Uncategorized

Luciano Ducci contesta críticas sobre a Pedreira

O prefeito Luciano Ducci (PSB) reuniu no sábado, 26, mais de 500 jovens representantes de oito partidos – PSDB, PSB, DEM, PTB, PSDC, PP, PSD e PRB – e acabou com os boatos à respeito da Pedreira Paulo Leminski. “A Pedreira é nossa! Não existe nada de privatização. Ela vai ser reaberta como acontece com o Jardim Botânico e no Parque Barigui”, disse Luciano Ducci no encontro que reuniu ainda a Juventude do “Instituto SEJA”.

O encontro de Luciano Ducci, na Casa de Eventos Wabun no Jardim Social, serviu para arrecadar alimentos e agasalhos, doados para as campanhas da FAS e do Provopar. “A juventude Curitiba está com o prefeito Luciano Ducci porque foi o primeiro prefeito a criar uma secretaria para os jovens. Temos mais de uma centena de projetos com foco na valorização e inserção da juventude na educação, no esporte, no lazer, na cultura e no mercado de trabalho”, disse Marcello Richa, presidente nacional da JPSDB.

O presidente da Juventude do PSB, Ricardo Ducci, disse que as juventudes estão unidas e já estão atuando na defesa de Curitiba e dos avanços conquistados pela população. “Vai ter muita boataria, muita mentira, mas não vão conseguir tirar de Curitiba, o que a cidade e a população já conquistaram: melhor educação do país, pleno emprego, só para citar dois exemplos”, disse Ricardo Ducci.

5 Comentários

  1. Ducci é um político sem carisma, péssimo administrador, prefeito postiço que não têm nenhuma condição de ser prefeito de uma cidade como Curitiba. Médico que tornou os postos de saúde de Curitiba um verdadeiro caos, parece incoerente mais é verdade. Teve uma base de apoio na Câmara Municipal que escandalizou o Brasil inteiro! E, agora que terceirizar os espaços públicos da capital, ou é incompetência ou existem interesses escusos e obscuros por trás desta concessão.
    Apesar da máquina municipal e estadual trabalhar em favor de sua candidatura, não acredito que consiga ir para o segundo turno, a população curitibana nas conversas cotidianas têm reclamado muito da atuação da prefeitura no atendimento à população.

  2. A observação é a seguinte – percebendo que tem grandes possibilidade de perder as eleições ele esta leiloando a cidade!!!!!!!!

    passar para uma empresa privada fazer a gestão da prefeitura por 25 anos? cade o MP?

