Uncategorized

Fábrica da Paccar será anunciada em setembro em Ponta Grossa

Valeu o esforço do deputado Plauto Miró Guimarães em defesa de Ponta Grossa. Depois de meses de negociação, a norte-americana Paccar vai construir sua primeira fábrica no Brasil em Ponta Grossa. O anúncio oficial vai ocorrer no dia 15 de setembro – quando se comemora o aniversário do município – pelo governador Beto Richa, do PSDB, que estará na cidade para inaugurar a fábrica de leite e creme de leite da Batavo.

Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, representantes do Governo do Estado e do grupo norte-americano fecharam negociações para a instalação da unidade na cidade na última sexta-feira. A data de anúncio também teria sido definida no encontro. A informação não foi confirmada pelo secretário estadual de Fazenda, Luiz Carlos Hauly.

De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, João Luiz Kovaleski, as negociações estão muito bem encaminhadas e não estariam fechadas. “Estamos nos últimos detalhes, nos últimos minutos de negociações. As reuniões são constantes. Vamos esperar o retorno do governador, que está à frente das negociações, para anunciar novidades da Paccar e das fábricas que podem vir junto com ela”, diz.

A empresa

Sediada em Bellevue, no estado de Washington (noroeste dos Estados Unidos), a Paccar pretende investir US$ 250 milhões na fábrica em Ponta Grossa, produzindo três modelos de caminhões da marca holandesa DAF, controlada pela companhia norte-americana: LF, CF e XF, que atenderiam o mercado brasileiro, marcado pela predominância de modelos cara-chatas.

A Paccar vende 100 mil caminhões por ano em todo o mundo. A previsão é que a fábrica em Ponta Grossa comece a produzir caminhões em 2013. Não há intenção da montadora em importar caminhões antes de iniciar a produção local, que irá gerar 1 mil empregos diretos.

Histórico

Representantes da Paccar visitaram Ponta Grossa diversas vezes nos últimos meses para avaliar o município. Em pauta, eles buscaram informações sobre o aeroporto Sant’Ana e o regional (projeto de construção), a mão de obra, convenções trabalhistas, além de conhecerem condomínios residenciais de alto padrão, bairros populares e terrenos que podem receber a fábrica.

Com a confirmação da vinda da Paccar, é a quarta grande multinacional que anuncia investimentos na região desde o início do programa Paraná Competitivo, lançado pelo governo Beto Richa para incentivar a vinda de novas indústrias. As outras foram a Ambev, também em Ponta Grossa, a Cargill, em Castro, e a Arauco, em Jaguariaíva. “A região dos Campos Gerais é a mais procurada pelos investidores pelas condições que oferece. É entroncamento, tem boas rodovias e está próxima de Curitiba e do Porto de Paranaguá”, disse Richa no início do mês, durante a assinatura do protocolo de intenções entre a Cargill e o Governo do Estado.

6 Comentários

  1. Eita Londrina véia de guerra! Ninguém dos home que manda na política e no Estado lembra da tua querida terra vermeia!
    Nóis semo caipira mais num semo burro! Chega de fabricar só bandidos, fraudes e incoerrências!

    Com tanta fábrica demonstrando interesse em operar no Paraná, até agora nada de concreto para Londrina. E olha que nós temos um montão de ministros e deputado importante em Brasília e até o governandor nasceu aqui!

    Parabéns Campos Gerais!

  2. Ótimo, para o Paraná, e vai ficar em uma cidade onde tem tudo para ser igual a Campinas, pois Ponta Grossa se encontra numa região previlegiada, perto da capital e do porto além de São Paulo, e assim toda a região ganha.

  3. E os salarios serão competitivos para atrair bons colaboradores para a futura empresa?
    Espero que sim, que a mão de obra seja valorizada por todos os envolvidos.

Comente