Uncategorized

Paraguai atalha Mercosul e busca acordo com EUA

Isolado, governo de Federico Franco estuda acordo de livre comércio com os Estados Unidos; assim, Barack Obama conseguiria dividir o Mercosul; em editorial, jornal O Estado de S. Paulo defende que paraguaios abram negociação direta.

A suspensão temporária imposta ao Paraguai pelos países membros do Mercosul, após o impeachment contra o presidente Fernando Lugo, pode levar uma luz ao novo governo, assumido por Federico Franco. O país, agora isolado e “livre”, pode buscar a assinatura de um acordo de livre comércio com os Estados Unidos, um antigo sonho paraguaio que recebe apoio dos americanos. Desta forma, Barack Obama dividiria de vez a união aduaneira.

O bloco comercial da América do Sul já não é mais exatamente uma vantagem comercial para os países que o integram. Primeiro, a multiplicação de barreiras impostas principalmente por Cristina Kirchner e sua política protecionista, que prejudica em especial a indústria nacional – vide a suspensão argentina à compra de carne suína brasileira, que causou prejuízos milionários ao setor nos últimos meses. Segundo, porque as regras impedem seus sócios de negociarem isoladamente acordos de livre comércio.

Sinal do fracasso do bloco foi comentado pelo presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da Fiesp, Rubens Barbosa. “A Argentina será responsável pelo fim do Mercosul”, disse o embaixador, durante um encontro que discutia o futuro do comércio regional ocorrido na cidade argentina de Mendoza, paralelo à reunião dos presidentes da cúpula, que definiam o processo de suspensão paraguaia na semana passada.
Suspenso, o Paraguai é quem pode não querer mais participar do bloco, que agora tem a polêmica – e legalmente duvidosa, como aponta editorial do jornal O Estado de S.Paulo desta terça-feira – presença da Venezuela de Hugo Chávez. Na opinião do jornal, agora “talvez os paraguaios descubram, em seu absurdo isolamento, uma inspiração a mais para mandar às favas essa união aduaneira fracassada e buscar negociações relevantes para seu país”.
Ótimo parceiro comercial, o país vizinho não só se daria bem como faria o Brasil possivelmente se arrepender de ter apoiado sua suspensão, praticamente uma obediência às ordens do governo argentino.

15 Comentários

  1. Os paraguaios estão certíssimos em enfrentar os governos bolivarianos (Infelizmente o Brasil incluido)

  2. Henrique junior Responder

    Os americanos já não tinham uma base militar no Paraguay?
    Agora é que vão “deitar e rolar”.

  3. Seria um tremendo coice nas nádegas bolivarianas de cristina, dilma e chávez!
    Esse Presidente Franco está se superando na elegância e na inteligência! – Parabéns Presidente!
    Tá dando um banho no baixo cléro da política sudamericana, e colocando o Brasil de dilma abaixo da bunda do sapo, como dizemos lá no mato!

  4. não podemos ignorar o fato, de que se os países que nos cercam empobrecerem ainda mais, suas populações acharão mais atraente vir para o Brasil, tentar a sorte… o que seria péssimo, pois sabemos que veem primeiro os menos capacitados (os mais capacitados não precisam tentar a sorte em outro país)… por outro lado, também deve-se arrumar a casa para os próprios brasileiros menos favorecidos, antes de favorecer estrangeiros que quase nunca correspondem (recíproca inexistente), pelo contrário, só o que esses governos bolivarianistas fazem é espezinhar os empresários brasileiros, com barreiras alfandegárias e coisas do gênero…

  5. Certíssimo o Paraguai se fizer isso. E termina de jogar uma pá de cal no mercosul e no maior desastre diplomático brasileiro dos últimos tempos. Esse é o PT. PT do mensalão, PT da Delta, PT dos desastres diplomáticos. PT que vai destruir o Brasil.

  6. Parreiras Rodrigues Responder

    Certo o Paraguai que não adere a proposta cubana encampada por Lula com a criação do Foro de São Paulo. Não vai o Paraguai rezar na cartilha que sataniza o imperialismo, transformando os Estados Unidos num bode expiatório. Também a entrada da Venezuela no Mercosul, ao lado do Brasil, da Colombia, da Argentina, é parte da estratégia da constituição do totalitarismo leninista.

  7. Faz muitíssimo bem. Os chicaneiros cucarachos que vão sobrar no Mercosul, levarão este acordo aduaneiro ao fracasso anunciado há muitos anos.

  8. É a salvação da lavoura! Rejeitado pelos primos pobres que andam com o travesso Huguinho, o Paraguai tem mais que se aproximar do primo rico!

  9. -E agora companheira Dilma??? Queria por que queria interferir em assuntos internos do Paraguai e agora está com a fca no pescoço…
    -Quanto aos comunistas da América do Sul, leia-se Hugo Cháves, Evo Morales, Rafael Correa e diva da Argentina, estão com as “barbas” de molho, pois poderia ameaçar os planos destes ignorantes em manter governos quase totalitários…
    -Grande saída do agora presidente paraguiao, será uma grande ameação para o Brasil, pois o EUA poderá instalar bases militares na fronteira com o Brasil…pois a guerra do Afeganistão e Iraque já deu o que tinha que dar, pois já se apoderaram do petróleo, falta agora se apoderar de fontes de água potável….

  10. Parabéns ao novo governo paraguaio que não se ajoelhou aos pés da gangue que tenta dominar a américa do sul. Chupa essa Huguinho…

  11. Os “cumpanhêro” não ficam com inveja não, pois se o acordo acontecer vai ser em prol de enriquecimento material do Paraguai, o que o projeto bolivariano do Mercosul não tem como objetivo.

    Na verdade o objetivo do Mercosul é, bom, é… Qual é mesmo o objetivo do Mercosul? (Extraoficialmente, manter os esquerdistas signatários do Foro de São Paulo no poder).

  12. Imaginem se o Paraguai quisesse mesmo fazer uma retaliação, ao Brasil, bastaria não vender mais o seu excedente da energia de Itaipú que o nosso País necessita, e, daí? Como cobrir essa necessidade? Pedir perdão ao governo do Paraguai da insanidade do governo brasileiro???

  13. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    PARABÉNS.

    O Paraguai foi o primeiro pais da américa latina a se livrar do sistema socialista imposto por Chaves, Fidel e Lula,

  14. A lamentável posição do Brasil no episódio da derrocada do Bispo Lugo, somente demonstra o quanto nossos líderes na Latino-América são ideológicamente fosilizados. Segmentados nos valores dos anos 60, quando a guerra fria impulsionava os maiores terrores que a humaniadade experimentou, ou seja, a extinção da espécie pela via nuclear. Por mais óbvio que seja, o Brasil novamente esbarra na demagogia politica como forma de desviar a atenção da ignorância de nosso povo, nossas deficiências estruturais e a prevalência da opinião fóssil ideológica de nossos governantes sempre estribada na ignorância da população. O Estado Brasileiro é administrado por oligarquias familiares seculares e nossas futuras gerações, as quais deverão suceder, estão amalgamadas em seus deleites supérfluos. O fenômeno não é novo, porém os “caudilhos” ideológicos resurgiram em grande número, dominando o cenário politico nefastamente. Lula,Evo, Rafael Correia, Cristina, Chaves, Dilma são fanFarrões que acenderam o poder somente para desfrutar o deleite do poder como prova de auto-afirmação de suas opiniões ideológicas fósseis. Suas trajetórias pessoais são tão mediocres quanto os analfabetos que os alçaram ao poder.

Comente