Uncategorized

Traiano contesta Verri sobre cortes na Saúde

Fotos: Sandro Nascimento da AL

O líder do governo na Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), refutou na tarde desta terça-feira (27) a denúncia do deputado petista Enio Verri, líder da oposição na Assembleia, que afirmou que o governo Beto Richa estaria promovendo cortes de gastos na área da saúde. Os custos teriam sido 28% menores em 2011, em relação a 2010, o que levou o deputado petista deduzir que as compras de medicamentos haviam se reduzido nesse percentual.

Segundo Traiano o deputado Enio Verri interpretou erradamente os números. “O governo Beto Richa conseguiu fazer uma negociação mais eficaz com os laboratórios e reduziu os custos das aquisições de medicamentos. Assim foi possível comprar mais e atender um número maior de pacientes com um custo praticamente um terço menor”, disse Traiano. O melhor gerenciamento das aquisições na área da saúde, exemplificou Traiano, permitiu que o governo atendesse este ano 84 mil pacientes de alto custo, contra 74 mil pacientes atendidos pelo governo anterior. Um aumento de 12%.

“No governo anterior havia um decreto que limitava o valor de compras pelas secretarias a um valor máximo de R$ 100 mil e os processos que estavam acima deste teto necessitavam de aprovação expressa do governador do estado. No caso de medicamentos, esse é um valor insuficiente para manter estoques estratégicos e acaba burocratizando uma área essencial para atender a saúde do cidadão”, destacou o líder do governo.

“A distribuição de medicamentos básicos para os municípios é feita através do Consórcio Paraná Saúde Medicamentos. A Secretaria da Saúde deve repassar mensalmente R$ 1 milhão para compra dos medicamentos básicos que são distribuídos aos municípios. O governo anterior só havia pago a parcela de agosto em dezembro, deixando 4 meses em atraso e sem que os pagamentos estivessem previstos para 2011. Em maio deste ano a Sesa quitou a dívida com o consórcio, no valor de R$ 4,4 milhões e está mantendo os repasses em dia para manter os municípios parananenses com estoques regularizados de medicamentos básicos”, concluiu Traiano.

3 Comentários

  1. E so conferir na falta de remedios na farmacia da saude antes do deputado traiano falar

  2. Alguém leva a sério esses dois? Falam em números e mais números, mas todos sabem que isso é apenas um faz de contas. Cadê os projetos desses deputados que tenham por objetivo diminuir o sofrimento da população quando se trata de atendimento médico e hospitalar pela rede pública?

Comente