Uncategorized

Relatório aponta problemas graves em delegacias do Paraná

De Débora Rodrigues do O Estado do Paraná

Superlotação, falta de água, de luz, de higiene, de assistências médica, jurídica e social são alguns dos problemas levantados durante vistoria realizada de março a outubro deste ano pela Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB/PR, nas delegacias de Curitiba, região metropolitana e litoral.

Segundo o relatório divulgado nesta quarta-feira (14), o caso mais grave é da delegacia de Paranaguá, que tem capacidade para 27 presos, mas abriga 249. É crescente o número de doenças infecto-contagiosas como tuberculose e aids, que chegam a níveis epidêmicos entre os presos.

A proposta da comissão é que o sistema prisional absorva esses presos para desafogar as delegacias. O relatório vai ser encaminhado a diversos órgãos, incluindo Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, Ministério Público e Vigilância Sanitária.

1 Comentário

  1. lucas Noqueira Responder

    Há vários anos, salvo engano desde 2001, alguns delegados tem comunicado a situação preocupante as entidades citadas na reportagens e nada foi feito e agora a OAB descobriu o ovo de colombo, é brincadeira de mal gosto, se atitudes tivessem sido tomadas isso não estaria ocorrendo hoje. O que falta é seriedade no trato público

Comente