Uncategorized

Sem Dilma, o PMDB ‘antecipa’ 2012 num megaevento

Do Josias de Souza na Folha Online

O PMDB levou à web a programação do “megaevento” que fará em Brasília, na quinta (15). Nas palavras de um dirigente da legenda, o ato tem dois objetivos.

O primeiro é exibir a “musculatura política” do partido. O segundo, “ligar as caldeiras da máquina” que o PMDB colocará em funcionamento na eleição municipal de 2012.

Pretende-se reunir num auditório mais de 2 mil lideranças –de vereadores ao vice-presidente Michel Temer; de congressistas a governadores e ministros.

Dilma Rousseff não irá.

O encontro ocorre 11 dias após o Congresso do PT, no qual a cúpula da legenda de Dilma teve de barrar no voto proposta que vetava alianças com o PMDB no ano que vem.

O partido de Temer organizou sua pajelança no formato de seminário. Chama-se “O PMDB e os Municípios.”

Vai durar uma tarde inteira e desaguará num coquetel. Na sessão de abertura, falam os caciques. Entre eles Temer, Renan Calheiros, José Sarney e Henrique Alves.

Depois, haverá quatro painéis. Em pelo menos dois deles, escalaram-se expositores com ideias distanciadas dos interesses do Planalto.

O deputado Darcísio Perondi (RS), eleitor do tucano José Serra em 2010, falará sobre saúde. Pediatra, ele coordena a Frente Parlamentar da Saúde.

Adepto fervoroso do projeto que tonifica os investimentos em saúde pública, Perondi contesta a pregação do Planalto, favorável à criação de novo tributo.

O deputado sustenta que há verbas disponíveis para reforçar a caixa da saúde. Basta, diz ele, que o governo redefina suas prioridades.

No pedaço do fórum reservado ao debate do meio-ambiente, falará o senador Luiz Henrique (SC), outro ex-eleitor de Serra.

Luiz Henrique é um dos relatores do novo Código Florestal, em tramitação no Senado. Nessa matéria, está mais próximo da bancada ruralista do que do Planalto.

Um dos escalados para falar sobre educação é o professor e deputado federal Gabriel Chalita (SP).

Trata-se de um neopemedebê que Temer trouxe do PSB para candidatar-se a prefeito de São Paulo.

Para desassossego de Lula, que se esforça para atrair o PMDB-SP para o projeto encabeçado pelo ministro petê Fernando Haddad (Educação).

Vai ao microfone para discorrer sobre segurança pública o prefeito Eduardo Paes. Um ex-tucano que o PMDB tenta reeleger prefeito do Rio de Janeiro.

Em meio a pemedebês tradicionais, misturados a sarneys, chalitas e paes, o velho MDB estará presente no ato de forma indireta.

A coisa ocorrerá em local chamado Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

1 Comentário

  1. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    O PMDB, percebeu que não precisa do PT para nada, ou melhor, nesta altura, o PT so atrapalha.

    Adeus PT.

Comente