Uncategorized

PDT e as eleições

Do Lauro Jardim

Carlos Lupi vai retomar o comando do PDT nesta semana com a missão de conduzir as alianças do partido para a eleição municipal de outubro. Embora tenha como prioridade as parcerias com partidos do governo, a cúpula pedetista não terá restrições na composição das coligações. Do DEM ao PTB, do PSDB ao PT, tudo será permitido.

Um cacique pedetista afirma que a meta do partido é sair das urnas de outubro com 400 prefeitos. Hoje, os pedetistas governam em 320 cidades e duas capitais: Macapá e Porto Alegre. Apesar do escândalo de Lupi no Trabalho, o PDT acha que pode crescer.

5 Comentários

  1. salete cesconeto de arruda Responder

    Enquanto isso fábio, o PSDB vai ficando miudinho…
    Facilita vira bico e mais nada depois da PRIVATARIA.
    Eu repito: se o Beto pretende continuar na política melhor trocar de ninho rapidinho.
    A herança do PSDB depois do CERRADO da bolinha e do aborto se tornou maldita.
    Alerta o Beto. Ainda é tempo de ouvir o povo e de mudar de partido.

  2. O episódio da migração do Fruet para o PDT e a ascensão do Lupi
    para a coordenação dentro do PDT “matou” o político Fruet…
    Comece a tirar água do barquinho com caneca porque já está afun-
    dando !!!

  3. JURANDIR ROSA - LONDRINA-PARAN Responder

    O P.D.T. NÃO E PARTIDO DE MEIA DUZIA, O PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA E DE TODOS OS BRASILEIROS.

    PROJETO: BRIZOLA- VIVE –

Comente