Uncategorized

Irritado, Requião cobra compromisso eleitoral da direção nacional do PT

O PMDB de Curitiba encaminhou esta semana um manifesto às lideranças nacionais do PT e do PMDB, cobrando um compromisso eleitoral do partido da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, nas eleições de 7 de outubro na capital do Paraná. A iniciativa é uma reação ao noticiário dos últimos meses, indicado que o PT vai abrir mão de candidatura própria, para apoiar o candidato de outro partido.

“Temos apoiado o PT em sucessivas eleições majoritárias, e recebido apoio recíproco em várias ocasiões”, destaca o manifesto, que está sendo entregue aos presidentes nacional do PT e PMDB, Rui Falcão e Valdir Raupp e aos líderes do PMDB na Câmara e no Senado, Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros.

“Desde a eleição municipal curitibana de 2004 em que fomos com o então candidato Ângelo Vanhoni (deputado federal do PT), até as duas eleições presidenciais em que apoiamos o presidente Lula”, diz. A aliança, segundo o manifesto, foi repetida em 2012, terminando com a eleição de Dilma presidente e Michel Temer, do PMDB, como vice-presidente.

Apreensão – “Para a eleição deste ano, o noticiário político recente nos causa apreensão”, destaca o documento, subscrito pelo presidente e o vice do diretório municipal, Roberto Requião (senador) e o ex-prefeito e pré-candidato Rafael Greca e o secretário-geral do PMDB do Paraná, o deputado federal João Arruda.

“Numa cidade onde nossos adversários – prefeito Luciano Ducci (PSB) e o então candidato ao Senado Gustavo Fruet (na época no PSDB) – apoiaram veementemente o candidato derrotado José Serra, dando-lhe expressiva vitória”.

“O diretório municipal do PT, por influência de atuais ministros, não só seria proibido de lançar candidatura própria ao pleito municipal, bem como celebrar acordo estratégico com o PMDB de Curitiba, “como estaria sendo impelido a apoiar o ex-deputado federal Gustavo Fruet, ex-PSDB, neo-PDT, partido que parece já não integrar a base do governo Dilma Rousseff”, informam os peemedebistas.

Perguntas – “Será que se vai cometer um erro histórico em Curitiba, dividindo a base mais fiel e expressiva do Governo Dilma, para apoiar o algoz de tantos companheiros?”, indagam. O manifesto lembra ainda que Gustavo Fruet ganhou notoriedade na imprensa nacional, “quando se inventou a demolidora denominação marqueteira de direita chamada ‘caso Mensalão’”.

“Será que vamos ser incoerentes por capricho ou estratégia equivocada para 2014?”. Na avaliação dos peemedebistas, a maioria dos eleitores curitibanos veria o apoio ao ex-tucano como uma confissão de culpa, no chamado “Caso Mensalão”.

“Política se faz assim?”, indagam. O documento deixa bem claro a contrariedade dos peemedebistas em relação aos últimos acontecimentos. Rompendo a aliança em Curitiba, dizem, estaria anulado o pensamento estratégico expresso pelo ex-ministro José Dirceu, em artigo publicado no último dia 2 de março.

Aliança é vital – Segundo o trecho do artigo de Zé Dirceu, destacado no manifesto dos peemedebistas, o número de alianças no primeiro turno das eleições de 2012, não reflete a realidade do amplo arco de alianças entre os dois partidos. “É no segundo turno que vemos o quanto a aliança PT-PMDB é vital para ambos”.

“Como vemos a aliança PT-PMDB não é pouca coisa. Então, vamos deixar os municípios em paz e discutir o que interessa ao PMDB: suas relações com o governo federal”, orientou os petistas o ex-ministro da Casa Civil.

Alternativa construtiva não passa de um equívoco político demolidor, que se desenha sombrio. Segundo o documento, essa possibilidade foi esboçada após a divulgação, no ano passado, de pesquisas de opinião sem qualquer fundamento. “Num momento em que 88% do eleitorado ainda não pensou na eleição e não decidiu em quem votar”.

Compromissos – O compromisso reivindicado ao PT é de uma aliança entre os dois partidos, mesmo que informalmente no primeiro turno e uma sólida cooperação, alicerçada em programa comum, no segundo turno.

“O esclarecido eleitorado da cidade de Curitiba não vai acatar a transformação em trampolim político de uma Prefeitura – que já foi modelo em planejamento urbano, soluções inovadoras e administração pública para o Brasil e o mundo”, conclui o manifesto.

