Uncategorized

Debandada no PMDB
do Paraná

Josianne Ritz do Blog Política em Debate
Foto Márcia Kalume da Agência Senado

O senador Sérgio Souza (PMDB), que assumiu a vaga após a ascensão de Gleisi Hoffmann (PT) como ministra da Casa Civil, alertou ontem que o PMDB do Paraná corre o sério risco de um esvaziamento nas eleições municipais de 2012 por conta da falta de rumos e divisões internas. Ele admitiu que o partido hoje está dividido entre os grupos do senador Roberto Requião, do ex-governador Orlando Pessuti e dos deputados da legenda. E diante dessa situação de incerteza, muitos potenciais candidatos a prefeito e vereador estão migrando para outras siglas, em especial o PSDB e outros partidos da base do governo Beto Richa. “Não vamos conseguir segurar”, avalia ele.

Souza acredita que o PMDB passa por uma fase de transição, pelo fato de ter deixado de ser governo depois de oito anos. E não vê solução a curto prazo para esse “racha”, prevendo que ele deve prevalecer até depois das eleições municipais do ano que vem.

6 Comentários

  1. EXCELENTE COLOCAÇÃO DO SENADOR, TEM RAZÃO NO QUE FALA, TA MOSTRANDO A QUE VEIO.
    PARABÉNS

  2. O caciquismo sempre fez parte dos costumes do velho de guerra. O senador só está sendo o óbvio, o povo está pulando fora da canoa, e estão pulando na canoa do Beto, que tem o poder na mão. Trata-se de uma escolha óbiva, ou se está com o poder, ou se está morto. Tony

  3. Não sei de outras localidades, mas na Região Metropolitana, o PMDB não possui identidade própria, tanto que seus afiliados negociam e quando perdem se arranjaram com os novos governantes, e a nível maior o que acontece com os pemedebistas no governo do Estado atual.

Comente