Uncategorized

TJ terceiriza motoristas
e irrita sindicatos

A tigrada estatólatra está uivando de raiva. O Tribunal de Justiça do Paraná planeja gastar R$ 2,7 milhões por ano para pagar empresa privada que coloque 76 motoristas a serviço do Judiciário local. O TJ abriu licitação, que será realizada por meio de pregão presencial no próximo dia 11, para contratar a empresa. Recentemente, o tribunal comprou 90 Renault Fluence, ao custo total de R$ 4,5 milhões. Cada desembargador vai ter direito a um carro com motorista para ir e voltar ao trabalho. O presidente do TJ, Miguel Kfouri Neto, justifica a compra como uma questão de segurança.

Agora, aritmética básica. R$ 2,7 milhões divididos por 76 motoristas, dá R$ 35,5 mil reais para manter cada motorista ao ano.
Dividindo 35,5 mil reais por 12 meses, serão gastos 2,96 mil reais ao mês por motorista.

O salário do motorista devera ser de aproximadamente 1,4 reais ao mês e o restante será para a empresa pagar os demais benefícios salariais: férias, 13º salário, descanso semanal remunerado, FGTS, ISS, IR, outros impostos incidentes sobre a folha de pagamento e taxa de administração. Ou seja, o preço é razoável.

4 Comentários

  1. . Que questão de segurança? Se assim fosse, cda Juiz de interior tinha que ter um automóvel e motorista, TBÉM. Isso é MORDOMIA, BENESSE c/ dinheiro público.
    . Como disse a Min Calmon … só pra ser ‘diferente, apararecer, se mostrar p/ os outros’.

  2. Thiago Medeiros Responder

    Bem mais baratos que os motoristas estatizados. Ainda assim, um gasto absurdo e desnecessário.

Comente