Uncategorized

Dilma se reúne com ministros para discutir ações contra chuvas

Presidente recebe análise sobre ações do governo de socorro a vítimas. Coordenado por Gleisi, grupo se reuniu no domingo para avaliação.

Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff se reúne na manhã desta segunda (9) com grupo de ministros e técnicos responsáveis pelo gerenciamento das estratégias do governo contra as chuvas que atingem principalmente estados do Sudeste do país. A audiência, no Palácio do Planalto, começou às 10h40.

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, Fernando Bezerra Coelho, da Integração Nacional, Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia, Paulo Sérgio Passos, dos Transportes, e Alexandre Padilha, da Saúde, foram convocados pela presidente a apresentar um balanço das ações já tomadas contra os desastres. Representantes da Agência Nacional das Águas, da Defesa Civil e de outros órgãos técnicos que auxiliam o governo na estratégia de contornar os desastres também participam da audiência.

No domingo, os cinco se reuniram em Brasília, sob a coordenação de Gleisi, para avaliar os resultados das medidas do governo para minimizar os efeitos das chuvas e de se discutir novas ações de ajuda para as vítimas.

Durante a reunião de domingo, segundo a assessoria do Ministério da Integração, os ministros relacionaram os municípios em situação considerada mais preocupante devido ao risco de deslizamentos de terra e inundações: Ouro Preto, Belo Horizonte e Contagem; Nova Friburgo e Sumidouro, na região serrana do Rio de Janeiro; e Vitória, Serra e Santa Leopoldina, no Espírito Santo.

De acordo com a assessoria, o governo decidiu manter até março os postos avançados que foram montados nas regiões atingidas pelas enchentes. Inicialmente, o funcionamento seria apenas até que fosse normalizada a situação nesses locais. Os postos de ajuda contam com geólogos, técnicos de defesa civil e profissionais de saúde que trabalham para minimizar os estragos e no auxílios às populações que sofrem as consequências das chuvas.

Minas Gerais é o estado mais afetado pelas chuvas. De acordo com boletim deste domingo da Defesa Civil, 12 pessoas morreram no estado desde o início do período chuvoso, em outubro, e 103 prefeituras decretaram situação de emergência.

4 Comentários

  1. Devido a inoperância do PT nestes 10 anos no poder, temos novamente o espetáculo previsto de uma profecia autorealizável anualmente: as vítimas recorrentes das enchentes de verão que perdem seus patrimônios e algumas a própria vida.
    Mas quando a ação é tardia, algum expediênte para simular a ação é indispensável, e por isso anuncia-se mais uma reunião ministerial de ermergência para tratar da tragédia.
    O país está a deriva.

  2. Vigilante do Portão Responder

    Na vida real, o governo REDUZIU AS VERBAS.

    Não mandou o dinheiro prometido no início de 2011.

    Reuniões, comissões…

    Bem do tipo do PT.

  3. salete cesconeto de arruda Responder

    Essa gente inocente…
    Dá um cansaço!
    Deveríamos lembrar a eles que quem governa o município e o estado é o prefeito e o governador, Fabio?
    E que cabe aos vereadores, deputados, senadores….. cuidarem das suas bases juntamente com as autoridades responsáveis pelas comunidades?
    Sei.
    Melhor deixar que continuem pensando que a cegonha faz bebês…

  4. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    O PT adora tragédias, esta é a grande verdade. Vejam, Lula no primeiro momento de sua doença, não perdeu tempo em aparecer na televisão para fazer populismo. Agora, Dilmão também comemora a tragédia dos alagados pensando em aumentar sua popularidade através de bolsas.

    PT, o câncer do Brasil.

Comente