Uncategorized

Votorantim anuncia
R$ 625 milhões em fábrica no Paraná

Governador Beto Richa assinou inclusão do empreendimento no programa Paraná Competitivo

O grupo Votorantim acaba de anunciar o investimento de R$ 625 milhões na ampliação da unidade de Rio Branco do Sul, Região Metropolitana de Curitiba. O empreendimento foi enquadrado no programa Paraná Competitivo, que concede benefícios fiscais em troca da geração de emprego e renda. O documento foi assinado pelo governador Beto Richa e pelo diretor da empresa, Sidney Catania.

Com a ampliação, a fábrica de Rio Branco do Sul – que já é a maior da América Latina – se firma como um das maiores do mundo. A produção passa de 4 milhões de toneladas por ano para 6 milhões, tornando o Paraná exportador de cimento. O início da operação está marcado para 2013 com a geração de mais 180 empregos diretos e outros 800 indiretos na unidade.

6 Comentários

  1. E 1% deste valor para as escolas e hospitais da região??
    Que vergonha lamber os pés do capital deste jeito!!
    O povo de Almirante, Rio Branco e Itaperuçu sofre diretamente as consequencias deste ´progresso´.
    Há necessidade de contrapartidas sociais mais efetivas.

  2. Vigilante do Portão Responder

    Jorge, faz como o Requião,

    Afasta as empresas e 0% (zero) de impostos para aplicar em escolas e hospitais serão arrecadado.

    Burrice tem limite.

    Empresas, empregos, renda, impostos….

  3. Vigilante do Portão Responder

    Continuando,
    Certa feita, quando fazia faculdade, tivemos um embate sobre os benefícios fiscais às montadoras (estavam se instalando no PR).

    Uma colega, daquelas da esquerda radical, criticou as “benesses”.

    Chamou de “isenção”. Pura tolice, era apenas “diferimento”.

    Mais,

    Caso a empresa não viesse, JAMAIS receberíamos um centavo de impostos.

    Simples:

    Sem empresa,
    SEM IMPOSTOS, sem empregos….

  4. Muito bom ver um Governador mostrando serviço, trazendo investimentos e riqueza ao nosso Estado, enquanto isso os desocupados do PT estão invandido , terras, assembleia e o bolso alheio

  5. -Mas quanto o valor do cimento será mais barato?
    -Ou virão com aquela conversa mole de que quem regula o preço do cimento é regulado pelo mercado internacional???
    -É uma insensatez termos uma fábrica que será ampliada e o preço do produto como fica? e o pior: o fornecimento será ampliado, ou será como vemos hoje, falta do produto, encarecendo e atrasando obras…

Comente