Uncategorized

TRF anula provas da operação que investiga o Porto de Paranaguá

O Tribunal Regional Federal acaba de conceder habeas corpus e anular todos os registros telefônicos e de e-mail usados como provas da Operação Dallas, que investiga irregularidades no Porto de Paranaguá. No entendimento do TRF, o juiz responsável pelo caso em Paranaguá não era capacitado e deveria ter recorrido a uma vara especializada.

Para o deputado Douglas Fabrício, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as irregularidades no Porto de Paranaguá, a decisão não atrapalha os trabalhos. “As informações que obtivemos da Operação Dallas eram de apenas uma parte dos trabalhos da CPI e se precisarmos de informações, vamos chamar os envolvidos para que esclareçam publicamente”, explicou o deputado.

Fabrício conta que a CPI encontrou pontos que a justiça não estava investigando, como o valor de R$ 400 milhões em ações trabalhistas e contratos de licitação duvidosos.

3 Comentários

  1. O deputado esta por fora. As ações trabalhistas são de 2002 para trás, os advogados de carreiras da Appa na época perdiam prazos. Para ter uma idéia o sindicato dos arrumadores só eles tinham 180 milhoes para receber da Appa. Depois de 2003 recorremos da ação e revertemos no supremo. Vão cair do burro, de 2003 para cá a industria de ação trabalhista foi paralizada. É ver para crer. Fui advogado na época. Deputado te lograram com essas informações. Depois que requiao entrou acabou se com ações, foram contratados advogados que não perdiam prazos. A CPI foi para as cucuias.

  2. VLemainski -Cascavel-PR Responder

    A nossa justiça é uma piada… Então, pelo fato de um juiz não estar habilitado, o fato deixa de ser verdadeiro?… Afinal, o que é a verdade?…
    O que estuda o direito?… A hierarquia supera a verdade?…

Comente