Uncategorized

Policial Militar baleada por marginais está viva e não teve morte cerebral


Luiz Henrique de Oliveira da Banda B

Embora veículos de comunicação tenham noticiado a morte da Policial Militar Ana Paula Moreira Martinez, de 30 anos, ela segue viva. A informação foi passada a reportagem da Banda B pela assessoria de imprensa do Hospital Cajuru, por volta das 14h desta quinta-feira (29).

A assessoria informou ainda que os parentes da vítima seguem no hospital aguardando pela evolução da vítima. De novo no quadro de saúde, o surgimento de um edema cerebral em Ana, apesar disso, não foi diagnosticada uma morte cerebral na paciente.

Os familiares da vítima estiveram presentes no hospital durante a manhã de hoje e, inclusive, visitaram Ana na UTI. Eles também se reuniram com a equipe médica onde foram avisados do quadro de saúde da PM.

O Caso

Ana foi baleada quando chegava, ao lado do marido, também PM, à residência de amigos no bairro jardim da Américas, na terça-feira (27). Eles foram abordados por um trio fortemente armado antes do portão da casa. Os homens fizeram uma rápida revista no policial e não acharam a arma dele, ao repetir a ação da policial feminina constataram a existência de uma arma.

“Um dos homens desferiu três tiros contra a policial (um em cada ombro, um deles bem próximo do pescoço, e o terceiro no antebraço), no entanto ainda não se sabe de qual arma os tiros partiram. No local foi apreendido um revólver calibre 38 com três cartuchos deflagrados, pertencente ao trio. A arma foi encaminhada à polícia Civil, que vai cuidar do caso”, relata a Tenente-Coronel Karen Denise Krazinski, Comandante do 20° BPM, que atendeu o início da ocorrência.

Polícia segue na busca dos suspeitos

Devido a chegada da noite, o cerco policial montado na Lapa para localizar o trio suspeito de atirar contra uma policial militar, atropelar outro, e sequestrar um médico, na noite desta terça (28), em Curitiba, continua nesta quinta-feira (30). A partir deste momento, e até clarear o dia trabalham os policiais do Serviço de Inteligência e os que formam barreiras em determinados pontos para evitar fuga caso os homens estejam ainda no local.

Essa foi a última informação passada pela Assessoria da PMPR, no site da corporação.

4 Comentários

  1. Ela era funcionária da Casa Militar no governo Pessuti e deixou o posto com a mudança em janeiro.

  2. Meus sinceros votos de recuperação – Policiais Militares do Estado essa jovem policial merece que lutemos e tenhamos vergonha na cara o Programa Paraná Seguro com policiais descontentes e fadados a passarem pela mesma situação dessa moça nem em outro planeta

Comente