Uncategorized

Rubens Bueno questiona indenização de Gleisi em Itaipu

ANDREZA MATAIS e FILIPE COUTINHO na Folha. com

A ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) recebeu R$ 41 mil de indenização da Itaipu Binacional ao deixar a empresa para se candidatar, pela primeira vez, ao Senado pelo PT do Paraná.

A indenização, equivalente a multa de 40% do saldo para efeito de rescisão trabalhista, só é paga quando o funcionário é demitido da empresa sem justa causa.

Questionada pela Folha sobre o por que do pagamento, ela afirmou que “foi exonerada de Itaipu, conforme decreto publicado no Diário Oficial de 29/3/2006” e que o valor recebido “a título de indenização do FGTS foi de R$ 41.829,79”.
Ex-diretor da Itaipu, o líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PPS-PR), disse à Folha que quando saiu da empresa, em junho de 2004, para disputar a Prefeitura de Curitiba foi lhe oferecida a opção da demissão, o que lhe permitiria receber a multa de 40% mais o saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

“Na época fui informado que receberia cerca de R$ 40 mil da multa, mas não aceitei. Eu pedi para sair e não iria usar o serviço público para ganhar dinheiro. Para mim não é algo moral”, disse. O deputado afirmou desconhecer se a mesma proposta foi feita à ministra.

No “Diário Oficial” consta que a exoneração de Bueno foi “a pedido”. Não há essa informação na da ministra.

OUTRO LADO

A ministra Gleisi Hoffmann afirmou à Folha, por meio da assessoria de imprensa, que “foi exonerada de Itaipu, conforme decreto publicado no Diário Oficial de 29/3/2006, e recebeu as verbas legais correspondentes”. Ela não respondeu sobre o motivo da demissão.

A Folha entrou em contato com a assessoria da ministra várias vezes por email e por telefone. Também não houve resposta sobre por que a ministra recebeu o valor da indenização se ela pediu para deixar a empresa para disputar a eleição, e se considerava correto o pagamento.

A Itaipu Binacional informou à Folha que, “pelos regulamentos internos da Itaipu Binacional, informações sobre a situação funcional de empregados, ex-empregados, diretores, ex-diretores, conselheiros e ex-conselheiros são consideradas restritas”.

Segundo a empresa, essa informação só poderia ser liberada “mediante aprovação expressa da diretoria ou conselho de administração”. A empresa é mantida com recursos do governo federal e do governo paraguaio.

CARREIRA

Gleisi foi diretora financeira da Itaipu Binacional de 2003 a março de 2006 quando saiu para disputar a eleição ao Senado. Na ocasião ela não foi eleita. A Folha apurou que o salário na empresa era de cerca de R$ 30 mil.

O perfil da ministra na página da Casa Civil na internet diz que “com a vitória de Lula à Presidência da República em 2002, Gleisi foi indicada ao cargo de diretora financeira da Itaipu Binacional, onde aprimorou os seus conhecimentos em gestão pública.”

Em junho, o jornal “O Estado de S. Paulo” revelou que o ex-diretor da empresa Alcântara Cyclone Space, Roberto Amaral, recebeu indenização da empresa, embora tenha deixado o cargo de diretor-geral a pedido. Ele recebeu R$ 280 mil, o que foi questionado pela oposição.

Itaipu Binacional é a empresa que administra a usina de Itaipu, que gera energia elétrica para abastecer o país.

19 Comentários

  1. Minha gente a coisa é mais feia do que imaginava, a polaquinha nunca me inspirou confiança, cada dia aparece mais falcatrua.

  2. É uma vergonha Nacional uma empresa pública com regulamentos
    internos inconstitucionais e imorais. Na hora de doar nosso dinheiro para os paraguaios a título de reajuste de tarifa tudo pode, agora uma simples informaçãó sobre uma ex-diretora é proibidíssimo. Sinto vergonha da Itaipu!!!

  3. Rubens, aproveita e questiona as indenizações da tchurma do Requião, que recebeu uma bolada para sair da direção da COHAPAR, nos desgovernos RR e Pessutão. A indenização da Barbie Paraguaia é troco de pinga.

  4. Nada mais “justo” Sra. Gleisi, pelo visto foi a Itaipu que te convocou a disputar uma vaga no Senado, único fato que justificaria sua exoneração e direito de receber multa e poder sacar o FGTS… Não entendo como um uma pessoa pede afastamento do cargo pra disputar uma eleição e ainda consegue burlar as regras e receber a multa do FGTS… incrível como para a classe política no brasil sempre tem uma exceção à regra.

  5. Deixa eu ver se eu entendi: a manchete é sobre o recebimento da multa 40% sobre o FGTS depositado, por uma demissão sem justa causa, porque a empresa preferiu demitir a manter em licença não remunerada o servidor…

    …e que essa prática é habitual, não discriminando o ocupante do emprego, mesmo que de um partido de oposição (PPS).

    Não achei na internet, mas provavelmente o Plano de Carreira de Itaipu deve ter uma regra parecida com a do art. 86 do Estatuto dos Servidores Públicos da União:

    “Art. 86. O servidor terá direito a licença, sem remuneração, durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral.

  6. Gostaria que todo cidadão pudesse fazer estagio como diretor da Itaipu!! Uma empresa deste porte não pode servir para aprimoramento profissional de uma recem formada como a Ministra. E lamentável e atualmente o diretor jurídico nunca advogou ou teve qqer relação com o Direito! Uma vergonha!

  7. Este é o perfil moral da ministra e, de resto, é também o perfil moral de grande parte do PT. Não há nenhum constrangimento dos “cumpanheros” em colocar dinheiro público no bolso, seja da maneira que for. Basta fazer um levantamento da situação patrimonial dos chefões do PT para o povão entender o que significa injustiça na distribuição de renda. Mas, no país dos anestesiados, é bem capaz de votarem de novo nestes mesmos nomes nas próximas eleições.

  8. Muito longe de querer defender essa petezada , mas por o rubinho do voto limpo naõ fala das negociatas do seguro de Itaipú , quando ele era presidente? Hã?

  9. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    OSSOBURRO.

    Ok, deixa ver se entendi.. Roubar para o PT só é crime quando se rouba milhões não é? Se o vizinho rouba, também posso roubar é isso?

    Que falta de vergonha OSSUBURRO, pense nos seus filhos.

  10. Olha caçador, veja nas estatais do seu PSDB pelo Brasil afora e verás que os tucanos fazem a mesma coisa, aliás não só os tucanos, muito executivos e empregados de empresas privadas também fazem a mesma coisa. Porque só os tucanos podem? Que vergonha Caçador, você não deveria ser seletivo, que vergonha para os seu filhos.

  11. O diretor jurídico Dr. Cabral também foi “exonerado” em 2011. Um acerto para valores muito mais expressivos do que os até então comentados.

  12. A “exoneração” do Dr. Cabral, Diretor Jurídico, em 2011, realment apresentou valores muito relevantes… deveria ser verificado o porquê desta prática tão favorável a uns poucos.

Comente