Uncategorized

Sindicatos da Policia Civil retomam negociação com o governo hoje, às 15h00


Os dirigentes das entidades representativas da Polícia Civil se reúnem logo mais, às 15 horas, com a equipe do Governo do Estado, para a retomada do diálogo e uma nova rodada de negociações. O encontro cerca-se de muita expectativa da classe para a solução do problema e a apresentação de uma nova proposta de valores da tabela do subsídio à Polícia Civil. Depois do anúncio do indicativo de greve e da Operação Padrão, em assembleia geral, em Curitiba, na última quarta-feira (15) (foto) o governo estadual manteve-se rígido perante a posição assumida e até hoje (sexta-feira, 17) não havia sinalizado nenhuma possibilidade de renegociação.

Ontem, duas outras entidades representativas: Sindipol (Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região) e a Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná) aderiram ao movimento grevista, pressionando, de certa forma, o governo a reiniciar o diálogo, sem contar que o prazo para o início efetivo da greve em todo estado está prestes a findar, com previsão para segunda-feira. “Nós sempre estivemos abertos ao diálogo e à negociação, mas a proposta do governo quanto a tabela do subsídio é inaceitável, pois não representa o aumento real de salário para os policiais civis, muito menos contempla todas as classes, com exceção das quarta e quinta classes, com uma elevação salarial quase irrisória”, disse André Gutierrez, presidente do Sinclapol.

19 Comentários

  1. Podem cobrar, promessa de campanha tem que ser cumprida. Dinheiro tem, basta ver as centenas de cargos comissionados que foram criados…polícia e professor tem que cobrar……..e ser bem remunerado………

  2. Viu? Foi só anunciar o indicativo de greve que o governo tremeu. É preciso fazer barulho pra esse governo entender o que queremos. Vamos fazer eles passarem vergonha. Só assim vamos aparecer. Esse governo ainda não levou nenhum “choque” pra sentir do que somos capazes.

  3. Boa, há uma luz no fim do túnel. A intransigência do governo poderia ser desastrosa para toda a sociedade. Mas se sentar para negociar e oferecer mais 1% tanbém não dá, né? Só vai piorar a situação e jogar mais gasolina na fogueira.

  4. -Será que vão chegar a um denominador comum???
    -Até quando o povo paranaense ficará submetido à “insegurança pública”?

  5. Vigilante do Portão Responder

    O uso de viaturas em carreatas, é ILEGAL,
    Passivel de PUNIÇÃO.

    Ainda mais com a sirene ligada e trancando Rua, como foi o caso de ontem no manifesto na sede da Criminalística.

  6. BETO RICHA NUNCA MAIS Responder

    Após anunciar um suposto reajuste as categorias policiais do Paraná que no meu caso, com 27 anos de serviço terei uma diminuição de R$ 195,00 além do que fica extinta até o ano de 2014 qualquer perspectiva de melhoria salarial, somos alvo, mais uma vez, da propaganda mentirosa do (des)governo do Sr. Beto Richa e seus asseclas.
    Alegam não ser possível pagar um salário digno para a classe policial, senão vejamos:
    Beto Richa decide dar agrado de R$ 300 mil a cada deputado
    Está na edição desta terça-feira (11) nos jornais de Curitiba. O título acima é da Gazeta do Povo. Na semana passada o senhor governador sinalizou que cada deputado estadual teria direito a apresentar emenda ao Orçamento do Estado no ano quem de R$ 300 mil.
    A grita foi geral e o Governo decidiu recuar. Cada nobre terá R$ 2 milhões de emendas pessoais em 2012. Para este ano, 2011, Beto Richa dará “agrado” (termo usado pela Gazeta) ou “mimo” (termo do Paraná Online) no valor de R$ 300 mil. Não tem outra definição – uma vergonha!
    Veja a declaração textual do líder do governo na Assémbleia, Ademar Traiano (PSDB), o Executivo tem caixa suficiente para pagar os R$ 16,2 milhões em investimentos indicados pelos deputados. “Foi um pleito dos deputados, que o governador entendeu que era prudente atender”, justificou, ressaltando que o tema seria discutido numa reunião ontem à noite entre o Richa e os parlamentares. E esta declaração? “Vai ser colocado aos parlamentares um enxoval dentro do que é possível aplicar. Fora do programa de governo, não se aplica.”
    Um enxoval? Que eu saiba quem ganha enxoval é noiva! Seria este o caso?
    Comissionados do PR têm reajuste de até 128%
    Curitiba – Os cerca de 3,9 mil funcionários comissionados do governo do Paraná terão reajuste salarial entre 60% e 128% no fim deste mês. Os valores somam-se a outro aumento de 6,5% que lhes foi destinado em julho, quando os vencimentos dos servidores públicos concursados também foram reajustados no mesmo porcentual. O governador Beto Richa (PSDB) assinou decreto estabelecendo o novo aumento no dia 11, véspera do feriado da Padroeira do Brasil, mesmo dia em que foi publicado no Diário Oficial do Estado.
    De acordo com o governo, o reajuste era necessário em razão de defasagem observada desde 1998, período em que, segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Durval Amaral, houve apenas duas pequenas correções. Nesse período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) chegou a 134,68%. Segundo Amaral, o reajuste impactará em cerca de 0,3% a folha de pagamento, com aumento de aproximadamente R$ 2,7 milhões. Ele acrescentou que cerca de 50% dos comissionados são servidores concursados.

