Uncategorized

Fruet quer saber tudo sobre as obras para a Copa do Mundo

Gustavo Fruet com o presidente do TCU Fernando Guimarães (Foto de Everson Bressan).

De Elaine Felchacka, Paraná Online:

O prefeito eleito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT) esteve reunido ontem com o presidente do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) Fernando Guimarães, para se inteirar dos temas relacionados à Copa do Mundo. Fruet assegurou que não foi até o TCE por desconfianças, mas sim para se saber como o tribunal está acompanhando todo o processo. Assim, as obras na Arena da Baixada não ficaram fora da conversa, mas em um tom mais leve, sem aprofundamento.

Durante o encontro, o presidente do TCE reafirmou ao prefeito eleito o reconhecimento do potencial construtivo como recursos públicos. Por outro lado, Fruet, que já iniciou a fase de transição na prefeitura, esta semana também pediu informações ao prefeito Luciano Ducci (PSB) sobre o convênio assinado juntamente com o governo estadual, e o Atlético, cuja parceria está possibilitando a reforma e a readequação do estádio.

Coincidentemente, é na esfera municipal que o potencial construtivo tem gerado as maiores polêmicas. Ontem, o vereador Felipe Braga Côrtes (PSDB) contestou a liberação à CAP S/A de R$ 60 milhões em títulos, conforme o decreto de número 1.672, publicado dia 30 de outubro. Segundo o vereador, o fato de o TCE-PR estar considerando potencial construtivo como recursos públicos requer mais cuidados com a emissão dos mesmos, até porque antes de a lei ser aprovada os títulos não estavam rotulados de tal forma, o que não levou a questionamentos. “A minha pergunta é se está valendo uma nova regra. Se houver concordância do Ministério Público e o aval do TCE, como órgão fiscalizador, não vejo problema. Contudo, se o procedimento for considerado ilegal, a Câmara terá que tomar providências”, discursa Felipe.

Com esta nova liberação de títulos, a CAP S/A passa a contar com R$ 90 milhões em potenciais, valor previsto na lei n.º 13.620, aprovada em novembro de 2010. Os títulos serão transferidos em 12 partes iguais, no decorrer de 12 anos. Porém, a CAP S/A ainda aguarda a votação do aditivo da lei do potencial construtivo, que amplia este valor para R$ 123 milhões. O projeto foi recolhido pela prefeitura de Curitiba e não tem previsão de retornar à Câmara Municipal para votação.

12 Comentários

  1. Vai ser a mesma conversa mole do Requiao. Vai falar, amaldiçoar, lamentar, etc, e no final vai continuar tudo como dantes, porque existem contratos elaborados por bons advogados bem pagos. O que pode acontecer é as obras atrasarem como sempre e não ficarem prontas para a copa, envergonhando mais uma vez a terrinha.

  2. O tema Arena Fifa é voto vencido,agora todos querem fazer chamadas em garrafaes para aparecerem,e ou melhor para atrair leitores, vamos somente acompanhar a evolução das obras,mostrar aos coxas e aos invejosos que a Arena estará prontinha em 2.013, Queiram ou não os ayrtons

  3. O que significa isso atrás do Fruet?????
    Pai de Santo????? KKKKKKKK……
    Olha o estilo!!!!!!!

  4. Não faz mais do que a obrigação, se quer dirigir alguma coisa , tem que conhecer,oras bolas

  5. Carlos Spillere Responder

    É um direito e uma obrigacão do prefeito eleito tomar conhecimento de todos os processos. Existem polêmicas em relacão às obras e, antes de qualquer providências, é importante que tudo seja esclarecido. Do ponto de vista legal e operacional.

  6. Das obras na Rebaixada o Guga não quer ouvir falar, deixa estar para ver como é que fica. Depois a gente põe a culpa no Metralha e no restante da quadrilha dele ACarlos

  7. Vigilante do Portão Responder

    Para o “aprofundamento” do qual o Campana fala, Fruet teria que TOMAR POSIÇÔES.

    Quem TOMA POSIÇÃO, ou DECIDE, desagrada uma boa parcela dos Curitibanos,

    Então, é melhor manter o “discursinho” falso e morno:

    “vamos analisar com cautela…”
    “o importante e que seja tudo transparente…”

    Frases BONITAS, sem dizer NADA.

    O problema está colocado,
    Não são resolvidos com frases bonitas. Faltam 500 dias para a Copa.
    Tirando sábados, domingos e feriados, restam uns 350 dias.

  8. Curitiba não é a última bolacha do pacote. Não precisa ir muito longe da XV para ver a pobreza instalada na cidade. A cidade tem outras prioridades do que FAZER BONITO. Menos Vigilante do Portão.

Comente