O documento foi entregue na tarde desta terça-feira (6), pelo deputado João Arruda ao presidente nacional do PMDB, Valdir Raupp. Segundo Arruda, Raupp concordou plenamente com o manifesto e vai pedir uma reunião, nos próximos dias, com a presidente Dilma.

**(( BOX ))**

Íntegra do manifesto enviado às lideranças nacionais do PT e PMDB

Curitiba, 5 de março de 2012

Senhor Senador Presidente do PMDB

O PMDB-Curitiba, diretório municipal eleito em convenção celebrada a 17 de julho de 2011, na pessoa do seu presidente Roberto Requião, do seu vice-presidente e pré-candidato a prefeito Rafael Valdomiro Greca de Macedo e de seu deputado federal João Arruda, todos militantes de sabida participação nas campanhas dos presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, vem respeitosamente expor:

1. Temos apoiado o PT – Partido dos Trabalhadores – em sucessivas eleições majoritárias, e recebido apoio recíproco em várias ocasiões. Desde a eleição municipal curitibana de 2004 em que fomos com o então candidato Ângelo Vanhoni, até as duas eleições presidenciais em que apoiamos o presidente Lula.

2. Repetimos isto, aqui na cidade de Curitiba, e no estado do Paraná, nas eleições de 2010, quando o PMDB indicou Michel Temer para vice de Dilma Rousseff, reproduzindo a exitosa aliança que se estendeu ao Amazonas, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Maranhão, Minas Gerais, Tocantins, Espírito Santo, Ceará, Paraíba e Alagoas.

3. Para a eleição deste ano, o noticiário político recente nos causa apreensão.

Numa cidade onde nossos adversários – prefeito Luciano Ducci (PSB) e o então candidato ao senado Gustavo Fruet (na época no PSDB) – apoiaram veementemente o candidato derrotado José Serra, dando-lhe expressiva vitória…

O diretório municipal do PT de Curitiba – por influência de atuais ministros – não só seria proibido de lançar candidatura própria ao pleito municipal, e/ou de celebrar acordo estratégico com o PMDB de Curitiba, como estaria sendo impelido a apoiar o ex-deputado federal Gustavo Fruet, ex-PSDB, neo-PDT, partido que parece já não integrar a base do governo Dilma Rousseff, cf. se desprende da recente votação da Lei de Previdência Complementar dos Servidores Públicos.

4. Será que se vai cometer um erro histórico em Curitiba, dividindo a base mais fiel e expressiva do Governo Dilma, para apoiar o algoz de tantos companheiros – já astro dos noticiários – quando se inventou a demolidora denominação marqueteira de direita chamada “caso Mensalão”?

5. Será que vamos ser incoerentes por capricho ou estratégia equivocada para 2014?

A maioria do eleitorado esclarecido de Curitiba veria esse possível e desastroso apoio a Gustavo Fruet soando como uma confissão de culpa.

Política se faz assim? Conhecedores de sua ilibada moral, trazemos ao seu conhecimento nossa posição contrária a essa possibilidade que, sinceramente, esperamos não aconteça. E deixe de acontecer por sua ação política.

6. Em, consumando-se este rompimento do PT com o PMDB, na cidade de Curitiba, estaria anulado o pensamento estratégico em boa hora expresso pelo ex-ministro José Dirceu no seu blog, na edição do último dia 2 de março:

“É importante termos em mente que, no pleito de 2012, o número de alianças no primeiro turno não reflete a realidade do amplo arco de alianças entre os dois partidos. É no segundo turno que vemos o quanto a aliança PT-PMDB é vital para ambos.

Como vemos a aliança PT-PMDB não é pouca coisa. Então, vamos deixar os municípios em paz e discutir o que interessa ao PMDB: suas relações com o governo federal.”

7. Alternativa construtiva ao equívoco político demolidor, que se desenha sombrio – pragmatismo provocado pela divulgação no ano passado de pesquisas de opinião sem qualquer fundamento, num momento em que 88% do eleitorado ainda não pensou na eleição e não decidiu em quem votar – seriam duas:

A aliança entre os dois partidos, mesmo que informalmente no primeiro turno.

Uma sólida cooperação, alicerçada em programa comum, no segundo turno.

O esclarecido eleitorado da cidade de Curitiba não vai acatar a transformação em trampolim político de uma Prefeitura – que já foi modelo em planejamento urbano, soluções inovadoras e administração pública para o Brasil e o mundo.

Sinceramente, saudações democráticas e curitibanas.

