Uncategorized

Comissão de Segurança Pública debate a polêmica das “algemas”



Francischini alega que toda a polêmica do uso das algemas na Operação Voucher tem como objetivo desviar o foco das denúncias

O deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR) e o deputado Mendonça Prado (DEM-SE), reuniram lideranças representantes dos policiais federais – delegados, agentes, peritos, papiloscopistas e administrativos – para participar da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO).

A polêmica sobre a investigação da PF ressurgiu durante a ‘Operação Voucher’, deflagrada no início do mês, quando 38 pessoas ligadas ao Ministério do Turismo foram presas acusadas de desvio de verbas públicas ocorrido em 2009.

Para o deputado Francischini as críticas relacionadas ao uso de algemas têm como objetivo desviar o foco das denúncias e desqualificar a atuação da Polícia Federal, assim como em 2008, quando as algemas foram criticadas durante a “Operação Satiagraha”.


“As algemas na maioria das vezes são necessárias e preservam a vida do policial e do preso. Quando a família, os amigos e defensores do acusado não conseguem defendê-lo, citam as algemas para tentar desqualificar o trabalho. Além do que as algemas só foram utilizadas durante o transporte aéreo. A legislação aeronáutica diz que tal medida é obrigatória. Infelizmente, passou a ser delito maior que desvio de milhões dos cofres públicos”, afirmou.
As entidades classistas denunciaram a situação alarmante que atingiu a Polícia Federal, diante dos cortes no orçamento da União para 2011 e que acabam por reduzir o deslocamento de policiais em operações.

O orçamento do Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-Fim da Polícia Federal (Fenapol), previsto inicialmente em R$ 479 milhões, foi reduzido em 28%. Gastos com diárias, transporte, hospedagem e alimentação de policiais federais em missão ou operações oficiais, custeados pelo fundo, foram limitados a R$ 58 milhões este ano – uma redução de cerca de 35% em relação aos R$ 89,8 milhões utilizados em 2010.

7 Comentários

  1. Cara! Finalmente concordei com o Francischini! Achei que isso jamais aconteceria. Correto!

  2. ORA SE ATÉ O PRESIDENTE DO FMI FOI ALGEMADO NOS EUA, POR ACUSAÇÃO DE ESTRUPO, PORQUE CORRUPTOS NÃO DEVEM SER ALGEMADOS, DAQUI A POUCO ATÉ FERNANDINHO BEIRA MAR NÃO VEI QUERER USAR ALGEMAS PORQUE CONSTRANGE SUA MORAL.

  3. ALEM DE ALGEMAS ELES DEVERIAM APANHAR NA CARA, SÃO LADRÕES COMO QUALQUER OUTRO, TALVEZ PIOR PORQUE A ELES FOI CONFIADO A GUARDA DO DINHEIRO PUBLICO,

  4. Tenho orgulho de ter votado no Delegado/Deputado Francischini.
    Um dos poucos político honestos da Câmara Federal.

  5. Interior do Paraná Responder

    Mais uma vez me orgulho do voto que fiz para Deputado Federal, Francischini mostrando a que veio…conte com os votos nao so de Curitiba porque o interior também está observando seu trabalho..

Comente