Uncategorized

São os tempos, Bob Dylan pode ganhar o Nobel de Literatura

Acreditem. A menos de 24 horas do anuncio do Premio Nobel de Literatura, os prognósticos ardem. O japonês Haruki Murakami, êxito mundial de vendas, é o favorito, mas agora é ameaçado pelo músico Bob Dylan, que escreveu laxativas letras para as suas músicas folk.

E o grande Philip Roth continua na fila. Dos brasileiros, está na lista o poeta de Luta Corporal, Ferreira Gullar, que aos 81 anos continua em plenitude produtiva.

2 Comentários

  1. Albert Cossery escreveu meia dúzia de livros e a primavera árabe está lá.
    Mas ninguém fala nele.
    Dizia: “Se um determinado livro não tiver sobre o leitor um tal impacto que no dia seguinte ele deixe de ir ao emprego, esse livro nada vale.”
    Mendigos e Altivos é de 1955.
    Uma Ambição no Deserto é de 1984.
    Confiram.

  2. ricardo crovador Responder

    A verdade é que o Bob Dylan é muito bom. Trata-se aqui de um feio preconceito contra a letra de música, tratada como se fora um mero subproduto da moderna indústria cultural. Na realidade, a letra musical é a mais antiga manifestação literária. Quase todas as obras consideradas basilares nas principais culturas do mundo é originalmente criada sob bases musicais. O referido artista é um dos grandes poetas norte-americanos desta modalidade literária, além de representar uma releitura do mito judaico do “rapsodo errante”.
    Outro detalhe: percebe-se que que o articulista conheceu apenas o primeiro período da obra de Dylan, já que o classifica como músico “folk”, uma vertente “participante” da canção americana, na qual pontifica, até hoje, a cantora Joan Baez.
    Não sei se o autor da matéria domina bem o idioma inglês, ou se teve acesso a versões ruins, pois só assim para classificar as letras de “laxativas”.
    E para encerrar este comentário: o Dylan também escreveu literatura “convencional”. Tem diversos livros, alguns deles gigantescos.

Comente