Roberto Requião

Presidente do PMDB de Curitiba

Senador do Paraná

Rafael Valdomiro Greca de Macedo

Vice-presidente do PMDB-Curitiba

Prefeito de Curitiba 1993-1996

João Arruda

Deputado federal

Secretário-geral do PMDB do Paraná

17 Comentários

  1. O REQUIÃO ATIROU NO QUE VIU E ACERTOU NO QUE NÃO VIU.
    COM ESTE TIPO DE DECLARAÇÃO ELE BENEFICIA TAMBÉM O DESAFETO PESSUTÃO QUE ACREDITOU NAS PROMESSAS PETISTAS E FICOU COM A BROXA NA MÃO ESPERANDO UM CARGO FEDERAL. ACREDITAR NO PT É COMO ACREDITAR EM HISTÓRIA DA CAROCHINHA POR ISSO O PARTIDO NÃO ELEGE PREFEITO EM CURITIBA. AO TRABALHO PETEZADA E VAMOS LARGAR MÃO DE ATITUDES MESQUINHAS.

  2. O que a maria louca quer, no fundo, no fundo, é arrumar uma boquinha para os irmãos “mano crocodilo”, como ministro dos transportes, “mano tv laranja”, como ministro da educação, “roberto carlos”, como ministro da justiça (piada né…), “maledito pires” como ministro da comunicação, “dom ático”, como ministro da habitação, “sobrinho arruda”, como ministro do trânsito (ministério a ser criado) e reitor moreira como bobo da corte mesmo. Para de enganar maria louca, todo mundo sabe que voce quer por tua caterva para mamar nas tetas do governo! Fora maria louca!

  3. O verdadeiro petista não vai pela cabeça dessa pelegada da cúpula petista…

    Eu vou de Greca…

  4. Ô Requião, não perca tempo. Esta petezada só quer encher os bolsos. Mas nós, os eleitores curitibanos, já estamos cientes disso, niguém vota em petralia.

  5. Mirian Waleska Responder

    Confesso que não li toda essa matéria mas, de uma coisa eu tenho certeza, tanto o PT como o PMDB se estivessem bem na foto, não estava acontecendo esse barulho todo em torno de candidatura própria, quem apoia quem e etc e tal. Na verdade estão se armando até os dentes porque já sentem a derrota batendo á porta.
    Isso tá igual briga de vizinha buscando apoio antes da polícia chegar.
    Vergonhoso e lamentável, e o mais triste disso tudo é que eles acabam de constatar que acordos firmados não servem para nada, e de-lhe cartinha lembrando acordos de outrora rsrsrs, lamentável!

  6. Cala sua boca requião e trabalhe uma vez na vida. Você é traidor. Você é sujo. Vá pagar os processos que você foi condenado. Lula com câncer. Hugo Chaves com câncer. Você é o próximo. Aqui se faz, aqui se paga.

  7. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Velho babaca, não sabe o que é dar duro na vida pois, “passou a vida inteira mamando nas gordas tetas do Estado”. Não tem moral pra nada. Metido a macho, já levou na cara e não teve aombridade e caráter de reconhecer o erro. Requião, representa a figura da incompetência, da mediocridade e da excelência falta de caráter.
    Demagogo, não tenho medo de você seu imbecil. Engula sua ignorância.
    Aliar-se ao PT, em razão da competência de representar o povo Paranaense é o seu castigo.
    Vade retro Satanás e leva o Lula, a Dilma e o “RESTO” da corja COMUNISTA com você.

  8. Ele está falando sério, mas todo mundo dá risada !

    O grande histriônico da politica nacional está no palco errado!

    Mas Greca – se ganhar – poderá ao lado dos Faróis do Saber instalar Coliseus para as performances do Pontífice Máximo da Patética, o Duce Histriônico das Araucárias !

  9. O PMDB ACABOU ESTA PREOCUPADO EM SE MANTER EM EVIDENCIA ESTE PARTIDO ESTA COMPROMETIDO COM TODOS OS LADRÕES NA NOSSA REPUBLICA. PMDB NUNCA MAIS NEM O PT NÃO AGUENTA MAIS ESTES SANGUE-SUGA.

  10. TESE DE DOUTORADO Responder

    Como posso querer que me entendam e me apóiem se eu mesmo não me entendo ?
    Após responder a indagação acima, tente entender, se possível, os 7 itens divulgados.

