Uncategorized

O levantador de PIB encrencou com o IBGE, por Elio Gaspari

Do Elio Gaspari, O Globo:

Em novembro de 2003, metido numa discussão em torno do crescimento da economia, o então ministro do Planejamento, Guido Mantega, atribuiu-se um poder extraterreno: “Eu não derrubo, só levanto o PIB”.

Em dezembro do ano passado, colocado diante de uma previsão de que em 2012 a economia cresceria 3,5% contra a estimativa de 4,5% a 5% feita pela doutora Dilma, o levantador de PIB respondeu:

“Me fala quem é que eu mando embora. Você pode me dizer os nomes.”

Esclareceu que “estou brincando”, mas arrematou: “A melhor analista é a presidente”.

É nada. Este ano o PIB fechará com um crescimento inferior a 2%. Em 2011 Mantega entrou na avenida prometendo uma taxa de 4,5%. Quando metade da escola havia desfilado, falava em 4%. Na praça da Apoteose o PIB ficou em 2,7%. Diante do mau resultado, o ministro incorpora o espírito do sambista e promete:

“Este ano não vai ser igual aquele que passou”. Nesta parolagem, o crescimento econômico de 2012 ficaria em pelo menos 4,5%. Não chegará à metade disso.

Deixe-se de lado o fato de que as medidas tomadas pelo governo para impulsionar a economia fracassaram, o que não é pouca coisa.

O doutor Mantega atravessou o espelho quando, diante de um mau terceiro trimestre anunciado pelo IBGE, veio a público para dizer que pedira à instituição que refizesse suas contas.

Tomou de volta uma nota oficial informando-o que “não ocorreram mudanças metodológicas nem de fontes de informação no cálculo do PIB, para o qual são seguidas as recomendações internacionais”.

O IBGE, como todas as instituições do gênero, revê rotineiramente seus cálculos. No primeiro trimestre deste ano anunciara um crescimento de 0,2% e corrigiu-o para 0,1%. No período seguinte, reviu seu número de 0,4% para 0,2%. Nos dois casos, Mantega ficou calado.

O que ele fez agora foi lançar uma suspeita pública contra uma instituição que, na série histórica, diz mais verdades que mentiras, não se podendo afirmar o mesmo a respeito das estimativas dos sábios da “ekipekonômicas”.

7 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Ele, Mantega, que faça como o finado presidente argentino, o Nestor, marido da ditadora de plantão da Argentina diante do mesmo quadro anos idos: Demitiu a turma do IBGE de lá. Dai em diante,só “alegria”, aliás é o que faz o governo com o índice da inflação, pouco mais de cinco por cento no ano. É prácabá.

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    Até Zézim Dois Mais Dois Quatro sabe que a economia dum país não cresce em cima de arreganhamento do crédito, incentivo ao consumo e estúpidas intervenções mercadológicas, como a discutível proposta para baratear o preço da energia (para o que o mesmo Zézim 2 + 2 = 4, perguntou lá no fundo da classe, porque o governo não tira parte dos impostos incidentes que somam quase 50 por cento do total da fatura). E disse mais, mastigando uma chiclete usada que apanhou do chão: Se for do jeito que dona Dilma quer, vai ter que por gerador na na sala de aula e óia que o diesel tá caro.

  3. Vigilante do Portão Responder

    Não demora e o governo vai MUDAR os critérios de cálculo.

    A Argentina fez isso.

    Lá, a inflação “oficial” é bem menor, quando comparada à “REAL”.

    Por conta disso, os panelaços e as greves.

  4. Tá bem atrasado o Elio Gaspari.
    A nova previsão para o PIB de 2012 é 1,03% segundo pesquisa Focus do Banco Central.

    E como estão sempre diminuindo desde janeiro, provavelmente nem 1% atinja.

  5. Adoro dito popular, e este vem bem a calhar para o levantador de PIB, cai-lhe como uma luva, o vício do cachimbo faz a boca torta . Ele ficou tanto tempo trablhando com o 51 que, até pegou o cacoete do ex-chefe, começou a bravatear. Agora o levantador vai virar encolhedor de PIB, ou melhor, pibinho. E de quebra deixou a companheira presidente em uma tremenda saia justa, porque ele afirmou que ela sabia o que falava(crescimento de 5% este ano). Se foi ela que falou isto, falou besteira. Kiko

  6. Esse Gaspari deve preferir os – 2% da Itália, ônus os PIBs da Espanha, Reino Unido ou do FHC. Quem não gostou que se mude pra lá, afinal para os neoliberais PIB bom mesmo é o PIB negativo, aquele que ferra o governo e o deixa a refém dos bancos e seus juros extorsivos. Os juros? Não é que a Dilma baixou? A energia elétrica ela também baixou, menos os estados do PSDB. Sintomático, não?

  7. Sim, o PIB crescerá pouco este ano, até por conta de que o setor bancário, que tem forte peso na conta da riqueza que a nação gera, em 2012, graças a políticas do governo Dilma que contrariam o que era feito na era FHC – quando a taxa de juros oficial chegou a cerca de 50% –, perderam forte receita com juros, o que puxou o crescimento para baixo.

    A oposição controlada pelos donos da mídia (PSDB, DEM e PPS), bem como a própria mídia, insistem em ignorar que o objetivo de qualquer governo é fazer a vida do povo melhorar. Ao longo dos oito anos do governo tucano, o Brasil piorou. Os indicadores sociais de 2002 mostram o fim melancólico do governo FHC.

    Ao longo dos dez anos em que o PT governa o Brasil, aconteceu o oposto. Desemprego, valor dos salários, inflação, concentração de renda e até o PIB, tudo melhorou. Em relação ao crescimento, o da era petista é quase o dobro do da era demo-tucana. Com mega crise internacional e tudo.

    Os dados do social eram ignorados pela mídia e pelos tucanos e demos na era FHC e continuam sendo ignorados hoje. Eles não entendem que o povo quer um governo que melhore sua vida e não a de ricos empresários. Por isso não param de perder eleições.

Comente