Uncategorized

Poste 2018

Do Giba Um:

Na campanha, Fernando Haddad chegou quase a dizer que não precisava de Marta Suplicy; agora, trata a ministra como construtora da vitória e, de cara, distribui cargos entre seus aliados. Também abrigará deputados federais do PT, abrindo vagas para outros, inclusive José Genoino. São sinais de que o segundo poste (a expressão é dele) tentará colar o partido à sua gestão, pensando em futuros vôos políticos. Entre os aliados, há a sensação de que Haddad está sendo preparado para ser o candidato a presidente da República em 2018, depois da reeleição de Dilma. Por conta dessa desconfiança, também Aécio Neves e Eduardo Campos querem colocar suas campanhas para 2014 nas ruas: mesmo se perderem, ganham musculatura nacional.

Olho no futuro
Até mesmo entre ministros petistas chegados a Dilma Rousseff, a desconfiança quanto ao futuro de Haddad, traçado por Lula, prolifera. Um deles até faz contas: em 2018, o prefeito eleito de São Paulo estará com 55 anos e o ex-presidente Lula com 73 – e certamente, segundo o petista, com força política suficiente para continuar controlando parte da cena política nacional e até elegendo outros postes.

4 Comentários

  1. fiscalde realeza Responder

    TOTO

    ESSE ERA O NOME DO MEU CACHORO QUE MORREU NO DIA QUE O SERRA FOI SEPULTADO POLITICAMENTE EM SAO PAULO PELO SEU DESCONHECIDO ADDADE

  2. Para entender os paulistas, basta comparar a atuação do Serra no Ministério da Saúde e do Haddad no Ministério da Educação; como já dizia um filósofo o povo não tem memória mesmo….

    Entre um ministro da saúde que quebrou patentes para fabricação de medicamentos genéricos, que promoveu mutirões para operação de catarata, prevenção de hipertensão, câncer de mana e de útero, campanhas de apoio à amamentação dentre outras e o ministro da educação que não conseguiu realizar um único ENEM sem vazamento de prova, questões mal elaboradas que prejudicaram milhares de estudantes e uma atuação ruim no ministério, os paulistanos ficaram com o segundo.

Comente