Uncategorized

Ambev doa mil bafômetros ao Detran


Foto: Paulo Rosa/Detran

Da Aen

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) recebeu da companhia de bebidas Ambev mil etilômetros (bafômetros) descartáveis para promover o consumo responsável de álcool. A entrega faz parte das atividades realizadas pela empresa para o Dia de Responsa Ambev, promovido nesta sexta-feira (23) em todo o Brasil. Os equipamentos são de uso individual e serão distribuídos nas ações educativas desenvolvidas pelo Detran em bares e casas noturnas.

A parceria do governo com a iniciativa privada envolve também a Associação Brasileira de Bares, Restaurantes e Casas Noturnas (Abrabar/PR), Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similiares de Curitiba (Sindotel) e Associação Comercial do Paraná. “Queremos criar uma rede de agentes pela vida, reforçando o uso dos táxis e o consumo consciente de bebidas alcoólicas”, explicou o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

“Atuar em conjunto com a iniciativa privada é essencial para o sucesso de um projeto que pretende ser de grande porte. Com diálogo, estamos trazendo parceiros interessados em cumprir seu papel social e que entendem a importância de integrar uma campanha que deve mobilizar consumidores e usuários dos seus serviços, beneficiando todos os paranaenses”, completou.

Esta é a primeira vez que o Paraná recebe a mobilização da Ambev, que acontece simultaneamente em 20 países do mundo, dentro do “Be(er) Responsible Day”, organizado pela Anheuser Busch InBev. No Brasil, nos últimos oito anos, foram doados 80 mil bafômetros às autoridades de trânsito.

“Em todas as nossas fábricas, são 117 mil funcionários engajados em três pilares principais: evitar o beber e dirigir, prevenir o consumo de álcool em excesso e reforçar a proibição da venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos”, conta o diretor de Relações Socioambientais da Ambev, Ricardo Rolim.

PARCEIROS – Segundo o diretor regional da empresa, Sérgio Ustulin, os mais de 42 mil pontos de vendas da Ambev no Paraná receberão material referente ao tema. Dados da companhia mostram que os paranaenses consomem mais cerveja que a média geral dos brasileiros. No Estado, o consumo per capita da bebida chega a 55 litros por ano, enquanto a média nacional é de 48 litros/ano por pessoa.

“A preocupação da cervejaria e dos bares é que as pessoas bebam de maneira consciente, pensando em alternativas para voltar para casa sem dirigir. Vale voltar de taxi, ônibus ou de carona com quem não bebeu”, enumera o presidente da Abrasel-PR, Marcelo Woellner Pereira.

“As entidades privadas querem ser parceiras do poder público nas ações positivas. O Detran está mostrando como indústria, sociedade civil organizada e governo podem melhorar as coisas trabalhando juntos”, completou o presidente da Abrabar, Fabio Aguayo.

7 Comentários

  1. Ganham milhões enchendo as pessoas de álcool e depois as
    entregam pra policia. BEBA COM MODERAÇÃO.

  2. Iniciativa espetacular da maior empresas de bebidas do Brasil e uma das maiores do mundo, que com sua atitude inspire a todos, pois no mundo o lucro não pode ser a todo e qualquer custo, mas com o engajamento da sociedade será uma bela semente que trará otimos e positivos frutos. Parabéns a todos que compareceram e serão os agentes do bem nesta feliz empreitada.

    Um Abraço

    Fabio Aguayo

  3. Quanta hipocrisia. Fazem propaganda em massa na TV de forma a chamar a atenção das crianças, sempre com comédia que chama a atenção de crianças e colocam “esportistas” nas propagandas também passando a ideia de que a associação de esporte e bebida seria saudável. Agora se fazem de bon mocinhos, igual as propagandas de cigarro de antigamente. Proibiram as propagandas de cigarro, porquê não proibem a propaganda de álcool que além de prejudicar quem consome acaba prejudicando muito mais quem está ao redor? Quantas Copas o Brasil já perdeu usando jogadores que eram garotos propagandas (na TV e na vida real) dessas cervejarias?

  4. Indigando pergunta: mas por quê só agora e não antes? Depois que o STF decidiu linarmente, que bebum que mata não queria matar, revogando na prática a Lei Seca, aí fica fácil passar por bonzinho. Agora dirigir, bater e matar já não é mais classificado como crime doloso, mas culposo. O bebum só encheu a cara, e, sem querer, mandou alguém para a outra vida. Mas foi sem querer.

Comente