Uncategorized

Cidade sem atrações é recordista de verbas do Ministério do Turismo

A manchete de capa do jornal Gazeta do Povo de hoje traz mais uma denúncia envolvendo o Ministério do Turismo e o Paraná. No estado, a cidade que mais recebe recursos federais com contratos que somam R$ 15,3 milhões é Jandaia do Sul, na região Norte do Paraná, que sequer oferece atrações turísticas. A reportagem é de Rogerio Waldrigues Galindo e Marcus Ayre.

O município de Jandaia do Sul, na Região Norte do Paraná, firmou convênios de R$ 15,3 milhões com o Ministério do Turismo nos últimos três anos. Com isso, a cidade é a recordista paranaense em convênios com a pasta no período. Desde 2009, o prefeito de Jandaia é o ex-deputado federal José Borba (PP), um dos réus do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).

Curiosamente, Jandaia não é um município turístico. A cidade não consta na lista dos 65 municípios que o próprio ministério considera “indutores do turismo” no Brasil. No site da Se­­cretaria de Estado de Turismo do Paraná, a cidade não está em ne­­nhum dos 93 roteiros sugeridos à população. Mesmo assim, o valor dos convênios que Jandaia assinou com o ministério supera o de municípios tipicamente turísticos, como Mariana e Ouro Preto, em Minas Gerais, ou Porto Seguro, na Bahia.

A maior parte dos recursos é destinada a obras de infraestrutura, como saneamento, calçamento e pavimentação. Só para obras deste gênero, o município conseguiu firmar convênios da ordem de R$ 18,5 milhões desde 2008, de acordo com informações do Portal da Transparência, do governo federal. O volume equivale a metade do orçamento de Jandaia. O município, de 20 mil habitantes, tem orçamento aprovado de R$ 35,6 milhões para 2011.

Questionado sobre esta situação, o prefeito José Borba disse que qualquer município pode aproveitar os recursos disponibilizados pelo governo federal, desde que a prefeitura esteja “apresentando projetos que correspondam ao programa que o governo tem”. “Não só Jandaia, mas qualquer outro município tem convênio com o ministério. Hoje turismo é moda, é uma vocação que tem que ir se preparando, alicerçando. Não é só Jandaia, mas o Brasil trabalha nesse sentido”, declarou.

Revitalização

Antes da chegada do ex-deputado federal José Borba à prefeitura de Jandaia, o município havia fechado quatro convênios com o ministério, mas de valores menores. O contrato mais alto, para a revitalização de uma praça, era de R$ 292 mil. Outros eram menores, como o convênio de R$ 50 mil para a realização do carnaval na cidade em 2008, de R$ 50 mil. No total, os convênios com o ministério no mandato anterior ao de Borba somavam R$ 447,5 mil.

Em 2008, logo após a eleição de Borba, as coisas mudaram. Entre a eleição e a posse do novo prefeito, foram firmados quatro novos convênios, somando R$ 6,5 milhões. Durante o mandato de Borba, os valores subiram ainda mais. Desde janeiro de 2009, foram mais R$ 15,3 milhões em convênios.

Apenas em dezembro do ano passado, foram firmados quatro convênios em um período de poucos dias. Três foram publicados no dia 14 de dezembro. Outro saiu em 31 de dezembro. Somados, os quatro novos contratos chegam a R$ 12,1 milhões.

População desconhece atrativos turísticos

Apesar de ser o município do estado que mais fechou convênios com o Ministério do Tu­­­­rismo nos últimos anos, curiosamente Jandaia do Sul é um local com poucos atrativos turísticos. Nem mesmo os moradores ouvidos pela Gazeta do Povo sabem ao certo se existe algum local da cidade que atraia a visita de pessoas de fora.

A reportagem entrou em contato com funcionários dos dois hotéis do município que, juntos, têm capacidade para abrigar cerca de 100 pessoas. Em ambos, a informação foi de que ninguém vai à cidade a turismo. Quem se hospeda nos hotéis normalmente está de passagem: são negociantes, caminhoneiros ou pessoas que têm parentes na cidade.

Mesmo sem citar nenhum ponto turístico, o prefeito José Borba ressaltou que Jandaia conta com vários eventos ao longo do ano, como a festa do aniversário da cidade e a Cavalgada do Trabalha­­­dor, que, segundo o prefeito, reúne anualmente cerca de 6 mil pessoas, sendo cerca de mil cavaleiros.

Uma das obras mais caras feitas no município com dinheiro do Ministério do Turismo é a do auditório municipal. Os três convênios feitos para a obra, que ainda não está pronta, somam R$ 1,6 milhão.

De acordo com Borba, a previsão é de que o local tenha capacidade para 600 pessoas. “É um espaço dotado de acústica adequada, ar- condicionado, com toda estrutura necessária. Nosso município tem mais de meio século e não tínhamos um local para recepcionar autoridades ou realizar um evento”, justifica o prefeito.

A reportagem enviou questionamento ao Ministério do Turismo sobre os convênios com Jandaia, mas até o fechamento desta edição ainda não havia recebido qualquer resposta.

11 Comentários

  1. Bom dia,
    Como meu querido professor disse: “Deveríamos em rede nacional pegar os 30 políticos mais corruptos do País e matá-los. Dizendo o porque irão morrer”. Só assim muitos roubariam menos.

    Grata.

  2. Mais um capítulo da novela Herança Maldita escrita por lulla e que dilma está interpretando.
    Um dia vamos saber tudo sobre esse bebado barbudo que se trevestiu de herói, segundo ele próprio.
    Força Dilma os homnes de bem te amparam.

  3. Não se esqueçam , que tambem é a ccidade ddos ratos pai e filho, que não tem um passado muitto limpo como ex deputado , o ratto pai, vendeu o mandato, trocou de sigla, por dinheiro etc.

  4. Morador Indgnado Responder

    Sou moradora de Jandaia do Sul, já havia avisado que isso iria acontecer + isso não é nada. Ele colocou a familia inteira na prefeitura maior nepotismo. Uma irmã diretora de Educação, a outra diretaora da Saúde , o sobrinho ascessor na prefeitura o outro no almoxerifado ele usa laranjas para não aparecer a familia. E dentro da educação, retirou todo os direitos dos professores, de eleger os diretores, a lista de dobra, agora encheu a educação de contratados que incharam a máquina e não tem dinhero pra pagar os direitos dos professors. Tem professor recebendo da educação trabalhando para a primeira dama e sendo pago pela educação. Os professores ficaram acuados com medo aqui é a lei do poder o Brasil é um país livre + Jandaia do Sul parece Cuba, se não rezamos na cartilha do homem somos perceguidos,transferidos e humilhados . Alguem tem que lutar por nós

  5. Vamos investigar as ONGs patrocinadas por emendas de politicos. É uma forma de dilapidar o capital público……..

Comente