    Governo do PR aumenta em quase cinco vezes gasto com comunicação
    O governo do Paraná, comandado por Beto Richa (PSDB), vai gastar neste ano mais de quatro vezes mais na área de comunicação do que em 2011.
    O orçamento de 2011 havia sido definido pelo governo anterior, de Roberto Requião (PMDB) e de seu vice Orlando Pessuti (PMDB).
    Durante os oito anos em que governou o Estado, Requião cortou as verbas de publicidade para os jornais e rádios locais, medida que chamava de “choque de moralidade”.
    Neste ano, os gastos da Secretaria de Comunicação Social serão de R$ 52,1 milhões –valor quase cinco vezes maior que o orçamento do ano anterior, de R$ 11,6 milhões.
    Cerca de 70% do orçamento da pasta, afirma o governo, deve ser destinado a contratos de publicidade, cuja licitação está em andamento.
    Seis agências serão contratadas, ao custo total de R$ 143,5 milhões (valor diluído entre várias secretarias).
    O objetivo das peças, segundo o edital de licitação, será “resgatar a confiança da população no governo do Paraná e aumentar a autoestima dos paranaenses em relação a seu Estado”, além de “atrair o interesse dos grandes investidores”.
    O secretário de comunicação do Paraná, Marcelo Cattani, disse, via assessoria de imprensa, que, diferentemente do governo anterior, a atual gestão considera a política de comunicação uma política pública.
    “[O governo] tem o dever de dar publicidade, de forma clara, abrangente e objetiva, aos programas que desenvolve, a fim de que as comunidades tenham conhecimento suficiente daquilo que é realizado em seu favor”, afirma o governo, no edital para a contratação das agências de publicidade.

    BETO RICHA QUER SUBSIDIAR ÔNIBUS DE CURITIBA:
    Pela primeira vez, as autoridades locais estão admitindo a possibilidade de colocar subsídio direto no sistema de transporte coletivo de Curitiba. Dinheiro de impostos injetado para evitar que o preço da tarifa suba demais. E o mais curioso: o dinheiro não sairia do caixa da prefeitura, e sim dos cofres do governo do estado.
    A articulação está sendo feita entre o prefeito Luciano Ducci e seu padrinho político, o governador Beto Richa. A ideia seria colocar o subsídio nas linhas integradas metropolitanas, aquelas que carregam passageiros de Curitiba para as cidades vizinhas e vice-versa. São as linhas mais caras, que mais pressionam a tarifa técnica.
    O plano original de Richa e Ducci, na verdade, era de abater o ICMS do diesel usado nos ônibus de Curitiba. Mas além de o resultado ser pequeno, haveria impedimentos burocráticos. Ducci diz que, a partir do momento em que viu a dificuldade legal, a dupla passou a pensar em outra solução. O governo recebe o ICMS, como sempre fez. Mas põe dinheiro vivo no sistema.
    Se der certo, seria um alívio não apenas para a tarifa, mas também para a candidatura de Ducci à reeleição. Se Richa provou alguma coisa nas últimas duas eleições municipais é que o preço que o cidadão paga para andar de ônibus é fundamental para ter discurso de campanha. Em 2004, como vice, aproveitou uma interinidade para baixar a tarifa e se fazer politicamente. No mandato, manteve a passagem baixa, mesmo com o sistema no vermelho, e teve 77% dos votos para a reeleição.
    Se a tarifa subisse demais, Ducci estaria em maus lençóis. A atual negociação entre patrões e funcionários do sistema põe em risco a campanha da dupla por mais um mandato na cidade. No total, os salários e benefícios são responsáveis por 42% da passagem paga pelos usuários. Ou seja: dos R$ 2,50 que o cidadão desembolsa para entrar no transporte, R$ 1,05 são para pagamento dos funcionários.
    Ducci fica de mãos atadas na negociação. Para os patrões, na verdade, não faz muito sentido insistir demais em negar aumentos. O dinheiro, no fundo, não é deles. O que eles querem é pôr o sistema em funcionamento (que é o que lhes dá lucro). Para eles, o melhor é dar logo o aumento e informar a prefeitura que a conta subiu.
    Quem fica com o prejuízo são os passageiros. E quem corre o risco de pagar pelo descontentamento da população é o prefeito. Nada bom em um ano em que seu emprego está dependendo da aprovação de pelo menos 50% da cidade.

