Uncategorized

Depoimento de PM que acusou ministro é adiado

Do G1:

O policial militar João Dias Ferreira, que acusou o ministro do Esporte, Orlando Silva, de receber propina, pediu adiamento do depoimento que faria nesta terça-feira (18) na Superintendência Regional da Polícia Federal, em Brasília.

Conforme a assessoria da PF, João Dias alegou problemas de saúde e o depoimento será remarcado. A data provável é a próxima quinta-feira (20), mas ainda não há confirmação.

Dias prestaria esclarecimentos a convite. Na tarde de segunda-feira (17), Dias se encontrou por 20 minutos com o delegado da PF Jackson Rosales. O policial militar foi espontaneamente à superintendência da PF e, na reunião, ficou acertado o depoimento formal.

O policial militar comanda duas ONGs que receberam recursos em convênios com o Ministério do Esporte e responde a processo judicial que tramita em segredo de Justiça no qual o Ministério Público pede a condenação dele e a devolução de R$ 3,17 milhões aos cofres públicos.

Em reportagem publicada na edição deste final de semana da revista “Veja”, João Dias Ferreira disse que Silva recebeu um pacote de dinheiro na garagem do ministério e teria comandado um esquema de desvio de verbas do programa Segundo Tempo, destinado a incentivar a prática esportiva entre crianças e adolescentes.

As fraudes no Ministério do Esporte somariam, conforme a “Veja”, R$ 40 milhões nos últimos oito anos.

João Dias Ferreira foi preso pela Polícia Civil no ano passado por suspeita de participação no esquema.

Defesa do ministro
Em entrevista nesta segunda (17), Orlando Silva disse repudiar “veementemente” o que classificou como “falsidades” publicadas pela revista. “Não houve, não há e não haverá nenhuma prova das mentiras faladas por esse crimonoso”, declarou o ministro.

Silva disse que, durante a semana, vai impetrar ação penal por calúnia e ação civil por dano moral contra os que, segundo ele, “armaram uma trama farsesca”. “Vou até o último recurso judicial possível para defender a minha honra”, declarou.

Ele disse que não faz a “menor ideia” de quem seja a pessoa que Ferreira apontou como o portador do suposto pacote de dinheiro que teria sido entregue a ele. “Não faço a menor ideia, não faço a menor noção de quem seja”, declarou.

7 Comentários

  1. A estratégia do governo nestes assunto é sempre a mesma, começama se debater na areia movediça e vão afundando cada vez mais. Acham que um monte de explicações e chamar os acusadores de bandidos resolve tudo.

  2. JULIO CESAR DE SISTI Reply

    Pelo jeito já tá rolando grana!!! Começou a operação abafa!!!

  3. MENTIROSO,BANDIDO,A SERVIÇO DE OUTROS BANDIDOS,PARA DESESTABILIZAR A GOVERNABILIDADE DO PAÍS.

  4. Não foi adiado,ele disse que esta com problemas de saúde,mesmo assim foi se encontrar com a bancada do PSDB.

  5. A pseudo revista trouxe o depoimento do militar João Dias Ferreira acusando-o de ter recebido “uma caixa de papelão lotada de cédulas de R$ 50 e R$ 100, na garagem do ministério”.

    Silva se disse inocente e prometeu processar o PM, que está preso.

    Hoje em entrevista a folha o PM disse que nunca disse que Orlando Silva recebeu dinheiro no carro! Quem está mentindo: A Veja ou o PM?

Comente