  11. Quem é o Requião na ordem do dia para cobrar compromisso eleitoral, ele foi traíra até com o Lula quando o mesmo veio fazer um comicio na boca, o requião era Serra desde aquela época, tem uma lista grande de neguinhos por aí que foram traidos por ele aqui no parana. negociou o PMDB na eleição do ano passado e vai negociar de novo com o Ducci, pode esperar.

  12. Nessa historia o ALECRIM tem razao. Podem falar o que for, mas o PT com o PDT é encontrar o porão do fundo do poço. É ver o Atletico torcer pelo Coxa e o Coxa pelo Atlético. É imaginar REQUÃO abraçado ao LERNER e ao Beto Richa. É constatar que os Patrões deram aumento de salário ao empregado acima do desejado e o sindicato dizer não precisava tanto assim… enfim, no bailado da politica regional – O PT apoiar o PDT é natural… enfim eis a prova do PAÍS das MARAVILHAS.

  13. valéria prochmann Responder

    Ah que ótimo! Ri melhor quem ri por último… todo mundo se aliando e o Requião isoladaço… sem falar que ele e o Greca juntos constituem a maior piada, para quem acompanha a política local há 30 anos…

  14. Parreiras Rodrigues Responder

    Alguém disse, não sei se Tancredoou Ulysses que, a gente não deve elogiar alguém a ponto de um dia se ver impedido de criticá-lo e vice-versa.

    Um dia imaginei o Requião como um político sério, decente, honesto, dono de santa indignação, aquelas coisas.

    E dizia isso prá muitos amigos. Em palanques, inclusive.

    Se arrependimento matasse, de há muito eu estaria comendo grama pela raiz…

  15. Doutor Prolegômeno Responder

    Quem conhece a criatura, sabe que não prega prego sem estopa. Já deu seu apoio ao Ducci (que foi seu coordenador de campanha) e agora tenta impedir o apoio do PT a Fruet. Além do fato que detesta noas lideranças, o rancor contra Fruet deve estar relacionado com o passado, quando então prefeito biônico Maurício Fruet, trabalhou pela candidatura de Amadeu Geara contra ele. É o sempre Abominável Requião das Neves em ação. Nada de novo.

  16. patobranquense irritado Responder

    A LAMBANÇA:
    Meu avô já dizia:
    Não deixe piá pançudo comer melado, pois ele vai se lambuzar e fazer lambança.
    Pois bem.
    No mandato do Requião (2003/2007), havia uma tchurma do PSDB que o apoiava, tanto que o Presidente da Assembléia era o Hermas Pai.
    Na eleição de 2006 o PSDB aprovou o Hermas Pai como vice do Requião.
    Aí vem o dedo do piá pançudo (tem pança grande porque quer comer tudo que ve pela frente) Gatossoni, que para não perder sua teta conseguiu, claro que junto com o menino Álvaro (cujo mano era candidato) derrubar a convençao que indicou mo Hermas Pai.
    Ora no momento do lançamento das candidaturas o Betinho era prefeito( e do PSDB), o Ducci vice (do nem sei que partido, mas de apoio ao Lula).
    O Beto (*como bom tucano) ficou em cima do muro, e assim grande parte do PSDB apoiou o Requião no primeiro turno.
    No segundo turno (com uma possibilidade do mano do Alvinho ganhar a eleição) grande parte do PSDB e o Ducci deixaram o Requião na mão.
    Ele ganhou o segundo turno com a força do PMDB e dele.
    O PT já nem mais dava bola, pois queira era fazer todas as alianças necessárias para vencer o Serra. Como o partido do Ducci era alinhado com o PT….
    Então do Ducci votou em Lula e Osmar.
    Se o piá pançudo não tivesse feito a tal lambança o Requião ganharia no primeiro turno, com o Hermas de Vice. O Hermas seria o candidato natural ao governo, apoiado pelo Requião e PMDB.
    Muito bem o governo do estado já estava destinado ao PSDB.
    Mas assim não haveria a necessidade do governador eleito estar fazendo concessões, alisando o pelo dos deputados do PMDB para auxiliar o seu governo.
    O apoio que ele possui hoje do PMDB seria natural e não forçado como está.
    O governador está lidando com uma tropa muito faminta, se faltar ração, ai dele.
    Porque o piá pançudo fez esta lambança?
    PORQUE ELE QUER TODO O PODER.
    Te cuida Betinho, te cuida Ducci, se cuidem todos porque o apetite do homem é infinito. E ele faz qualquer coisa para manter a pança cheia.
    Então dá para entender quando se diz que o Requião tem razão.

Comente