Uncategorized

Governo e MBC iniciam modernização da gestão pública

O Governo do Paraná iniciou nesta quinta-feira (14) a primeira frente de trabalho do Programa Modernizando a Gestão Pública, que tem como foco a melhoria no controle das despesas estaduais. O anúncio foi feito pelo governador Beto Richa em um café da manhã com cerca de 60 empresários no Palácio Iguaçu.

O trabalho será realizado em parceria com o Movimento Brasil Competitivo (MBC), organização criada pelo empresário Jorge Gerdau para apoiar iniciativas de instituições públicas que queiram revisar seus processos administrativos para ganhar eficiência.

Segundo Beto Richa, a parceria com o MBC é uma seqüência do processo de modernização da máquina administrativa estadual, iniciado com ações como a redução nos gastos de custeio, o estabelecimento dos contratos de gestão e a transparência nos contratos e licitações.

“Uma gestão pública eficiente e de qualidade é a ferramenta mais eficaz no combate as desigualdades sociais”, afirmou o governador. “Temos adotado medidas de muita austeridade. No entanto, entendemos que precisamos avançar ainda mais”, acrescentou Richa.

Pelo modelo adotado, o MBC contrata empresas de auditoria para fazer o diagnóstico, apontar problemas e sugerir soluções. Essas contratações são pagam com recursos doados pela iniciativa privada. “É o resgaste da confiança da iniciativa privada no governo. Os empresários estão somando esforços para termos uma gestão pública mais moderna e a construção de um Estado que gere oportunidades, melhoria de vida para a sua população e estabeleça um ambiente mais favorável para negócios e investimentos”, disse Beto Richa.

ECONOMIA – Segundo os representantes do Movimento Brasil Competitivo, a expectativa é que a frente de redução de despesas gere uma economia de, no mínimo, R$ 200 milhões aos cofres do Estado nos próximos 17 meses com a revisão e otimização dos gastos. “Vamos ter acesso aos gastos das principais pastas e trabalhar para otimizar as despesas. Fazer mais com menos”, explicou o diretor-executivo do MBC, Eric Camarano.

De acordo com o governador Beto Richa, a melhoria da gestão pública, com a adoção de práticas de sucesso na iniciativa privada, somada à capacitação de servidores públicos, vai criar uma nova cultura de gestão no Estado.

“Queremos ampliar as receitas e diminuir as despesas, mas acima de tudo queremos criar uma nova cultura de gestão pública que seja perene, que fique como um bom modelo de gestão para os próximos administradores. Os maiores beneficiados serão os paranaenses”, destacou o governador.

Camarano lembrou que, nos últimos cinco anos, os trabalhos desenvolvidos pelo MBC em parceria com a iniciativa privada e administrações públicas geraram R$ 14,5 bilhões em ganhos orçamentários. “Isso sem falar nos ganhos qualitativos, de melhoria de atendimento na saúde, educação e segurança. Estamos falando de uma revolução silenciosa capitaneada pela gestão pública eficaz e profissional”.

ETAPAS – No Paraná, o Programa Modernizando a Gestão Pública prevê outras seis frentes de trabalho: aprimoramento da folha de pagamento; aumento das receitas; estímulo de parcerias público-privadas; estratégia e contratos de gestão; escritório de projetos; e atração de investimentos.

As secretarias da Casa Civil, Administração e Previdência, Fazenda, Indústria e Comércio e Assuntos do Mercosul são as responsáveis pelo projeto.

O secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros, pediu aos empresários novas contribuições para o avanço das outras frentes de trabalho. “É uma atitude de coragem e transparência do governo de abrir suas contas com o objetivo de gastar cada vez melhor o dinheiro do contribuinte”.

O secretário-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Sebastiani, reforçou que a “parceria com o MBC e a iniciativa privada é o passo seguinte no aprofundamento das ações de governo em busca da transparência e excelência da gestão”.

EMPRESÁRIOS – Cerca de 60 empresários de diferentes segmentos compareceram ao evento de lançamento do programa. Destes, 11 já são financiadores da proposta e foram homenageados pelo Governo do Estado pelo apoio. São eles: Águia Florestal, Berneck, Cargill, Supermercados Condor, CR Almeida, HSBC, J. Malucelli, Oi, Paraná Equipamentos, Volvo e Spaipa.

Falando em nome da iniciativa privada, o diretor da Berneck Paineis, Manfred Werno Krapp, afirmou que a empresa se comprometeu assim que tomou conhecimento do programa. “Trazer para a administração pública as ferramentas e os conceitos que aplicamos todos os dias nas nossas empresas vai, sem dúvida, assegurar uma gestão mais eficiente dos recursos dos contribuintes. Todos ganharão”.

O presidente do grupo J. Malucelli, Joel Malucelli, afirmou que a iniciativa privada espera que o programa gere um Estado mais enxuto, com uma gestão eficiente e objetiva. “É primordial que o setor público consiga baixar os seus custos e otimizar mais os seus recursos. Para sobrar mais dinheiro para a educação, saúde e segurança. Somos parceiros para o que o Paraná ande melhor”.

Ricardo Zonta, vice-presidente do Condor, disse que os empresários paranaenses estão bem otimistas com o interesse do governo de modernizar a gestão pública. “Se o Paraná melhorar, a população ganha e todos os empresários vão ganhar também. É muito importante que a iniciativa privada paranaense apóie esse projeto”.

Gabriel Lopes, relações institucionais da Oi, disse que a iniciativa privada possui diversas ferramentas que podem ser bem utilizadas na gestão pública. “Gostaria de parabenizar o Governo do Estado por essa iniciativa de transformar o Paraná numa referência em gestão pública. A iniciativa privada tem experimentos bem sucedidos de gestão. Trazer essas experiências para dentro do governo é uma das iniciativas mais louváveis”, afirmou.

O presidente do grupo GRPCOM, Mariano Lemanski, afirmou que a abertura do Estado para auditorias externas “é uma demonstração clara da vontade do governador Beto Richa em aplicar a metodologia de gestão moderna das empresas que acontece diariamente na iniciativa privada”.

Também participaram do evento os secretários José Richa Filho (Infraesturura), Alipio Leal (Ciência e Tecnologia), Deonilson Roldo (Gabinete); o presidente da Copel, Lindolfo Zimmer; o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone; o presidente da Jucepar, Ardissom Akel; o superintentende da Appa, Luiz Dividino; o presidente da Faciap, Rainer Zielasko, entre outros empresários e lideranças.

4 Comentários

  1. fiscalde realeza Responder

    DEPOIS DE DOIS ANOS NO GOVERNO ANUNCIOU O PRIMEIRO ATO DE GESTÂO QUE VAI IMPLANTAR
    QUANDO COMPLETAR OS 4 ANOS TALVEIS SAIRA DO PAPEL
    AI SERA TARDE POIS VAI PERDER AS ELEIÇOES
    E O PARANÁ FICOU TRAVADO QUATRO ANOS

    QUE SAUDADE DO REQUIÂO

  2. Quando se der conta, abrir os olhos, acabou o mandato e perdeu o Paraná com a incompetência deste grupo.

Comente