    Note-se que na matéria referente ao reajuste de 128% aos cargos comissionados, o (des)governo afirma textualmente: o reajuste era necessário em razão de defasagem observada desde 1998, período em que, segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Durval Amaral, houve apenas duas pequenas correções.
    Já no anúncio so suposto reajuste ás categorias policiais, o próprio Beto Richa afirma:
    “É lamentável que haja interesse político de insuflar as categorias, para causar desgaste do governador. Falam em reposição de perdas de 13 anos. Não há como fazer milagre. Não tenho esse dom. Tem que haver compreensão”.

    Dois pesos, duas medidas, além do que duas caras.
    O suposto reajuste oferecido ás classes policiais, representam um impacto de quatro milhões para 2012, dois milhões para 2013 e quatro milhões para 2.014. Isto é, para este ano, está previsto o gasto de meros R$ 3 milhões aproximadamente, dos R$ 150 milhões orçamentados para a PM. Para a PC, nem a metade disto, isso porque emendas aprovadas na ALEP somam R$ 150 milhões, apenas para a PM.
    Pois bem, 4+2+4= 10 Milhões e para que servirão os outros R$ 140 milhões previstos para o investimento da implementação da EC29?

    Senhor Beto Richa, pode ter certeza que diante de sua breve passagem pelo Governo do Estado do Paraná, seu nome já esta gravado na memória do funcionalismo público só que de forma diferente do que foi a passagem de seu saudoso pai.

  7. PORQUE ANTES DE IR NA IMPRENSA SE FAZENDO DE BONZINHO E TENTANDO JOGAR A POPULAÇÃO CONTRA AS POLICIAIS NÃO CHAMOU AS ENTIDADES PARA APRESENTAR AS PROPOSTAS E CONTINUAR AS NEGOCIAÇÕES – A QUE PONTO CHEGAMOS – PROMESSA DE CAMPANHA – CONVERSEM COM OS POLICIAIS E VERÃO QUE FORAM ENGANADOS – E AINDA A VERDADEIRA TABELA FOI FEITA POR TÉCNICOS DO GOVERNO POR UMA COMISSÃO FORMADA POR UM DECRETO. INTERMINÁVEIS REUNIÕES E APRESENTARAM AS TABELAS SEM CONSULTAR OS REPRESENTANTES DAS CLASSES, E AINDA NÃO SOMOS MASSAS DE MANOBRA DE NENHUM POLÍTICO – ISSO É DESCULPA PARA JOGAR A POPULAÇÃO CONTRA A POLÍCIA

  8. Sr. Fabio Campana
    Sabia que foi o próprio Governo que instituiu uma comissão mediante uma Resolução, para dar inicio aos estudos da tabela do subsidio, Estatuto da polícia Civil, e ainda mais ele sabe que tem dinheiro porque no final do ano 2011m foi aprovada na LOA, PPA, a quantia de R$ 150 milhões para além de serrem gastos com a Segurança Pública em geral também era para ser pagos os aumentos que são os subsídios das Políciais e agora ele vem com essa tabela de última hora, ironizando que não há dinheiro no caixa do Estado do Paraná.
    Em pleno século XXI, quem ele pensa que esta enganando.
    Sei do seu carater e lhe penso, olhe, de que forma, aonde, quando, e como será gastos esses R$ 150 milhões de reais.

