Costumava hostilizar um primo meu que dizia ‘Ave!’ no lugar de ‘porra!'”, revelou, explicando como reprimia sua bissexualidade.

Para combater a homofobia, Laerte defendeu que os crimes contra homossexuais sejam classificados da mesma maneira que o crime de racismo e que o movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) lute contra a guetificação. “Você tem que sair das trincheiras e lamber o pescoço. Tipo: ‘Senta aqui, Bolsonaro!'”, brincou, arrancando gargalhadas do público.

Leia matéria sobre crossdressers na Revista Ideias

14 Comentários

  1. Como jornalista deveria dar mais atenção ao posicionamento correto e útil como se manifestou o Deputado Bolsonaro e não a essas piadinhas de mau gosto como as do Laerte.
    Os jornais e TVs falam diariamente dos problemas de sexo nas ruas e com menoires. Mas, ao mesmo tempo, elogiam os maiores pela prática resultante da não informação a esses mesmos que um dia foram menores e já praticavam isso

  2. sou do tempo que fumar era bonito e ser gay era feio, hoje fumar e feio e ser gay e bonito………

  3. Triste o que certas pessoas que não sabem aceitar a idade e a diminuição da fama fazem para ter um minuto de atenção!

  4. Ofender heterossexuais pode, então?

    Que grande palhaçada! Ensinar o que é errado agora querem fazer parecer certo, e ensinar o que sempre foi o certo tão querendo transformar em crime inafiançável… Era só o que faltava!

  5. Sandra Silva da Luz Responder

    Sou do tipo meia lerda, que fica sabendo das coisas um tempão depois, mas gostei muito da matéria e acredito que você está certíssimo. Cada um sabe de sí e tem que sentir-se bem, seja como for. Gostei do seu estilo franco, mas respeitoso de tratar questões tão delicadas como a bissexualidade, ainda tratada com tanto preconceito. Você arrasou na entrevista com a Gabi. Parabéns!

Comente