Uncategorized

Projeto da Consciência Negra é adiado e militante se irrita

De Julio Cesar Lima da Banda B

O projeto de lei do deputado estadual Professor Lemos (PT), que prevê a criação do feriado estadual do Dia da Consciência Negra, no dia 20 de novembro foi retirado do plenário por 10 sessões por 33 votos contra 10. A justificativa do grupo que bloqueou o andamento do projeto é a de que tramitou no Congresso Nacional e depende apenas da aprovação da presidente Dilma Rousseff (PT) a sanção para que a data seja determinada como feriado nacional. Antes da votação, um militante se irritou com a possibilidade do projeto ser retirado e reclamou aos berros. A segurança precisou ser chamada para que os ânimos se acalmassem.

13 Comentários

  1. A coisa poderia ser assim: dia 21 feriado da consciência negra; dia 22 feriado da consciência polonesa; dia 23 feriado da consciência japonesa e dia 24 feriado da consciência branca.

  2. JULIO CESAR DE SISTI Responder

    Deveria sim ter feriado para todo tipo de consciência. A ano inteiro seria feriado em nosso Brasilzão!!!!
    O racismo é algo engraçado. É estimulado por ele mesmo. Algo como: eu sou negro então sou uma raça de menor inteligência por isso quero facilidade – cota – para ingressar nas faculdades, concurso públicos e empresas. E quero também um feriado só para negros para compensar os anos de escravatura neste país.É palhaçada isso!!!!

  3. Um país de mal amados!!!

    Acho, que além de dia da consciência negra, e o dia do orgulho étero, que querem aprovar em São Paulo, deveremos ter o dia da consciência parda, da consciência branca, da amarela, o dia do orgulho fêmea, dos que estão em cikma do muro,, dos que não são macvho nem fêmea(vi ontem num programa da rede TV um ser que dizia não ser homem nem mulher – para mim ele era é doido varrido), o dia dos anãos, etc e muitos etc.

    Mas o dia que falta mesmo a todos nós, é o da inteligência…esse sim esta em falta…

  4. Por que a discriminação?
    Alguém se preocupou em lançar o dia da Consciência Indígena?

  5. Parreiras Rodrigues Responder

    E falando em racismo, vejo meus irmãos pretos ricos chegados em branquelas.

    Filha minha, minha Indiana Jones, chegou de Inhassoro – Moçambique, dias atrás. Ficou duas semanas vivendo lá.

    Se banhou no oceano Índico e participou de safári.

    Mil fotos.

    Fez amizade com Raquel, a preta bonitona funcionária na hospedagem dela.

    Num dia qualquer, visitou Raquel, entrou e tomou café com a família.

    Dia seguinte, ficou sabendo que Raquel havia esparramado: Uma branca tomou café na minha casa.

    O espírito da segregação – como o Fantasma, ainda anda naquela parte do mundo.

  6. ▄▀▄†Ψ REQUEIJÃOΨ†▄▀▄™ Responder

    Teria que ter o “dia da consciência dos deputados”, pelo menos um dia!

  7. eu quero o “DIA DO POLACO”!, e dia do Árabe, do Judeu, do Japonês. Vamos parar o Brasil.

  8. Alfredo Camargo Responder

    Esse país é engraçado! O dia do descobrimento, 22 de abril, não é feriado. Tem data mais importante para ser comemorada que o dia em que oficialmente se comemora o descobrimento? E o Carnaval, que não é feriado, ninguém trabalha. Agora os negros querem feriado. Vão achar o que fazer povo desocupado!

  9. Quero que seja instituído o “dia do marido”. Este sim é merecedor de um feriado. É o que mais sofre “bulling” todo dia e ninguém toma providência……

  10. Os comentários dos leitores Carlos, Jorge Vasli, Julio Cesar de Sisti, Escritor e Nhengo são ótimos e indicam uma obviedade atroz: a proposta do dia da consciência negra é preconceituosa, já que visa enaltecer seres humanos pela cor da pele.
    Orra! Cadê esse bom senso da população nos parlamentares?
    Isso é, sem dúvida, coisa desses esquerdistas sem nada na cabeça, mais especificamente no PROFESSOR LEMOS do PT.

  11. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Não há necessidade de ficarmos nesta de, cotas pra negro, dia da consciência negra e outros projetos populistas eleitoreiros, titpicos do PT do Fascista Lula da Silva.

    Artigo 5º da Constituição Federal, o resto é resto.

Comente