Uncategorized

PPS protocola denúncia contra Paulo Bernardo nesta terça-feira

O PPS protocola nesta terça-feira (30), às 11h30, na Comissão de Ética da Presidência da República ofício com pedido para que o colegiado se pronuncie sobre a conduta do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que é alvo de denúncias envolvendo o suposto uso de aeronaves que pertencem a empresários, possivelmente beneficiados em negócios realizados com a Administração Pública.

O documento, que é assinado pelo vice-líder da Minoria, deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), tem como destinatário o presidente da Comissão de Ética, Sepúlveda Pertence. O objetivo é questionar o colegiado para que este responda se Bernardo infringiu o Código de Conduta da Alta Administração Federal.

O PPS observa que o artigo 7° do Código diz que: “A autoridade pública não poderá receber salário ou qualquer outra remuneração de fonte privada em desacordo com a lei, nem receber transporte, hospedagem ou quaisquer favores de particulares de forma a permitir situação que possa gerar dúvida sobre a sua probidade ou honorabilidade”.

No expediente, o partido anexará reportagem divulgada recentemente que mostra que Paulo Bernardo, em 2009, quando era ministro do Planejamento, utilizou aeronave de uma empreiteira para o deslocamento dele e de assessores até o município de Guarapuava, no interior do Paraná. Também enviará cópia do vídeo em que Bernardo aparece ao lado do avião, um Seneca prefixo PT-WTS, durante entrevista concedida a repórteres. A construtora também é ligada ao agronegócio.

O partido também citará o episódio em que o ministro e a mulher dele, a atual ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, teriam utilizado, em 2010, um avião King Air da empreiteira Sanches Tripoloni. A Sanches, naquele ano, recebeu R$ 267 milhões da União.

Gleisi concorria ao Senado e Bernardo era ministro do Planejamento à época. A empresa também doou R$ 510 mil para a campanha da petista.

Demissão

Se os voos do ministro forem considerados violação ao Código de Conduta, a Comissão pode aplicar as seguintes penalidades: advertência ou censura ética. E, conforme o caso, pode sugerir à presidente Dilma Rousseff a demissão de Paulo Bernardo.

5 Comentários

  1. Vai cair, questão de tempo…
    a Gleisi também vai, mas levará mais tempo que o PB…

  2. . Como o PT é ético na política … 25 anos pregando a ética.
    . Tudo o que os outros faziam estava errado e ñ era ético.

    . Agora VEJAM O QUE ELE FAZEM

  3. Adriano Ribeiro Responder

    É muita cara de pau do PPS denunciar Paulo Bernardo por usar jatinho de empresas e o Rubens Bueno que tinha o piloto do avião que ele usava como funcionário da assembléia ou será que o PPS esqueceu desse assunto. Vale o ditado “Faço o que eu digo, mas não faça o que eu faça.”

  4. Parreiras Rodrigues Responder

    Um erro não justifica outro, mas duvido que algo aconteça ao casal de ministros.

Comente