Uncategorized

Ministério Público recebe Comissão do Táxi

A Comissão do Táxi da Câmara Municipal de Curitiba marcou para amanhã (21) um encontro com o procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná, Laerzio Chiesorin Junior.

Os vereadores vão levar ao órgão o debate sobre mudanças no sistema de táxis da cidade, visando melhorar o serviço ofertado aos cidadãos e as condições de trabalho dos taxistas.

De acordo com o Presidente da Comissão, vereador Jair Cézar (PSDB), encerramento dos trabalhos deve acontecer até o final deste ano, quando serão apresentados um relatório de sugestões ao Prefeito Municipal e um novo Projeto de Lei.

A legislação que rege o sistema curitibano foi elaborada na década de 1970 e a frota de táxis tem o mesmo tamanho desde 1976, apesar das mudanças no perfil da sociedade e do crescimento da população.

De acordo com a URBS existem 2.252 táxis em Curitiba. A comissão do Táxi e a própria URBS estão realizando estudos para determinar se há a necessidade de aumentar o número de veículos em circulação.

4 Comentários

  1. A prefeitura tem que mudar a lei dos pontos , uns tem previlégio e outros não. Quem tem ponto bom, ganha bem os outros taxistas que o ponto é ruim, tem que piranhar, e ainda são vistos com maus olhos pelo dono dos pontos. Acho que todos taxistas são iguais, então porque não deixar os pontos livres.

  2. Ministério Público DE CONTAS e não Ministério Público Estadual. Faz muita diferença.

  3. bom concordo com o colega sobre a questao dos pontos de taxi, se a lei é igual para todos entao os pontos tem de ser livres, em relaçao as novas placas sou a favor de licitar pois tem muitos taxis em nome de laranjas, enquanto eu e milhares de colegas nao temos placas que sao vendidas por 240 mil, é inadimissivel, como vou ter 240 mil sendo pai de 5 filhos??? justiça já!!!!

  4. Não precisa inventar nada é só serem sensatos como S.J.P. que colocou taxi suficiente, tirou monopolio do aero e ainda deixou os taxi só para quem trabalha, mais em Ctba acho muito dificil acontecer pois pode ferir muito os interesses de poucos, porem influentes, em São Paulo novas permissoes são sorteadas entres os taxista, entao não inventem faça como outras cidades que o serviço tambem funciona bem, não esqueçam que SP ficou na frente de Ctba em questão de qualidade. Falam tanto que o serviço pode diminuir, mas se fizerem igual SJP vamos ser os donos, e assim, mesmo trabalhando menos vamos ganhar mais, assim teremos um trabalho digno sem ser explorados. Acho muito estranho que quaze não esta sendo discutido que mais da metade dos permissionarios não trabalham e sim arrendam, cobram diaria ou racha, acho esse fato isso mais importante que 400 placas a mais.

Comente