Uncategorized

Tribunal de Justiça solicita carro blindado e colete à prova de balas

O assassinato da juíza Patrícia Accioli no Rio de Janeiro na semana passada fez com que a segurança dos magistrados de todo país fosse reavaliada. A ministra Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça, chegou a afirmar que o judiciário brasileiro tem “cochilado” neste assunto. Agora, o desembargador Miguel Kfouri Neto, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, solicitou a aquisição de um automóvel blindado e coletes à prova de balas para serem utilizados pelos juízes paranaenses que recebem ameaças de morte.

Além disso, o desembargador solicitou ao governador Beto Richa a inclusão dos margistrados no Projeto Paraná Seguro e o policiamento adequado nos fóruns e comarcas de todo estado. Segundo os dados dos tribunais de justiça, 69 magistrados estão sendo ameaçados, 13 sujeitos a situação de risco e 42 escoltados.

3 Comentários

  1. Essa é ótima. Uma única situação ocorre e já serve de desculpa para ter carro blindado, com motorista e guarda-costas para dezenas de juízes. Enquanto isso o populacho continua levando chumbo.

  2. Eles ganham uma nota preta,que paguem segurança particular.Deixem a polícia para o povo.

  3. Romão Miranda Vidal Responder

    Que falta de pudor. Que falta de vergonha. Que falta de coerência. Quem pensam que são estes servidores públicos, para se arvorarem acima de tudo e de todos? Será que os gastos nababescos com os seus gabinetes, com os altíssimos salários que recebem, com as gratificações, com as maracutaias juridicas que a imprensa denuncia todos os dias, não bastam? E ainda querem carros blindados? Como diz o velho ditado “Quem não deve, não teme” Por que o dito capa preta, não anda de ônibus? Por que não frequenta o Alto Maracanan para sentir o pulsar de um povo sofrido? Por que não doa parte do seu salário para um leprosário? Não. Querem sempre mais e mais. Quem sabe estejam pleiteando uma escolta armada, com batedores da Polícia Militar….

Comente