Uncategorized

Gaddafi vira estátua chutada, mas Brasil
não toma posição

Na Líbia, o ditador Muammar Gaddafi virou, por assim dizer, estátua chutada. No Brasil, ele ainda é reconhecido na prática como líder formal dos líbios.

O ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores) disse que o governo brasileiro não reconhecerá a legitimidade dos rebeldes da Líbia antes de uma manifestação da ONU.

Mais de 30 países, entre eles os EUA e as principais nações da Europa, já reconheceram o Conselho dos rebeldes como novo poder legítimo na Líbia.

A ONU só deve se pronunciar em 21 de setembro, antes da Assembléia Geral da entidade.

Segundo Patriota, o Brasil reconhece “Estados, e não governos.”

Portanto, disse o chanceler, “não se trata de adotar alguma manifestação a respeito deste ou daquele governo neste momento.”

Patriota esmiuçou o raciocínio: “O governo deverá ser de coalizão, sobre todo o território e com legitimidade…”

“…Deve ser feita uma transição democrática. A Líbia deve percorrer um longo percurso em termos de avanços institucionais.”

3 Comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    COMPARO LULA A KADAFFI. DOIS DITADORES QUE QUEREM SE PERPETUAR NO PODER.

    LULA, O CÂNCER DO BRASIL, ACORDEM BRASILEIROS.

  2. Todos estes países que reconheceram o precioso governo rebelde sabem que vão receber – mesmo na marra – o rico dinheirinho deles. Já o Brasil não tem qauqler certeza. Relações entre países não são amizade, amor e afeto. São relações comerciais, grana, bufunfa. Kadafi era bandido, mas, pagava as contas do Brasil. Já esta gente que entrou, ninguém sabe. A mídia brasileira trata os brasileros como crianças, que acreditam em papai noel e coelhinho da Páscoa. Já os americanos sabem que o faz os países amigos é o comércio. Paga e não bufa, Mustafá.

Comente