Uncategorized

Justiça manda seguir licitação de radares em Curitiba

A juíza da 3ª Vara da Fazenda Pública, Caroline Delduque Basso, determinou nesta sexta-feira, o prosseguimento da licitação para o fornecimento e implantação de equipamentos fixos de monitoramento de tráfego em tempo real (radares e barreiras eletrônicas). A licitação, iniciada em 31 de janeiro, teve quatro propostas apresentadas: das empresas Consórcio Iessa Indra, Velsis; Suprema Sistemas Viários Ltda; Fiscal Tecnologia e Automação Ltda e Engebras Indústria, Comércio e Tecnologia de Informática.

O Consórcio Iessa Indra, Velsis foi classificado em primeiro lugar na fase de tomada de preços com o valor de R$ 27.450.258,23. O próximo passo será o de testes com a apresentação de amostras dos equipamentos. O resultado final do julgamento da primeira fase da licitação será divulgado em 23 de fevereiro. Se houver problemas com a empresa classificada em primeiro lugar, a segunda colocada será chamada e assim sucessivamente.

Encerrada a primeira fase, terá início a etapa de habilitação da empresa, que deverá comprovar ter condições técnicas, jurídica e financeira de fornecer e instalar os equipamentos. O edital de licitação prevê a compra de radares e barreira eletrônicas para até 232 locais. Pelo processo licitatório, na modalidade concorrência pública pelo sistema de registro de preços, a empresa vencedora se compromete a manter o preço pelo período de 12 meses para compra dos equipamentos e softwares.

2 Comentários

  1. Como podemos confiar nessa Justiça, se nem mesmo ela confia em suas decisões, sempre se contradizendo como se fosse a coisa mais natural?!?!?!?! Aqui no 3º mundinho, vale tudo pela ARRECADAÇÃO!!!

Comente