Uncategorized

Justiça manda 80% dos ônibus circularem nos horários de pico

A Justiça mandou o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus manter 80% dos ônibus da frota do transporte coletivo para atendimento à população nos horários de pico, das 6h às 9h e das 16h30 às 20h. A determinação respondeu à representação feita pela Urbs em razão da greve iniciada na madrugada desta terça-feira (14). No despacho, assinado às 2h47 desta terça, a juíza Patrícia Lages de Lima, da 11ª Vara Cível, também determinou que, fora do horário de pico, o atendimento à população deve ser feito por, pelo menos, 60% da frota.

O Sindimoc foi notificado da decisão, por oficial de Justiça, no início da manhã desta terça. A juíza considerou a não-circulação de ônibus como lesiva aos interesses da população. A decisão também foi informada pela Urbs, ainda de madrugada, a todas as empresas operadoras do sistema de transporte coletivo.

A rede de transporte tem 1.915 ônibus que, em dias úteis transportam 2,3 milhões de passageiros. O sistema atende Curitiba e 13 municípios da Região Metropolitana. São 355 linhas integradas, 30 terminais de transporte e 364 estações tubo.

12 Comentários

  1. Ola fabio eu acho ´justo essa revindicaçao . Eles tem que lutar para a categoria ser mais valorisada .

  2. Vigilante do Portão Responder

    LERDOS!

    Todo mundo sabia que haveria greve.

    A Prefeitura deveria estar mais preparada,
    A Polícia deveria, desde a madrugada, estar nas portas das empresas de ônibus, garantindo o direito ao trabalho.

    Ao contrário, os piqueteiros IMPEDIAM a entrada daqueles que queriam trabalhar.

    Agora é que a prefeitura vai liberar as LOTAÇÕES.

    A carona solidária, poderia estar sendo incentivada, nas rádios e na TV.

    Eu mesmo, na saída de casa, passei na República, parei na Estação Tubo e perguntei quem queria carona até a Rui Barbosa.
    Treis pessoas aceitaram.
    Na volta, farei o mesmo.

  3. Cajucy Cajuman Responder

    Sempre quem sai prejudicado é o povo, né?
    Claro que a lei permite a greve. Claro que a greve é um direito do trabalhador. Tudo isso a gente sabe. E respeita.

    Mas quem respeita os direitos do cidadão? Essa briga entre patrão e empregado tem que ser discutida até a última – das últimas – instâncias, antes de entrar em greve.

    Mas virou moda. Qualquer interesse não acertado, acomodado, ajeitado, corta-se o diálogo e vamos pro pau! E quando se fala em pau, alvoroço e eventual briga, é paralisação e dane-se o povo, os seus compromissos e a sua vida afetada.

    Ainda bem que por aqui ainda não chegou a onda de vandalismo, destruição do patrimônio como acontece Brasil afora. Aí seria o horror, né?

  4. Ora, porque a justiça não tenta arbitrar um acordo entre as partes?

    Ao invés de ficar liminarizando?

  5. Vai ser um ano de greves . É só que os PTs sabem fazer : anarquia, confusão e baixaria, coisas típicas dos sindicatos PeTistas

  6. Eu diria q a sorte dessa classe sofrida é q eles n são policiais se não já estaria na cidade a guarda nacional o EB com seus tanques urutu, cascavel, caminhões blindados isso por terra e pelo ar os miragem e pelo mar as fragatas fora as cara pintadas tudo por determinação dos petralhas pois é proibido fazer greves n é mesmo ?

  7. o trabalhador vai fazer oque agora para ser valorizado, em breve quem fazer greve será demitido por justa causa e a juiza vai assinar pois ela ganha bem, pra que valorizar o pobre. A populaçao nao pode sofrer com a falta de onibus mas a empresa nao abre diálogo o que fazer agora… acho que o ministerio publico teria que representar contra estas empresas exigindo explicações e fazer propostas e dar o que é justo a estes trabalhadores. Ta difícil… o trabalhador está sendo massacrado neste pais…

  8. As vezes me pergunto. Será que estamos no Brasil mesmo? Inacreditável como essa nossa “Justiça” é rápida e competente. Que eficiência em julgar e decidir sobre questões que dizem respeito à coletividade. Afinal de contas o maior prejudicado com essa greve acaba sendo o trabalhador, o estudante, enfim, o cidadão que depende do nosso transporte público de cada dia. E, afianl, qual o propósito de uma greve que, seguindo a dita regra, só pode comprometer 20% de seu atendimento como moeda de troca para as reinvidicações?
    Em ano eleitoral quem é que mais perde com tantas greves? Ainda bem que, como dizem por aí os curitibanos, “o eleitor daqui é mais consciente do que os eleitores do resto do Brasil”e vai saber escolher o candidato certo para garantir uma boa gestão dos serviços públicos…

  9. o poblema e ser usado.para jogo politico.isso e para subir a passagem.cria vergonha na carra sr anderson.

  10. sergio silvestre Responder

    Se somos (parece) um pais democratico,porque esse juiz
    quer arbitrar a greve.
    Quando é para pobre sai rapido a liminar né.

Comente