Uncategorized

Grampo: secretário-geral do Turismo orienta a fraude

No dia em que o governo mostrou-se incomodado com o uso de algemas na prisão de servidores do Turismo, começaram a soar os grampos da Polícia Federal.

Numa das escutas telefônicas, o secretário-executivo do ministério, Frederico da Costa (na foto), dá orientações a um dos faudadores.

Chama-se Fábio de Mello. É dono de uma das empresas de fachada que receberam repasses do Ibrasi, o instituto em cujas arcas o dinheiro publico aportou.

Gravado com autorização da Justiça, o diálogo vadio foi veiculado pela TV Globo. Pode ser ouvido também aqui.

Aqui, uma transcrição ampliada da conversa. Frederico, o número 2 do Turismo, pede ao “empresário” Fábio que capriche na “fachada”:

– Frederico: Escuta, aquela sede ali, dentro do que tá vindo para cima, não atende, nós temos que fazer um negócio de imediatíssimo, um aluguel de dois, três meses, colocar uma baita placa e mudar o endereço no site urgente, porque possivelmente alguém vai bater foto lá.

– Fábio: Tá bom! Até sexta-feira, combinado isso?

– Frederico: Combinado, mas pega um negócio ai pra chamar a atenção, assim, de porte, por três meses.

– Fábio: Tá bom, mesmo se for por um ano a gente segura, não tem problema não!

– Frederico: Mas é pra ontem! Que se alguém aparecer para tirar uma foto lá nos próximos dois dias, as chances são altas.

– Fábio: Tá! Então vou correr com isso aqui. (…)

– Frederico: Pega um prédio moderno aí, meio andar, diz que tá com uma sede que está em construção, mas por enquanto…

– Fábio: A gente tem um prédio de três andares, grande (…).

– Frederico: Mas o importante é a fachada e tem que ser uma coisa moderna que inspira confiança em relação ao tamanho das coisas que vocês estão fazendo.

– Fábio: Tá bom, tranquilo.

– Frederico: Um abraço.

A dupla integra o grupo de 36 presos da Operação Voucher. Os dois já foram ouvidos pela PF e pelo Ministério Público em Macapá (AP).

Fábio foi liberado após a inquirição. Frederico continua preso. Receia-se que, solto, interfira nas investigações, prejudicando-as.

A defesa de Frederico alega que o diálogo divulgado está fora de contexto e não se refere ao convênio objeto da investigação, no valor de R$ 4,45 milhões.

O Ibrasi, de fato, beliscou outros convênios na pasta do Turismo. No total, amealhou algo como R$ 17 milhões desde 2009.

Frederico aportou no ministério em 2003, no alvorecer do primeiro mandato de Lula. Atravessou as gestões de três ministros, em diferentes cargos.

Nomeado por Walfrido dos Mares Guia (à época no PTB), Frederico foi mantido por Marta Suplicy (PT) e pelo sucessor dela na pasta, Luiz Barretto (PT).

Sob o ministro Pedro Novais (PMDB), ministro de Dilma, Frederico foi alçado ao segundo posto na hierarquia do ministério. Com os aplausos do petismo.

Como se vê, Dilma Rousseff tem motivos de sobra para estender suas preocupações para além do problema do uso de algemas.

Sob pena de a platéia dar razão a Frederico: “O importante é a fachada.”

7 Comentários

  1. Governador tucano de Minas é alvo de CPI que defende contra Dilma
    Defensor de uma CPI da Corrupção contra Dilma Rousseff, Antonio Anastasia (PSDB) enfrenta a mesma tentativa de parlamentares adversários de investigar fraudes em diversas áreas do governo de Minas. Para opositores, tucano repartiu cargos entre partidos aliados. Anastasia possui secretário com bens bloqueados, outro que dirigriu o DNIT, além de ter nomeado para conselho de estatal mineira um ex-senador do Amapá e um ex-prefeito de Cuiabá (MT).

  2. Isso tudo é herança do maldito desgoverno do luladrão. E não adianta a petezada vir gritando em defesa do bebado, pois foi ele que iniciou essa roubalheira toda não punindo os “cumpanhero” do mensalão.

  3. Antonio Cabrera de Sá Responder

    Quem tá achando ruim da policia ter colocado ALGEMAS, talves deveria estar algemado tambem.kkkkkkkkkkkk.

  4. É isso ai cara presidente Dilma, a senhora precisa mesmo ficar indignada com o uso das algemas, pois em breve a senhora também poderá ser algemada, não é mesmo?

  5. O Brasil caminha para descaminhos obscuros e faz\ tempo. Levantem-se os brasileiros do bem e de brio e que surjam lideres que revolucionem este Pais maravilhoso e que coloquem as engrenagens a fiuncionar corretamnente.

Comente