  9. TIVEMOS O PRAZER DE CONHECER O SR VIGILANTE DO PORTÃO,NOTEM ELE SO POSTA SEUS DEVANEIOS CONTRA OS POLICIAIS DURANTE O DIA,ELE FOI ENCONTRADO NUMA LAN HOUSE NO SHOPPING TOTAL,QUANDO O VIMOS,A DESCULPA DELE E QUE SEMPRE QUIS SER POLICIAL,ELE TENTOU MUITOS CONCURSOS E PASSOU EM TODOS,SO QUE ESQUECERAM DE AVISAR ELE QUE AS INSCRIÇOES ERA FEITAS NO SITE DA UEL DE LONDRINA, NAO NA METRONIC,E METROPOLITANA,ELE SO DESCOBRIU QUE JAMAIS SERIA PM QUANDO DERAM UMA FARDA AZUL PARA ELE E UM BONEZINHO COM UM CINTO E PORTA TONFA.,E GANHAR 3 MIL REAIS NAO E PARA QUALQUER UM CARO VIGILANTE

  10. ELE TB AFIRMOU QUE É VIGILANTE NO PORTÃO E MORA NA COMUNIDADE DO PAROLIN,E FOI DIFICIL DE EXPLICAR PARA ELE QUE POLICIAIS SAO POLICIAS E VIGILANTES SÃO NOSSOS PRIMOS POBRES

  11. Incômoda é a situação dos representantes classistas dos Delegados de Polícia do Estado.Por ocasião das eleições de suas entidades de classe(Adepol e Sindepol) tiveram o apoio explícito da máquina governamental,fato admitido pelo próprio Delegado Geral em entrevista à Gazeta do Povo.Moralmente,ficam de mãos atadas,para defenderem os legítimos interesses da classe,que mais uma vez, está sendo enganada,duplamente,pelo governo e pelos seus representantes.Deveriam sim,renunciar,de vergonha e o dirigente maior da instituição,pedir exoneração de seu cargo.

  12. Governador cumpra a Lei Responder

    A proposta que o governo apresentou é uma ofensa aos policiais Civis e Militares.
    Na verdade nesta tabela apresentada pelo governo não tem aumento para que tem mais de 10 anos de serviço.
    Para a maioria a proposta do governo é pior do que nada, pois sem ela todos tem por direito a reposição da inflação em maio já a proposta do Beto tira até este direito da maioria dos policiais.

  13. Bom não sou policial, mas estou apoiando as manifestações dos mesmos, pense: são eles os responsaveis pela nossa segura e da nossa minha familia. Saem de casa sem a certeza de voltar, recebem um salario de fome para isso, sao obrigados a pagar todos os meses pela farda mesmo q não tenham solicitado novas e quando solicitam é um parto para receber. Infelizmente muitos precisam fazer “bico” para aumentar a renda e poder sustentar a familia. Não recebem treinamento adequado, muitos saem da academia sem saber atirar. A população deveria sair as ruas junto com os policiais e engrossar o coro por um aumento digno e justo para eles.

  14. Vigilante do Portão Responder

    Nada de negociação,
    Caso entrem em greve,
    SUSPENDER o reajuste combinado.

    Transferir os líderes para o interior,

    Santo Antônio da Amoreira, Paranavaí carlópolis, etc.

    Requião fez assim.

  15. O projeto Richa para a implementação do SUBSÍDIO dos policiais militares e civis está desfigurado e se constitui, agora, numa peça de artilharia que, se volta contra o artilheiro ou criador. Desfigurado, manipulado e corrompido, o Governo o apresenta como um instrumento da maldade salarial, gestada no seio dos seus implementadores. Tipo assim: “vocês querem subsídio? Pois vejam o que nós conseguimos fazer dele!!”.

    Realmente, subtraíram a remuneração dos coronéis atuais como a base da hierarquia militar e salarial. Criaram e fixaram um valor “arbitrário e fictício”, como teto da remuneração do futuro coronel (R$ 15.418,22). Desconstruíram o escalonamento salarial vertical atual (e o vigente ao tempo da Emenda à CF19/98), instituídos por lei, e o substituíram por um novo, da sua invenção e sem base técnica ou jurídica. Estabeleceram que a carreira se encerra do plano remuneratório aos 25 anos (não aos 35), e por este mecanismo, subtraíram dos que já o têm incorporado (50%), revisando-o, anualmente; mas, que serve como teto para os que chegam. Isto é, ninguém chegará aos sete quinquênios.

