Uncategorized

Plano Municipal da Cultura prevê mais espaços nos bairros

De Isadora Rupp da Gazeta do Povo

Levar equipamentos culturais, restritos quase que exclusivamente ao centro da cidade, para bairros mais afastados é o ponto fundamental nas discussões sobre a elaboração e implementação do Plano Municipal de Cultura de Curitiba, discutido pela comunidade e agentes culturais na 3.ª Conferência Municipal de Cultura, que aconteceu no último fim de semana. A pretensão é que, até o final de 2012, o documento, que terá diretrizes sobre o que deve ser realizado na área cultural nos próximos anos, seja finalizado e que as sugestões integrem uma provável revisão do Plano Diretor de Curitiba.

De acordo com a diretora de Ação Cultural da Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e presidente da Conferência, Janine Malanski, ter mais espaços nos bairros foi uma das questões mais debatidas. “A proposta é abrir novos locais e aproveitar equipamentos já existentes para desenvolver atividades culturais”, diz. Um desses espaços deve, aliás, ser utilizado antes mesmo da aprovação do plano, já que Curitiba é uma das cidades que receberá, em 2012, verba do programa Usinas Culturais, do Ministério da Cultura (MinC) – a divulgação dos municípios selecionados ocorreu no início do mês. Com o dinheiro (cerca de R$ 500 mil), segundo Janine, um barracão no Bairro Novo passará por reformas para receber oficinas e atividades.

Outras propostas são o mapeamento e organização de indicadores culturais, ações educativas e de formação de plateia, além de uma cláusula prevendo que 1% do orçamento municipal seja destinado para a cultura. Todas as discussões estão centradas em seis eixos, que envolvem artes visuais, cinema, design, entre outros.

Paraná

A área de cultura também continua articulada no âmbito estadual. No fim da semana passada, foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o Programa Estadual de Incentivo à Cultura (Profice) e o Fundo Estadual de Cultura, que possibilitará ao Paraná buscar mais recursos, inclusive federais. Na sessão, foi aprovada também emenda do presidente da Comissão de Cultura, deputado Péricles de Mello (PT), autorizando empresas que incentivem projetos por meio do ICMS, isenção de até 5% do imposto – antes da emenda, o porcentual previsto era de 3%.

1 Comentário

  1. jorge fotografo Responder

    Prá variar, mais um programa que irá funcionar em Curitiba com recursos do Governo Federal…

Comente