Uncategorized

Richa destaca avanços da saúde em dois anos

O governador Beto Richa destacou os avanços da área de saúde nos últimos dois anos, em especial, as reduções das taxas de mortalidade infantil e materno-infantil. A taxa de mortalidade infantil caiu de 12,1 em 2010, para 11,6 mortos por mil nascidos vivos em 2011. São os menores índices já registrados na história do Paraná. A mortalidade materno-infantil caiu 21% em 2011, fechando o ano com 51,67 mortes maternas para cada 100 mil crianças nascidas vivas.

“Estes índices são fruto de programas que têm fortalecido as estruturas de saúde do Estado, como o Hospsus, de apoio aos hospitais e a Rede Mãe Paranaense, baseada na experiência de sucesso do Programa Mãe Curitibana e que tem a chancela da Organização Mundial da Saúde”, disse Beto Richa.

Os 399 municípios aderiram este ano à Rede Mãe Paranaense que atende gestantes e crianças até um ano de idade. “Com esse programa, salvamos muitas vidas, cuidando do nosso maior patrimônio, que são as crianças. Elas são prioridade mesmo antes de nascer”, disse Richa. “É preciso reconhecer e parabenizar, em nome dos paranaenses, o trabalho, a competência e a dedicação de cada um dos servidores da saúde para alcançar os resultados inquestionáveis que o Paraná tem conquistado”, completou.

Richa lembrou que o Paraná, pela primeira vez, cumpre a Emenda Constitucional 29 e aplica 12% das receitas em saúde e relatou que houve uma inversão na aplicação de recursos em saúde pública. Há 10 anos o governo federal era responsável por 70% dos recursos para a saúde e 30% eram responsabilidade de estados e municípios. “Hoje, 70% são oriundos dos caixas dos estados e municípios, e apenas 30% da união”.

Richa também destacou os avanços nas outras áreas do governo, como educação, segurança e habitação e afirmou que o trabalho vai se ampliar nos próximos dois anos com a concretização dos projetos e programas do plano de governo.

16 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Pois é, o petê tirou o dele da reta no repasse de recursos à área da saúde, e transferiu esses ônus para os ânus dos estados e municípios.

    Isentou as montadoras e as concessionárias do recolhimento do IPI, lascando o caixa das prefeituras e estados e ainda assim a miguezada aplaude o “melhor governo do mundo”.

  2. fiscalde realeza Responder

    SÓ SE FOR NO PLANO DE SAUDE DELE PORQUE A SAUDE DO PARANÁ ESTA UMA BAGUNÇA TOTAL
    PLANO DE GESTAO DO BETO NAUFRAGOU JUNTO COM O PSDB

  3. O secretário deve estar c/dias contados….????? fez boa administração, principalmete com a nova rede hospitar implantada no Paraná pelo Requião.

  4. O Secretário da Saúde Michele Cuputo Neto tem várias qualidades, destaco apenas algumas aqui: sério, honrado, companheiro, competente, profissional, humilde entre outros bons adjetivos. Em minha simples e singela opinião, é o melhor secretário do governo Carlos Alberto Richa.
    Se, tiver que sair pra dar o lugar pro Ducci, é um absurdo.
    Seria um descaso com um baita profissional e, com a população do Paraná.

  5. Esse é o cara que saia de madrugada pichar muros contra o Guga, não tem gabarito para ser secretário de saúde .
    Pode até ser leal ao Richa, mas não passa a menor credibilidade. Está mais para sindicalista do que para médico.

  6. PARABÉNS BETO E SECRETARIO A NOSSA SAUDE ESTA CADA VEZ MELHOR! ESPERO Q A INFECCAO HOSPITALAR BAIXE TAMBÉM COM A LEI Q VC SANCIONOU A 17.242/12 parabéns GOVERNADOR.

  7. Parreiras Rodrigues Responder

    Que rede hospitalar? Entende-se por hospital, além do prédio, equipamentos, aparelhos, insumos, e gente trabalhando, sobretudo, gente, atendentes, enfermeiros/as, pessoal de apoio, médicos/as.

    Só baixar aquela cortininha na frente da placa pregada na parede, não vale.

  8. Parreiras Rodrigues Responder

    Como no programa Clínica da Mulher e da Criança: Exigiu-se da prefeitura o terreno, onde o Estado construiu o prédio. A equipagem e a estrutura humana para o funcionamento, RR transferiu-as para os prefeitos, coitados.

    Como na distribuição dos ônibus escolares, aqueles que ficaram ano inteiro expostos no pátio do Palácio Iguaçu, ostentando, quase todos, placas ARR,

    Foram – disse, distribuidos aos municípios seguindo critérios técnicos, mas não foi isso o que ouvi de muitos prefeitos, cujas prioridades eram outras. E no lombo deles, o ônus da manutenção e da contratação de pessoal.

    Como no Luz Fraterna, onde a isenção dos que consumiam um mínimo de energia, é absorvida pelos demais.

    Como no Leite das Crianças que tava engordado bezerros de há muito desmamados.

  9. Josè Elton da Rocha Responder

    única saúde que vai bem é a do bolso do secretário, ultimamente é só vilho de 300 contos pra cima, queria que ele fosse lá no sus dar uma olhada como ta o pessoal.

  10. Servidor Municipal Responder

    É seu Beto, a casa tá caindo…..e com data marcada, para a próxima eleição….aproveite enquanto pode!!!!!

  11. esse é o mesmo secretário que levou a saúde pública de curitiba a ser uma das piores nos ultimos anos

  12. avanços que só o governo vê pois a saúde ta uma m mais o desgoverno vê que a segurança melhorou e a saúde e educação só ele vê isso o povo se ferra como sempre.a saúde dele e de seus apaniguados deve ter melhorado a do povo só piorou.

Comente