Uncategorized

10 mil educadores marcham por 10% do PIB para a educação

A Campanha Nacional pelo Direito à Educação participa nesta quarta-feira, 26/10, da Marcha Nacional “10 mil pelos 10% do PIB para a Educação”, organizada pela CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação). A Marcha irá reunir pelo menos 10 mil educadores de todo o país em Brasília, para reivindicar o investimento do equivalente a 10% do PIB em educação pública, além de pressionar pela efetivação da lei do Piso Nacional Salarial para o magistério, entre outras pautas.

Os participantes se concentrarão às 9 horas em frente ao estádio Mané Garrincha e marcharão a partir das 10 horas até o Congresso Nacional. A Confederação coletou mais de 100 mil cartões de apoio aos 10% do PIB para a educação, que serão entregues ao Deputado Ângelo Vanhoni (PT-PR), relator do PNE (Plano Nacional de Educação – PL 8035/2010) na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, em audiência marcada para as 11 horas.

Para Roberto Leão, presidente da CNTE, a pressão no Congresso e no Governo Federal é essencial para que a educação avance e os profissionais da área tenham seus direitos garantidos. “Consideramos essa Marcha decisiva para a aprovação dos 10% do PIB para a educação e para denunciar o não cumprimento do Piso Salarial pelos estados e municípios”.

Bloco da Campanha – Na Marcha, o grupo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação levará uma faixa do movimento “PNE pra Valer – a educação que o Brasil quer e precisa”. Irão compor o “bloco” estudantes de ensino médio do DF, pessoas com deficiência visual, ativistas de educação infantil e de outros movimentos sociais. Segundo o coordenador geral da Campanha, Daniel Cara, “esta Marcha irá mobilizar o Congresso Nacional pelos 10% do PIB, já que o relatório final do novo Plano Nacional de educação está prestes a ser entregue”.

A Campanha mobilizou toda a sua rede de ativistas, formada por 20 comitês regionais e mais de 200 grupos e organizações de todo o país, para contribuir com a coleta de assinaturas da CNTE. Foram coletadas assinaturas em 17 estados e no DF, com participação de estudantes e professores universitários (USP – campus São Paulo e Ribeirão Preto, Uninove), ativistas de diversas organizações sociais, como Um Teto Para o Meu País, Fundação Abrinq, Ação Educativa, Aliança pela Infância, Instituto Paulo Freire, Instituto Ecos e Movimento Ocupa Sampa, Biblioteca Braille Dorina Nowill, Escola Pernambucana de Circo, Nova América, Escola de Gente, Instituto Cidadania, Cedeca Ceará, Inesc e Plan Brasil, entre várias outras.

Em agosto, a Campanha lançou a Nota Técnica “Por que 7% do PIB para educação é pouco? Cálculo dos investimentos adicionais necessários para o novo PNE garantir um padrão mínimo de qualidade”, que justifica a aplicação do equivalente a 10% do PIB em Educação, para que as metas do novo PNE possam ser atingidas no período de dez anos.

2 Comentários

  1. Fabio,
    Primeira mão para vc: confira no site do TSE, Carli conseguiu liminar ontem à noite no TSE. Ministro Marco Aurélico concedeu.

  2. É UMA PENA NOSSOS MESTRES……………..

    QUANTA LUTA POR COISAS Q EM

    NADA MELHORA NOSSA EDUCAÇÃO.

    UM POUCO DE AMOR PELO BRASIL

    SERIA MUITO BOM

    SÓ GREVES, GREVES

    QUE VERGONHA

Comente