Uncategorized

Bancos oficiais pagam coquetel para juízes em São Paulo

Banco do Brasil e Caixa gastam R$ 225 mil para custear evento de posse de dirigentes do TRF no Theatro Municipal. Caixa administra depósitos judiciais e tem processos de seu interesse em tramitação no tribunal.

Da Folha de S. Paulo:

A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil pagarão as despesas de um evento festivo do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MS) na segunda-feira, no Theatro Municipal de São Paulo. A CEF desembolsará R$ 150 mil e o BB, R$ 75 mil.

O tribunal oferecerá recepção e coquetel para comemorar a posse de seus novos dirigentes, os juízes Newton De Lucca (presidente), Salette Nascimento (vice) e Fábio Prieto (corregedor).

Eles tomaram posse oficialmente em 17 de fevereiro no TRF, na presença de representantes do Legislativo, do Executivo, do Ministério Público e da OAB. O tribunal alega que a posse se deu na véspera do Carnaval e decidiu fazer a comemoração agora em local mais amplo, “sem dispêndio de recursos públicos”.

O presidente da Associação dos Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Ricardo Rezende, diz que foi procurado por De Lucca e pelo BB para “auxiliar na organização do evento” no teatro. A associação concordou em intermediar os recursos do BB. A CEF decidiu fazer o pagamento diretamente.

Segundo Rezende, os recursos do BB cobrirão as despesas com “valet”, decoração e convites. A CEF pagará o coquetel. A Secretaria da Cultura diz que houve dispensa de pagamento pelo espaço e que nele haverá apresentação do Coral da Sinfônica de Heliópolis e Coral da Unifesp, contratados pelo próprio órgão.

O TRF-3 é grande cliente da CEF, que administra os depósitos judiciais do tribunal. No TRF-3 tramitam processos em que a CEF é parte em São Paulo e em Mato Grosso do Sul.

Em agosto de 2008, a Folha revelou que a Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) captou dinheiro junto a empresas privadas para custear parte dos gastos de encontro promovido pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (sede no RJ) num luxuoso resort em Búzios (RJ).

Em 2009 a Ajufe e outras entidades fizeram recepção para comemorar a posse de Dias Toffoli no STF. Na época, a CEF repassou R$ 40 mil.

7 Comentários

  1. Cadê a OAB agora?
    Financiar envento para juízes é no mínimo imoral e além de eilegam. (obter vantagem alheia…)

  2. celso itiberê Reply

    Olá, Campana.
    Você não entendeu direito o pagamento do coquetel para os juízes. Isto é apenas parte dos mimos que os juizes receberam e receberão pelo STJ ter determinado a suspensão de todos os processos referente as perdas dos planos Collor I e II, por conta de uma preliminar dos bancos, atinentes a prescrição.
    Vai ser o maior calote coletivo do Brasil. Eu nessa.
    Um abraço.
    Celso Itiberê.

  3. ENTENDO…POR ISSO AS AÇÕES GANHAS CONTRA BANCOS SÃO DEMOLIDAS NA EXECUÇÃO DA SENTENÇA…grande categoria de trabalhadores esses juízes…Ganham muito bem…DOS BANCOS.

  4. Se for veridico a matéria, estes senhores magistrados tem que devolver (de seus bolsos) tudo o que for gasto aos bancos envolvidos, para que processos contra estas instituições possam ser julgados com lisura. Quanta vergonha, nem nos magistrados pode se confiar. O país está realmente a mercê dos poderosos. Pare o trem que eu quero descer.

  5. Esse tipo de mimo é normal em todos os niveis do judiciario,no nosso estado tmb incluindo tj,trt entre outros,e não é só bancos que bancam tmb as federaçãoes,como da agricultura,industria etc.,e com um detalhe não é de hoje não isso vem de longa data.Como o judiciario vai poder ser imparcial em uma ação contra um desses ” PATROCINADORES”???????

Comente