Uncategorized

Herdeiros de Brizola se unem para retomar PDT

Marcelo Remígio e Juliana Castro, O Globo

Herdeiros do legado político de Leonel Brizola, os irmãos Juliana, Leonel e Carlos Brizola, netos do ex-governador, querem reconquistar para a família o controle do PDT no ano em que o avô completaria 90 anos. Na busca pelo comando do partido, os irmãos travam uma queda de braço com o presidente nacional da legenda, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, que mantém a sigla com mãos de ferro e forte influência política.

A disputa pelas rédeas do PDT se intensificou nos últimos meses e respingou na indicação do novo ministro do Trabalho. Partidários de Lupi minaram o nome do deputado federal Carlos Brizola Neto (RJ), o Carlito, para o cargo.

Deputada estadual no Rio Grande do Sul, Juliana tem visitado diretórios municipais gaúchos e costura um projeto de reconstrução do PDT. Paralelamente ao trabalho político, escreve um livro sobre o avô.
O grupo de Juliana quer estender a reorganização da legenda para os demais estados do Sul e já mira no Sudeste. Os irmãos Brizola têm defendido eleições diretas para as executivas municipais, estaduais e nacional.
Das 27 representações estaduais do PDT, somente oito foram escolhidas por voto direto. O restante é controlado por comissões provisórias formadas por aliados de Lupi.
— O partido passa por uma crise e, para que ela seja superada, é necessário que o Brizolismo e o Trabalhismo sejam resgatados no partido — diz Leonel Brizola Neto, vice-presidente da Câmara Municipal do Rio.
A queda de braço entre os dois grupos é travada nos bastidores do partido, que enfrenta uma crise de identidade, afirmam adversários de Lupi. Juliana, Leonel e Brizola Neto evitam embates públicos com os aliados do ex-ministro, que têm isolado politicamente os irmãos.
Nas reuniões internas, ambos os lados não poupam críticas mútuas. O grupo que acompanha os Brizola reclama que Lupi usaria sua influência política conquistada à frente do Ministério do Trabalho e cargos na pasta para conquistar aliados.
Já seguidores de Lupi acusam os irmãos de não terem traquejo político e poder de articulação, mesmo usando o nome do avô.

2 Comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS Reply

    Sem LULA claro, como o Brizola faria.

    PT, O CÃNCER
    DO BRASIL

  2. Mírian Waleska Reply

    Apenas retomar a sigla não basta, precisam ter o caráter que o avô tinha, o idealismo, o amor pela pátria acima de qualquer coisa.
    Leonel Brizola jamais estaría ao lado de Dilma, e outra coisa, esse tal Lupi corrupto, se Brizola estivesse vivo, já o tería expulso do partido, o Brizola que foi meu amigo, o Brizola que eu conheci jamais aceitaría esse PDT que está aí.

    Na verdade crianças, voces não deviam ter perdido ás rédeas do partido tão bem representado pelo avô.

    PDT só existiu UM, o PDT de LEONEL BRIZOLA !!!

    Esse que está aí, esse jamais será o PDT de Brizola.

Comente