Uncategorized

A indústria do Paraná perde

A Ó TV, canal a cabo da RPC/TV, propôs fazer um programa ao vivo, na próxima quarta-feira (27), colocando os candidatos à presidência da FIEP, Ricardo Barros e Edson Campagnolo, para conversar sobre os seus projetos para alavancar as indústrias do Estado.

O modelo não seria o de debate. Seguiria a linha dos programas de entrevistas com os candidatos na mesma bancada, conversando sobre os principais problemas que afetam o setor e contrapondo seus pontos de vistas. A intermediação ficaria a cargo do competente Erivelton Oliveira.

Ao tomar conhecimento do programa, Barros logo se prontificou a ir. Remarcou a agenda, que anda repleta de viagens e reuniões, pois vê no programa a possibilidade de debater o futuro da indústria do Paraná.

Entretanto, o candidato Campagnolo, depois de uma longa demora, não aceitou a proposta e se esquivou do diálogo com Ricardo Barros.

Quem perde com isso são os industriais e sindicatos do Paraná que teriam no programa uma ótima chance para comparar os candidatos e os seus planos de governo.

5 Comentários

  1. Entendo que o NÃO aceite do candidato Campagnolo, JAMAIS deveria desmobilizar a OTV, de FAZER a reportagem. A população + industriais + sindicatos, precisam saber o que o (s) candidatos tem a propor. Peço e reitero a RPC que continue na intenção de realizar esta ENTREVISTA, oportunizando os teleespectadores, de fazerem perguntas por telefone ou internet. DEMOCRACIA, ampla, total e irrestrita. O Paraná agradece por esta iniciatica da RPC.

  2. Se fugiu do debate é porque não tem um programa para
    a fiep nem para defender as industrias do Paraná, quem
    foge de debate é fraco, todos ja sabiam que o campagnolo
    seria uma marionete nas mãos de ROCHA LOURES.

  3. O Sandro Dalpicolo, também, tem um desempenho excelente como apresentador. A RPC é um celeiro de BONS talentos, e explora a Globo do país todo. Recentemente, reporter assumiu a atividade em São luis, no Maranhão. O PR é um grande celeiro de talentos, que dão certo, no país todo.

Comente