Uncategorized

Escândalo dos Transportes mantém Bernardo no foco

O ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, não consegue sair do foco no caso do escândalo que derrubou a cúpula do Ministério dos Transportes. Bernardo, que era ministro do Planejamento no governo anterior, foi apontado por Luiz Antonio Pagot como ordenador de aditivos em obras do PAC. Aditivos que teriam turbinado campanhas políticas. Nos depoimentos que prestou na Câmara e no Senado, Pagot não confirmou a acusação, mas o ministro não sai da berlinda.

O ministro contribui para ficar no foco com declarações pouco felizes. Ontem tentou dar um viés de “normalidade” as irregularidades e escândalos dos Transportes. Argumentou que é é “quase impossível” que não haja problemas no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), tendo em vista o orçamento polpudo do órgão, que será de quase R$ 14 bilhões neste ano.

“Você supor que não tem nenhum problema é quase impossível, o Tribunal de Contas da União tem seguidamente apontado problema no governo, e é assim que vai continuar sendo feito”, disse, defendendo apuração das denúncias de irregularidades no setor.

Bernardo falou ainda que acredita no diálogo para solucionar a crise entre PR e PT, desencadeada após o escândalo nos Transportes.

Em seguida, afirmou que a presidente Dilma Rousseff está “determinada a fazer com que as coisas andem direito”, no Dnit e em qualquer outro ministério.

13 Comentários

  1. No Brasil, diante da total ausência de programa, de projeto, os representantes políticos (DEM e PSDB) e midiáticos (mídia comercial) do modelo neoliberal e fracassado que levou a economia mundial para o atoleiro, voltam-se mais uma vez para o tema da corrupção.

    Ora, tomando as denúncias de corrupção como critério, o processo de privatizações no período FHC é imbatível.

    Essa é uma história velhíssima na política brasileira. Já foi usada várias vezes, contra diferentes governantes. Afinal de contas, os corruptos seguem agindo dentro e fora dos governos.

    Aparentemente, por uma curiosa mágica, eles são apresentados sempre como um ser que habita exclusivamente a esfera pública. Quando algum corrupto privado aparece com algemas, costuma haver uma surda indignação contra os “excessos policiais”.

  2. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Os brasileiros estão tão fascinados com as mentiras do PT de Lula da Silva que não tem escandalo que derrube esta quadrilha.

  3. Voces notaram que em cada novo rolo envolvendo Pagot, Hidelraldo Caron, DNIT aparce o DNA do Paulo Bernardo.
    Sera coincidencia ou e envolvimento mesmo.

  4. Caro Ernesto,

    A herança bendita das privatizações no governo FHC, é que
    mantém em pé esse governico que aí está. Aliás, todos os
    argumentos seus podem ser facilmente contestáveis.

  5. zilomar Gabiati Responder

    Vitor, o Fernando Henrique nao privatizou nada. Ele deu tudo. E agora p finalizar, faz discurso em prol da liberacao da maonha.

  6. Caro Vitor, vc está completamente enganado, o FHC entregou o país quebrado e insolvente, seus argumentos é que são facilmente contestáveis.
    É só verificar a saúde da economia brasileira na época, FHC teve que se socorrer 3 vezes ao FMI, a avaliação do PSDB era de que o país iria quebrar novamente somente 3 meses após a sucessão do FHC. Esqueceu disso, ou vc tem memória seletiva? É só pesquisasr. O Brasil até hoje tem prejuízos com a primeira privatização do FHC, que foi da RFFSA, nunca fiscalizaram a ALL e sumiu até trilhos de ferrovia, depredaram estações, venderam propriedades da União, etc …
    Tanto fizeram que o programa de privatização neoliberal ficou conhecido como PRIVATARIA.

  7. Zilomar, agradeço seu comentário, mas banqueiros incompetentes no governo FHC perderam seus bancos, (bamerindus, econômico, nacional), o que ocorre hoje?
    SIMPLESMENTE ADOTA-SE O BANQUEIRO COMO FILHO
    MEU, SEU, DE TODOS NÓS, recorde Silvio Santos, Antonio Ermírio de Morais e outros que vierem quebrar neste governo.
    As comunicações, nem se fala, eram via fumaça.
    O PT transformou o governo em uma das maiores máquinas de corrupção do mundo e não há como negar.

  8. porrete de lapacho Responder

    ERNESTO MOCINHO ingenuo da mente lavada

    quando FHC entregou o país aos petralhas nossa dívida era de aproximadamente 800 bilhões. quando o CACHACEIRO ILUSIONISTA LULALAU, Entregou o país à quadrilheira rousseff, a divida era de 1 trilhão e 600 bilhões.

    o grande engano que FHC cometeu foi, não permitir o impeachment do lula, quando estourou o mensalão,

  9. Porrete Tucano, que piada. FHC entregou o país arruinado economicamente. A equipe econômica de Lula não só colocou o país nos trilhos novamente como fez do país um exemplo em crescimento, geração de empregos. Os juros altos são realmente uma lástima, mas a considerar que no governo FHC era 3 vezes maior. Em que mundo você vive criatura? Deixa de ser apaixonado pelo PSDB, esses caras afundaram o pais.

Comente