Uncategorized

Golpe revolta consumidores em frente à revendedora de veículos


Foto: Sidney Alves – Banda B

De Daniel Castro e Sidney Alves da Banda B

Revoltados por se considerarem vítimas de golpes aplicados por duas revendedoras de carros de Curitiba, nesta sexta-feira (2) consumidores foram até a frente da loja “J.J. Veículos” exigindo a devolução do automóvel ou do dinheiro por parte da empresa.

Segundo investigações da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC), tanto ela quanto a “Cacareco Veículos” estão envolvidas em um golpe que ultrapassou os R$ 3 milhões.

A proprietária das lojas, Jackyline Elky Ferreira Nascimento, está foragida da justiça. Segundo a DEDC, ela é filha de uma apresentadora de TV que anunciava a venda de veículos no estádio Pinheirão, no bairro Tarumã. A polícia também procura João Eugênio Bastiani, marido de Jackyline, e Emerson Zanori, que atuava como advogado e teria a missão de “enrolar” os clientes durante as negociações.

O delegado Cassiano Aufiero alerta para que os prejudicados procurem seus direitos na delegacia. Até o momento, mais de 100 vítimas registraram queixa.

O Golpe

De acordo com o delegado, o golpe funcionava da seguinte forma: “quando as vítimas iam até a loja, os suspeitos compravam o carro dando um cheque fraudulento para as pessoas e dizendo que o carro estava vendido, mas precisavam de um tempo para pagar. Enquanto isso, eles vendiam mais barato para outras pessoas”, explicou.

Segundo Aufiero, os clientes cujos carros ainda não haviam sido negociados terão o veículo novamente. No entanto, aqueles que já foram vendidos não voltarão aos proprietários originais, uma vez que os compradores não teriam agido de má fé ao adquirir o produto.

8 Comentários

  1. Caíram no conto da loira hein? Agora que micaram estão chorando. Quando a esmola é muito grande, o santo desconfia. ACarlos

  2. JULIO CESAR DE SISTI Responder

    Como é que os compradores não agiram de má fé? Se um determinado produto, no caso um carro, é oferecido por um preço inferior ao preço praticado no mercado, é de se no mínimo desconfiar!!!! Tem linguiça debaixo dessa farofa!!!!

  3. Valério Kurten Responder

    Se o preço do veículo repassado para as garagens de carro foi muito inferior ao utilizado no mercado, é claro que os compradores agiram de má-fé. Tem uma teoria utilizada na Lei de Lavagem de dinheiro que explica isso, é a chamada Teoria da Avestruz, ou seja, o receptador finge que está tudo Ok e compra o produto por preço inferior. Os veículos devem voltar tudo aos proprietários originais e deixe que as revendas tomem prejuízo e nao os consumidores.

Comente