    Vendendo miragem, o Governo concede a aparente “benesse” de nivelar o soldado como se ele já tivesse, ilusoriamente, 25 anos de serviço e não 35 como é de direito. Assim, também, fixou um teto salarial reduzido para as praças. Com isto, dá, num primeiro momento, um modesto “upgrade” na remuneração atual do soldado – embora lhe furtando o futuro e, com base na sua remuneração atual, pois foi desconsiderada a soma das vantagens. Por consequência, todos se nivelam em aproximadamente R$ 3.000,00 para, somente voltar a concretizá-la em pouco mais de R$ 3.500,00, em 2014; contrariando o Parágrafo 4º do Artigo 39 da Constituição Federal.

    Por este mesmo mecanismo dos 25 anos, abstrai a inatividade de qualquer benefício da implementação do subsídio, congelando os que já atingiram o patamar da remuneração máxima e bloqueando a passagem das vantagens aos 25 anos. Para os inativos não há “impacto” na folha de pagamento: ele não existe para os inativos– vai tudo para a vantagem pessoal inominada.

    Há mais armadilhas escondidas: esperem para ver!

    Assim, percebemos que o mal não tem limites. Voltamos à luta secular do trabalhador contra o patrão. A Assembleia Legislativa, certamente, não endossará esta grosseria que se pretende fazer contra os policiais civis e militares, e especialmente contra si própria, pois discutiu à exaustão a concessão do subsídio como forma remuneratória aos policiais em cumprimento ao mandamento constitucional federal, Emenda 19/98, e estadual, pela Emenda 29/10.

    As ponderações de todos os integrantes da comunidade, comandante-geral, subcomandante-geral e quatro membros do Fórum das Entidades, foram feitas, mas, apesar das insistências, de nada adiantou. Muitas desculpas, tratamento cuidadosamente VIP à Mesa, mas de resultado positivo: absolutamente nada! As perspectivas para uma discussão final, pós-carnaval, só servirão para esquentar os ânimos, pois não se acena com absolutamente nada. Ainda assim, se nos for dado lugar à Mesa, lá estaremos!

    Acreditem apenas em nós mesmos, vamos ampliar os atos públicos e teremos novo material de esclarecimento à população. Vamos demonstrar claramente que o Governo oferece uma proposta maliciosa.

    Do projeto original não se guardou absolutamente nada e do subsídio, apenas o nome, com a “benesse” da representante da PGE, que lhe empresta capa conceitual, esquecidos de que vão, mais hora, menos hora, tomar desse mesmo remédio, pois estão incluídos na Emenda CF 19/98.

    As emendas orçamentárias da autoria do deputado Mauro Moraes e aprovadas pelos senhores deputados não foram consideradas. Os impactos foram declarados de quatro milhões para 2012, dois milhões para 2013 e quatro milhões para 2.014. Isto é, para este ano, está previsto o gasto de meros R$ 3 milhões aproximadamente, dos R$ 150 milhões orçamentados para a PM. Para a PC, nem a metade disto.

  16. Boa pergunta…
    Pq não apresentou primeiro a tabela aos policiais e dai sim, negociar???

    Foi a impensa com uma tabela mentirosa e depois recuou sabendo que o estrago lhe foi grande, uma vez que os numeros apresentadaos são falsos…
    Tentou jogar a população contra os policiais, só que se deu mau…somos ordeiros, porém não somos burros governador..não queremos greve. Queremos apenas o que nos é de direito. Seja honrado como nós estamos sendo, pois tudo tem limite…

  17. constitucionalista Responder

    O numero de cargos comecionados ultrapassou o numero de concursados, tiveram aumento de 60% no inicio da gestao, a lei de responsabilidade fiscal estaria no limite com pessoal, a solução da norma é a demissao dos cargos em começão, mas acho melhor transformar tudo em começão, pois se ganha mais, nao precisa estudar em media 5 anos sem parar ate passar, apenas comer ou para alguns dar, e ter um chefe analfabeto funcional.
    Mas quanto a tabela do subsidio…ja eram os quinquenios! no minimo 10 anos ignorados, dois quinquenios perdidos

Comente