Uncategorized

Defesa de Carli Filho apresenta novo recurso


De Rogério Galindo do Caixa Zero

O ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli está com um novo recurso para tentar evitar que seu caso seja julgado por um júri popular. No mês passado, o Tribunal de Justiça confirmou que o caso, por suas características, deveria ser julgado desse modo, e não por um juiz.

Pela lei brasileira, o caso vai a júri quando há dolo ou dolo eventual. Ou seja: no caso de Carli Filho, acusado de provocar um acidente de trânsito que causou duas mortes, a dúvida era se ele tinha noção de que seu comportamento poderia matar alguém e resolveu arriscar mesmo assim.

A decisão do dia 17, embora tenha tirado alguns agravantes (como a de embriaguez) manteve o júri. Agora, os advogados de Carli, liderados por René Dotti, apresentaram um recurso chamado “embargos de declaração”. Ou seja: a defesa viu alguma incoerência na decisão dos desembargadores e pede revisão, ou esclarecimento.

Nesta terça-feira, o caso chegou às mãos do relator do caso, Naor Macedo Neto, para julgamento.

Depois disso, Carli Filho ainda teria direito, em tese, de recorrer aos tribunais superiores, em Brasília, antes de ir efetivamente a júri.

8 Comentários

  1. David, não concordo com a atitude do ex-deputado, mas vamos falar sério, “se não fosse deputado tava preso fazia anos”….?
    Todos os finais de semana morrem jovens em virtude de bebida e direção e pouco se fala nisso, quato mais se prende alguem, só se falou nisso porque ele era deputado… caso contrário, seria apenas mais um playboy embriagado que causou acidente, como estamos habituados a ver todos os finais de semana em Curitiba.

  2. Parece brincadeira.
    Quantos recurso pode ser apresentado?
    Já derveria ter sido julgado e preso.

  3. Osiris Duarte de Curityba Responder

    É A MARAVILHOSA (no mau sentido) DINÂMICA DO DIREITO … E É ASSIM QUE OS ADVOGADOS GOSTAM … ELES (os advogados) CHEGAM A TER ORGASMOS MÚLTIPLOS …

Comente