Uncategorized

Na CPI, Francischini pede a Agnelo providências por invasão de dados pessoais


Fernando Francischini quer providências do Governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz. Os dados pessoais do deputado tucano foram acessados por policiais militares de Brasília sem autorização judicial. A quebra ilegal do sigilo ocorreu um dia após Francichini protocolar pedido de prisão de Agnelo na Procuradoria Geral da República por suspeita de lavagem de dinheiro. A consulta irregular foi descoberta em auditoria interna do Ministério da Justiça.

Hoje, cara a cara na CPI, Francischini não perdeu a oportunidade de colocar o petista contra a parede: “O meu sigilo foi quebrado dentro da Casa Militar. O senhor poderia ter colaborado. Porque o senhor deixou?”.

“Na minha gestão, a Casa Militar jamais vai colaborar com qualquer tipo de ação por quebra de sigilo. No entanto, estava em jogo a proteção e a segurança institucionais e a atribuição legal de proteção do governador e de seus familiares”, respondeu Agnelo.

6 Comentários

  1. Francischini falou umas verdades ao Agnelo/PT e o cara ficou nervoso, claro não está acostumado com verdades
    Do Agnelo/PT nada poderíamos esperar, mentiu o tempo todo e enrolou o que pode.
    Que quebra de sigilo Agnelo???? Se está quebrado faz tempo.
    E a mansão de milhões que elle diz que pagou 400 mil e pior não sabe como pagou
    E do Cachoeira???? não sabe, nunca viu,… foi apiada do dia.

  2. Agnelo não explicou nada, mas como estava acobertado pela quadrilha governista, saiu como heroi da CPI. Este país é uma piada, e de muito mal gosto.

  3. Parece q o gov Agnelo acha q pimenta no olho dos outros é refresco… mas o Dep Francischini, além de ter a ficha limpíssima, não é bobo não… Abaixo os déspotas como Agnero/Nero Cesar… os direitos das pessoas devem sempre ser respeitados… ao q parece o “modus operandi” de Agnelo bem serviria a uma ditadura

  4. Onix, Francischini, Sampaio e Sávio substituem Demóstenes na defesa de Cachoeira. Abrem seus sigilos?
    Os deputados Onix Lorenzoni (DEM-RS), Francischini (PSDB-PR), Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Domingos Sávio (PSDB-MG), topam oferecer à CPI do Cachoeira, seus sigilos bancários, fiscal e telefônico?

    O motivo é muito simples: Em plena CPI do Cachoeira, em vez de investigarem o esquema do bicheiro, os quatro agiram na direção dos interesses do esquema Cachoeira, ou seja, agiram para derrubar quem representou obstáculo aos objetivos do bicheiro, como o governador Agnelo Queiros (PT-DF).

    Os quatro aparecem exercendo o papel que era do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), o principal braço parlamentar do esquema.

    Os quatro blindaram Cachoeira, tirando o bicheiro de foco e atacando Agnelo (inimigo do esquema) com acusações da campanha eleitoral do DF em 2010, abastecidas a partir de dois outros esquemas barra pesada: de Joaquim Roriz, e do mensalão do DEM (de José Roberto Arruda). Os quatro fizeram o mesmo que Cachoeira estava fazendo via Demóstenes.

  5. Parreiras Rodrigues Responder

    Sou mais o Circo du Soleil. Lá, no Expotrade, a gente é espectador, é público, é assistente.

    Desse aí, a gente faz parte. Como palhaços.

    Os partidos políticos, todos, estão decretando suas próprias falências.

    Deixam passar excelente oportunidade de redimirem suas credibilidades junto à opinião pública.

    Tô fora!

  6. Francischini ataca o inimigo do Cachoeira, o governador que a quadrilha queria derrubar, por quê? Está faltando gente para defender o Cachoeira e o Demóstenes?
    Por que o Francischini quer derrubar o Agnelo? Cachoeira idem.

Comente