    Estao passando a gestao da prefeitura pra Urbs também, aquela nova central de monitoramento vai fazer a vez de quase tudo
    DECRETO N.º 677
    Dispõe sobre a criação do Sistema
    Curitiba de Controle Operacional – SCCO.
    O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO
    PARANÁ, no uso das atribuições legais que lhe foram conferidas pelo
    artigo 72, inciso IV da Lei Orgânica do Município de Curitiba;
    considerando a necessidade de permanente vigilância e ação
    integrada para o funcionamento rotineiro da cidade e para as
    intervenções em situações de crise, de forma a garantir qualidade dos
    serviços, cuidado e segurança à população;
    considerando a necessidade e determinação da administração da
    cidade em explorar de forma integrada os recursos dirigidos à gestão
    operacional municipal, com ganho de escala e conforme os conceitos
    mais avançados da área;
    considerando os investimentos em curso como oportunidade
    para dotar Curitiba de sistemas de controle e operação urbana
    conceitualmente alinhados aos mais avançados do mundo,
    DECRETA:
    Art.1.º Fica criado o Sistema Curitiba de Controle Operacional – SCCO
    com a finalidade de desenvolver ações integradas de controle urbano
    com as seguintes atribuições:
    a) realizar a gestão do trânsito, do transporte coletivo e da defesa
    social;
    b) antecipar-se a possíveis riscos e planejar operações e Planos de
    Contingência pertinentes;
    c) coordenar, a partir da Sala de Planejamento e Gestão do Sistema,
    o planejamento de situações e as intervenções em casos de
    emergências urbanas;
    d) sistematizar informações para subsidiar o planejamento da cidade;
    e) inserir, progressivamente, no Sistema, outros serviços de gestão
    da operação da cidade, tais como:
    ● previsão e manejo de inundações e qualidade das águas dos rios;
    ● manutenção e conservação da cidade;
    ● fiscalização de obras e posturas;
    ● controle de epidemias;
    ● monitoramento/ gestão de manifestações e eventos públicos;
    ● controle de risco em edificações;
    ● regulação de leitos hospitalares.
    Art. 2.º Integram o Sistema Curitiba de Controle Operacional – SCCO:
    a) as Secretarias e Órgãos da administração municipal de Curitiba;
    b) a Sala de Planejamento e Gestão do Sistema;
    c) o Colegiado de Gestão do Sistema;
    d) a Central de Controle Operacional – CCO;
    e) as demais centrais de controle existentes.
    Art. 3.º As ações sob responsabilidade das secretarias/órgãos que
    integram o Sistema são as seguintes:
    a) Secretaria do Governo Municipal – SGM, disponibilizar a Central
    de Relacionamento Municipal quando requisitada, em situações de
    emergência ou não, como meio de comunicação com a população e
    para utilização das informações do 156 sobre demandas e urgências
    em tempo real;
    b) Secretaria Municipal da Defesa Social – SMDS, compor, de
    imediato, a gestão de sua área à Central de Controle Operacional,
    para isso disponibilizar equipe e integrar informações e equipamentos
    de vigilância;
    c) Secretaria Municipal de Trânsito – SETRAN, operar o monitoramento,
    fiscalização e sinalização do trânsito; disponibilizar ao Sistema as
    informações georeferenciadas da Central de Obras de Curitiba;
    d) URBS – Urbanização de Curitiba S.A., gerenciar a infraestrutura
    para o funcionamento da Central de Controle Operacional, proceder
    ao monitoramento e gestão do transporte coletivo e comercial e do
    serviço de táxis;
    e) Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba – IPPUC,
    disponibilizar informações georeferenciadas da cidade, sistematizar
    as informações da CCO, coordenar as atividades da Sala de
    Planejamento e Gestão do Sistema e desenvolver, em conjunto com
    a Assessoria Técnica de Informações, projeto do futuro Centro de
    Gestão Operacional de Curitiba, sucedâneo da Central de Controle
    Operacional, a ser implantado em 36 meses;
    f) Secretaria Municipal da Saúde – SMS – SAMU, disponibilizar
    informações sobre a Central de Leitos e epidemias e proceder à
    integração progressiva de sua área ao Sistema;
    g) Secretaria Municipal de Administração – SMAD/ATI, disponibilizar
    infraestrutura para a Sala de Planejamento e Gestão e para a
    conectividade, e desenvolver, em conjunto com IPPUC, o projeto do
    futuro Centro de Gestão Operacional de Curitiba;
    h) Secretaria Municipal da Comunicação Social – SMCS, compilar e
    disponibilizar informações atualizadas para os órgãos de imprensa e
    divulgar informações via Rádio Trânsito e outros meios;
    Secretaria Municipal do Urbanismo – SMU, integrar gradativamente ao
    Sistema os processos de fiscalização de obras e posturas da cidade;
    j) Instituto Municipal de Administração Pública – IMAP, desenvolver as
    competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) necessárias
    aos integrantes do Sistema por meio de um programa continuo de
    capacitação;
    k) Secretaria Municipal de Obras Públicas – SMOP, disponibilizar
    informações sobre situação dos leitos dos rios para prevenção de
    inundações;
    l) Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão – SEPLAN, articular
    as ações necessárias para o funcionamento do Colegiado de Gestão
    do Sistema.
    Art. 4.º Além das atribuições específicas, todas as unidades da PMC
    deverão, quando solicitadas pelo Colegiado e/ou pelo coordenador
    da Central de Controle Operacional, designar equipes e disponibilizar
    informações.
    Art. 5.º O Colegiado do Sistema é composto pelos titulares da
    URBS, SETRAN, IPPUC, SMDS, SEPLAN, IMAP e pelo coordenador
    geral da Central de Controle Operacional.
    Art. 6.º Ao Colegiado cabe:
    a) deliberar e definir a política de funcionamento do SCCO;
    b) articular o planejamento das ações do SCCO;
    c) designar coordenadores de ações e gestores de projetos.
    Art. 7.º A coordenação do Colegiado será exercida em rodízio anual,
    cabendo o primeiro período ao titular da SEPLAN.
    Art. 8.º Ao Colegiado, no momento da instalação do Sistema, cabem
    as seguintes ações:
    a) integrar de imediato ao Sistema o controle das ações de transporte
    coletivo, trânsito e defesa social;
    b) definir a matriz de responsabilidades no Sistema;
    c) estruturar as ações na forma de projeto estratégico do Plano de
    Governo, com Contrato de Gestão para todas as secretarias e órgãos
    envolvidos;
    d) iniciar o projeto do futuro Centro de Gestão Operacional de Curitiba,
    a ser implantado em 36 meses.
    Art. 9.º À Coordenação Geral da Central de Controle Operacional
    cabem as seguintes atribuições:
    a) antecipar possíveis riscos e coordenar a elaboração de Planos de
    Contingência para fazer frente aos mesmos;
    b) convocar os responsáveis das secretarias/órgãos em eventos
    anormais e adversos, para a) obtenção dos recursos de informação,
    estrutura e pessoal necessários ao processo de gestão de crise;􀀀
    c) elaborar relatórios de avaliação e de acompanhamento;
    d) gerenciar e atualizar os protocolos de ação;
    e) disponibilizar informações atualizadas para a Secretaria Municipal
    da Comunicação Social;
    f) convocar os responsáveis das secretarias/órgãos para reuniões de
    planejamento;
    g) propor parcerias e convênios com órgãos governamentais de
    outras esferas de governo;
    h) coordenar a infraestrutura necessária para o funcionamento do
    Sistema;
    i) realizar o monitoramento da manutenção da conectividade, da TI e
    do parque de equipamentos e sistemas.
    Art. 10 Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.
    PALÁCIO 29 DE MARÇO, em 2 de maio de 2012.
    LUCIANO DUCCI-PREFEITO MUNICIPAL
    CARLOS HOMERO GIACOMINI-SECRETÁRIO MUNICIPAL DE
    PLANEJAMENTO E GESTÃO INTERINO
    MARCOS VALENTE ISFER-PRESIDENTE DA URBS –
    URBANIZAÇÃO-DE CURITIBA S.A.
    ATOS DO PODER LEGISLATIVO
    ATOS DO PODER EXECUTIVO

  3. ha ha ha que teatrinho ridículo.
    Palavras do filho do governador e do filho do prefeito…

  4. A pedreira é nossa??? Mas tem segurança?? Quando acontecer alguma fatalidade, os políticos nunca sabem de nada, dai sobra para quem dar explicação!

  5. OPA? PORQUE NO JARDIM BOTÁNICO É CHEIA DE PLACAS DO BOTICÁRIO E TEM UMA BELA PLACA ESCRITO, MANTIDO POR O BOTICÁRIO? ISTO NÃO É PRIVATIZAÇÃO?

Comente