Uncategorized

Ministro da Agricultura diz que terá carta branca para mudanças

De Maria Clara Cabral da Folha Online

O ministro Mendes Ribeiro (Agricultura) disse que terá carta branca da presidente Dilma Rousseff para fazer modificações na pasta.

Segundo ele, todos os casos com suspeitas de irregularidades, incluindo o revelado pela Folha que envolveu a FGV (Fundação Getúlio Vargas), serão discutidos com o ministro Jorge Hage (Controladoria-Geral da União) na próxima segunda.

Após encontro com Dilma nesta sexta-feira, o ministro disse que os órgãos de controle terão total liberdade para investigar eventuais irregularidades.

“Se não fosse encontrar pepino no Ministério da Agricultura, não encontraria em outro lugar”, disse.

Ontem, a Folha mostrou que o nome da FGV foi usado indevidamente no ano passado para fraudar uma licitação do Ministério da Agricultura que terminou com a vitória da fundação mantenedora da PUC de São Paulo.

“Estou fazendo um exame detalhado do ministério com toda a cautela para poder imprimir as mudanças que sejam necessárias. E para mudar vou ter que tirar alguém. Todos que quiserem fazer investigação e qualquer trabalho ligado a qualquer tipo de controle terão toda liberdade no ministério”, disse o ministro, sobre a possibilidade de afastar funcionários.

“A Dilma me chamou e disse que confia em mim. Para eu fazer o que achar que devo fazer”, completou.

Mendes não quis dar um prazo para que as mudanças ocorram. Disse apenas que serão no menor espaço de tempo possível.

Após encontro com a presidente, o novo ministro da Agricultura também descartou a possibilidade de acabar com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

“A Conab tem uma função extremamente importante. Não posso resolver o problema terminando dessa forma”, disse.

Ainda na opinião do ministro, a sua pouca experiência no setor da Agricultura não deve prejudicá-lo. Mendes lembrou que já foi secretário de obras sem ser engenheiro e lembrou a boa atuação de José Serra no Ministério da Saúde.

Mendes também voltou a defender a legalização do lobby, desde que com a devida identificação e com câmeras de seguranças instaladas internamente.

“Lobista é uma coisa, ladrão é outra”, disse. Especificamente sobre a atuação de Júlio Froés, lobista que atuou no ministério, Mendes desconversou.

Como primeira atuação, o Ministro da Agricultura disse que pretende nomear Caio Rocha, ex- secretário estadual de Agricultura e Abastecimento no governo de Germano Rigotto como seu assessor especial. Disse também que deve conversar com Marcus Vinícius Pratini e Francisco Turra, ex-ministros da Agricultura.

Ainda durante encontro com a Dilma, Mendes afirmou que pediu para continuar atuando, “na medida do possível” no Legislativo. A posse de Mendes está marcada para terça-feira, 11 horas.

1 Comentário

  1. Vigilante do Portão Responder

    Vai mudar tudo,

    Para facilitar a colheirta,
    Vai determinar (um decreto) que as batatas deixem de nascer enterradas e passem a dar em árvores, como as maçãs.

    Esse NÃO ENTENDE NADA DE AGRICULTURA.

    Mais uma ENGANAÇÃO da DILMA.

Comente